Últimas

Segunda-Feira, 24 de Setembro de 2007, 09h:07 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

O novo Mato Grosso que chega (1)

     Uma nova onda vem se desenhando rapidamente na economia de nosso estado. Aliás, já houve muitas fases anteriores iniciadas lá atrás na extração mineral e chegando à atual. Hoje tem-se o agronegócio em transformação, a pecuária, a extração da madeira, a indústria e todos os setores de serviços.
    A crise do três primeiros setores em 2005, criou valores novos para a economia. Por exemplo, os produtores de soja sofreram um baque muito grande e um número ainda não calculado, deixou de plantar porque tem dívidas, não tem capital ou porque tem medo de tomar mais prejuízos. No lugar deles, os grandes estão arrendando as terras e plantando. Empresários como Eraí Maggi, Otaviano Pivetta, para citar só dois mais conhecidos, estão arrendando grandes áreas e incorporando-as para plantio.
    Por detrás estão o custo de plantar que está cada vez mais pela burrice fiscal do governo federal que só quer arrecadar para manter o projeto de poder político pessoal do presidente Lula. Aliás, nunca se arrecadou tanto imposto no Brasil e nunca se jogou tanto dinheiro fora como se joga no governo Lula. Mas isso é outra conversa. O fato é que hoje não se planta mais sem muita tecnologia e muito capital, coisas que os pequenos e médios produtores não possuem mais.
    Aquela cultura do produtor de soja iniciada há dez anos quando a Fundação Mato Grosso de Pesquisas criou um espírito de união e deu rumos e técnicas a todos, pequenos, médios e grandes, desaparece a partir da safra que se plantará a partir do mês que vem. Leitura crítica: a agricultura de Mato Grosso passará às mãos dos grandes produtores e se tornará corporativa para agüentar os trancos da burrice do governo e para enfrentar as oscilações dos mercados. Desaparece para sempre o plantador individual e familiar. Primeiro ele arrenda a terra. Depois, só Deus sabe...!
   No lado da pecuária, não é muito diferente. A tendência são as grandes áreas de pastagem serem assimiladas pela agricultura e a pecuária especializar-se em cadeias do tipo, um produz os bezerros, outro cria, outro confina e engorda e o frigorífico mata. Todos amarrados em contratos de fornecimento. Aqui também prevalecerá a tecnologia, porque os custos e os mercados tendem às exigências crescentes. Logo não haverá mais espaços para os pequenos e os médios fazendeiros de gado. No lugar, enormes confinamentos de gado, casados com a produção de grãos e com o aproveitamento de resíduos agrícolas.
     São novos tempos muito distantes do ciclo pantaneiro da pecuária mato-grossense que prevaleceu até os anos 80. O gado criado solto nas planícies alagadas dava garantia de vida e de renda aos pecuaristas. Esse ciclo que também se refletiu na política com a construção de um poder político, saiu de cena com a modernidade das pastagens de capim braquiária nos cerrados altos.
     É um tema muito longo que pretendo abordar no correr da semana, depois da gratificannte série das crianças e o futuro, na tentativa de avaliar os seus desdobramentos econômicos, políticos e sociais. Concretamente, estamos diante de um novo e profundamente desconhecido ciclo de mudanças.

 

Onofre Ribeiro é articulista deste jornal e da revista RDM (onofreribeiro@terra.com.br)         

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Deputado, Mesa da AL e incoerência

claudinei 400   Claudinei Lopes (foto), delegado de polícia que, na onda Bolsonaro, se elegeu deputado pelo PSL, em 2018, se mostra cada vez mais incoerente. É daqueles que gostam de levantar polêmicas e críticas, mas sem consistência. Ele se manifestou, por exemplo, contra a reeleição à Mesa...

Dilmar ensaia disputa para federal

dilmar dal bosco 400   Todos os deputados estaduais querem buscar a reeleição, com exceção de Dilmar Dal Bosco (foto), que está no terceiro mandato. Integrante da nova Mesa Diretora da Assembleia, como primeiro-vice-presidente, e líder do Governo Mauro, Dilmar não esconde o desejo de disputar cadeira...

Com Covid-19 e frequentando a AL

paulo araujo 400   O deputado Paulo Araújo (foto), do PP, está com reinfecção pelo Covid-19 e, mesmo assim, continua frequentando o prédio da Assembleia normalmente, como se não tivesse contaminado. Na primeira vez que foi infectado pelo vírus, também fez igual. Colegas parlamentares e...

2 abstenções e briga pela 4ª Secretaria

silvio favero 400   Dois deputados se abstiveram na eleição da Mesa Diretora da Assembleia desta terça cujo votação foi secreta. Nos bastidores, os comentários são de que as abstenções foram de Sílvio Fávero (foto), que se lançou à disputa e, sequer, teve...

Petista, incoerência e voto contrário

ludio cabral 400   O petista Lúdio Cabral (foto), daqueles parlamentares do morde e assopra, na tentativa de marcar posição, expõe cada vez mais suas incoerências em votação na Assembleia. Na sessão que antecedeu a eleição para a nova Mesa Diretora, provocada pela decisão...

Projeto sobre VI na Saúde está na AL

gilberto figueiredo 400 curtinha   Já está na Assembleia, para votação dos deputados, o projeto do governo que garante retomada do pagamento da verba indenizatória aos profissionais da Saúde que atuam na linha de frente do combate à Covid-19 nas unidades hospitalares, ambulatoriais e...