Últimas

Quinta-Feira, 28 de Dezembro de 2006, 10h:11 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

O dia de amanhã

  O jornalista Carlos Monforte enfatiza, em artigo nesta quinta (28) em A Gazeta, que o presidente Lula deseja que o ano comece em fevereiro para poder ajustar o quadro de ministros.
   Confira na reprodução abaixo:
 
     O presidente Lula está inventando: quer que o ano comece em fevereiro. Pois será assim esse início de segundo mandato. Tudo será como antes e serão poucas, pouquíssimas, as novidades. Até o ministro da Justiça, que já deu como certa sua saída do governo, deixará o cargo a pedido do presidente apenas no fim de janeiro. A briga por seu cargo é grande e, afinal, o presidente precisa de um consultor jurídico à mão.

    As reuniões têm sido intensas e Lula até pediu um pouco de sossego esta semana, para poder se recompor e tirar tanta conversa do ouvido. Ele tem procurado pavimentar na medida do possível o seu próximo mandato, se encontrado com políticos e até mesmo assinou um protocolo de intenções para pôr nos eixos a recomposição do salário mínimo. São arestas que necessitam reparos e quanto mais cedo isso for feito, melhor.

     A área política, essa não tem jeito. Essa história de coalizão é apenas uma boa estratégia, mas que não comove os partidos, os políticos. Todos falam em governar juntos, em abrir mão de espaços, mas tudo fica no discurso. O PT, por exemplo, tem uma arenga para o público externo, mas em suas reuniões o bicho pega, como no encontro que tiveram seus líderes com o presidente. Ninguém quer abrir espaço algum e todos são gulosos por cargos e regalias.

    Depois das festas da posse, o dia de amanhã não será fácil para o presidente, que está obcecado pela infra-estrutura, pela recuperação das estradas e bastante contrariado com as soluções propostas, pouco ousadas e aquém de sua intenção. Mas ele, ao fim e ao cabo, tem culpa no cartório: o salário mínimo político, de R$ 380,00, vai tirar pelo menos quatro bilhões de reais do pacote de medidas para "destravar" a economia.

     A obsessão do presidente deverá se materializar pelo menos no papel no começo (ou no fim?) de janeiro. Apesar de prejudicado pelo novo mínimo e pela correção do Imposto de Renda, o pacote irá prever o corte de impostos para estimular investimentos, mas não será tão robusto quanto se pensava. As primeiras prejudicadas serão as empresas exportadoras. Mas haverá estímulo para a expansão das empresas.

     Na verdade, esse será o ponto crucial de todo o ano de 2007: o crescimento, a maior pedra no sapato de Lula e do governo, que conseguiu manter uma política econômica rígida e, com isso, segurar a inflação, botar o índice de risco-país lá embaixo e até baixar os juros. Mas o crescimento da economia foi pífio, daí o interesse do presidente. Não fala mais em números, mas quer que o país cresça a taxas menos ridículas.

     Mas as idéias, desejos e vontades do presidente terão de enfrentar as incompreensões políticas e a má vontade de quem não quer partilhar. A disputa cada vez mais firme para a eleição das Mesas da Câmara e do Senado pode prejudicar as intenções de Lula, ou pelo menos desgastar a imagem do presidente. Embora muitos queiram separar a eleição dos novos presidentes da composição do ministério de Lula, as coisas vão ficando mais próximas a cada dia. Ele vai precisar de homens de confiança no Congresso para realizar seus sonhos. E isso só deve acontecer no começo de fevereiro, quando Câmara e Senado terão suas direções renovadas. Por isso, o novo ministério vai demorar; por isso, 2007 vai perder um mês.

     Carlos Monforte é jornalista em Brasília e escreve às quintas-feiras em A Gazeta

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Candidato irritado chama EP de traste

abilio junior 400 curtinha   Abílio Júnior (foto), candidato do Podemos ao Palácio Alencastro, tem se mostrado mais irritado depois do debate promovido pela Fecomércio, na quarta à noite, quando, em vários momentos, se viu questionado e desqualificado pelo prefeito e candidato à...

Prefeito reeleito sob investigações

ze do patio 400 curtinha   A situação jurídica do prefeito populista e desgastado Zé do Pátio (foto), que acaba de ser reeleito para o terceiro mandato em Rondonópolis, sendo o segundo consecutivo, não é das melhores. Contra sua gestão tem pipocado denúncias sobre...

Prefeitos revoltados com Neurilan

neurilan fraga 400 curtinha   Vários prefeitos, especialmente os recém-eleitos, se mostram revoltados com novas manobras promovidas no estatuto da AMM pelo seu "eterno" presidente Neurilan Fraga (foto), que tenta, de todas as formas, se auto-beneficiar na eleição que deveria ocorrer em janeiro, mas que foi antecipada...

Candidato a reitor e 2 apoios fortes

dimorvan rui 400   O candidato de oposição a reitor do IFMT, Deiver Teixeira, recebeu dois apoios importantes. As manifestações de adesão à candidatura vieram dos professores Ruy Oliveira e Dimorvan Brescancim. Ruy foi candidato a reitor nos últimos dois pleitos e é um pesquisador...

Abílio e Medeiros rejeitam Fernanda

coronel fernanda 400 curtinha   Abílio Júnior e o deputado José Medeiros, presidente do Pode-MT e que foi derrotado para senador, querem distância da coronel Rubia Fernanda (foto) da campanha neste segundo turno em Cuiabá. Nos bastidores, comentam que não precisam da militar filiada ao Patriota e que ficou...

Com maioria na Câmara de Cáceres

eliene liberato 400 curtinha   A prefeita eleita de Cáceres Eliene Liberato (foto), que conquistou 15.881 votos (38,16% dos válidos), terá apoio da maioria dos 15 vereadores. Destes, oito garantiram cadeira pela coligação da própria Eliene, o que representa 53%. As duas maiores bancadas são do PSB de...