Últimas

Domingo, 21 de Janeiro de 2007, 07h:44 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

O Brasil subterrâneo emerge (final)

    O jornalista Onofre Ribeiro, no último artigo da série de três, destaca, no Diário de Cuiabá deste domingo (21), a importância da pasta de Justiça e Segurança Pública ter um secretário político. Confira abaixo.

    Nos dois artigos anteriores a este, a idéia foi traçar uma retrospectiva das origens sociais da crise de violência atual que “encantoam”, a sociedade brasileira. “Encantoar”, no vocabulário mineiro significa acuar.
    Foi dito que a violência nem vem tanto da miséria, mas do apartheid social que se construiu no Brasil, e ainda hoje se mantém numa conivência cruel da sociedade mais bem posicionada. Os iguais, em geral, repelem seus iguais. Os que ascenderam costumam repelir os que ficaram na escala social. Uma espécie de evolução das espécies. Ou, para a antropologia, o reconhecimento e a demarcação dos territórios por muitas espécies de animais. Para os humanos, essa demarcação acabou na cerca de arame farpado, separando o território de uns para o visível conhecimento de todos. O professor e historiador Tadeu Silva, na “carta dos leitores”, na edição de ontem deste jornal tratou o assunto com muita competência.
    Isso não se desmancha do dia para a noite. A segurança deve ser politizada com políticas gerais e abrangentes que alcancem no mais curto prazo possível, algo de no mínimo 10 anos, todas as camadas sociais no país. Claro que as camadas mais pobres terão que ser o alvo principal.
     O que justifica essa loucura de violência atual, além da perda dos valores nas relações sociais, é a falta de oportunidades, por falta de políticas de inclusão dos mais pobres e dos marginalizados. Um jovem vai preso, sai da cadeia e morre em seguida porque não tem como sobreviver senão à margem da lei. Morre por falta de chances: não teve educação, não teve família, nem saúde, e muito menos, trabalho digno!
    Então, quando o policial militar sai às ruas e não sabe lidar com os criminosos e não-criminosos, falta-lhe também a mesma educação do seu perseguido. Aí, ele aborda com violência e é mais um igual contra outro igual.
    Sem políticas muito abrangentes de saneamento social, nada feito. Na Idade Média, durante a peste negra, descobriu-se que era preciso sanear tudo, queimar casas e objetos, mudar pessoas, queimar corpos mortos, tudo de maneira radical para sanear. É o caso agora. Sem um saneamento social não adiantarão tropas e nem armas.
    É papel dos secretários de segurança pública das gestões atuais, serem muito mais políticos do que gestores. O ex-deputado Carlos Brito, em Mato Grosso, onde os assassinatos fugiram do controle em Cuiabá e em Várzea Grande, deve ser fundamentalmente político, para compreender todas as nuances dos desajustes sociais e econômicos que resultaram na violência.
    A partir daí, articular-se com o governo inteiro para se criar programas de recuperação social: treinar e buscar motivação para polícias, envolver a educação, estimular a educação técnico-profissional em nível médio e superior, oferecer saúde decente nos bairros, criar-se políticas de emprego, envolver os chamados poderes e, por fim, contar com a sociedade. 
    Há muito que não se tem um secretário de segurança político, com visão política e comprometido politicamente como o atual, Carlos Brito. Repito a tese do ex-comandante da PM, Cel. Sales: “a segurança não é mais uma questão da polícia. É da sociedade!”.

* ONOFRE RIBEIRO é articulista do Diário de Cuiabá e da revista RDM (onofreribeiro@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Entrando na briga à AMM muito tarde

maurao curtinha 400   Mauro Rosa, o Maurão (foto), que está encerrando o segundo mandato como prefeito de Água Boa, é o único candidato no duelo com Neurilan Fraga, que busca mais um mandato no comando da AMM, entidade que representa as prefeituras mato-grossenses. O problema é que Maurão entrou...

Com Paccola, Câmara terá polêmicas

paccola 400 curtinha   O vereador eleito pela Capital, tenente-coronel PM Marcos Eduardo Ticianel Paccola (foto), do Cidadania, promete levar muitas polêmicas para os embates que pretende travar no Legislativo. Ele é daqueles sem papas na língua. Defende, por exemplo, que a população tenha direito de se armar. Em...

Esposa de deputado na 2ª suplência

maria avalone 400   Não foi só o deputado estadual Wilson Santos que frustrou-se na tentativa de eleger membro da família à cadeira de vereador. O também parlamentar Carlos Avalone, presidente regional do PSDB, apostou todas as fichas na esposa Maria Avalone. Mas ela só chegou à...

Neurilan e apoio de Botelho à AMM

eduardo botelho 400 curtinha   Em busca de apoio de lideranças políticas para permanecer no comando da AMM por mais três anos, Neurilan Fraga foi pedir socorro para o presidente da Assembleia, deputado Eduardo Botelho (foto). Quer que o parlamentar seja o presidente de honra de sua chapa. Neurilan tem se articulado como pode e,...

Candidato irritado chama EP de traste

abilio junior 400 curtinha   Abílio Júnior (foto), candidato do Podemos ao Palácio Alencastro, tem se mostrado mais irritado depois do debate promovido pela Fecomércio, na quarta à noite, quando, em vários momentos, se viu questionado e desqualificado pelo prefeito e candidato à...

Prefeito reeleito sob investigações

ze do patio 400 curtinha   A situação jurídica do prefeito populista e desgastado Zé do Pátio (foto), que acaba de ser reeleito para o terceiro mandato em Rondonópolis, sendo o segundo consecutivo, não é das melhores. Contra sua gestão tem pipocado denúncias sobre...