Últimas

Quarta-Feira, 28 de Fevereiro de 2007, 07h:19 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

O novo rei da soja

   O economista Amado de Oliveira Filho, em artigo em A Gazeta desta quarta (28), comenta o que classifica de equívoco do presidente do Grupo Bom Futuro, que soltou a célebre frase: "A crise separou o joio do trigo. Só vão ficar os bons". Confira reprodução abaixo.

  O Brasil já viveu sua experiência monárquica, naquele período tomou força o movimento político denominado Coronelismo. Esta forma de poder era manifestada pela força ou pelo carisma e liderança do tipo salvador da pátria. Tanto a monarquia como o coronelismo passaram. Até porque o que seria da sociedade se de tempos em tempos tivéssemos que reinventar a roda? Jamais teríamos alcançado a modernidade.

Não é o caso de Mato Grosso, estamos reinventando algo meio monarquista coronelista. Trata-se de uma corrida inócua onde a revista Dinheiro Rural de vez em quando tenta coroar o "rei da soja". Este mês, com direito a foto de capa, tentou demonstrar ao Brasil e ao mundo o carisma, a liderança e a competência do presidente do Grupo Bom Futuro, com a célebre frase: "A crise separou o joio do trigo. Só vão ficar os bons".

Os equívocos não param por aí. A matéria considera que o dólar a R$ 2,10 não impacta os custos de produção, mas não avalia seu impacto na comercialização e ainda afirma que as chuvas estão na medida certa em toda a região Centro-Oeste. Centro-Oeste de onde? Não disseram. Porém, fizeram uma profecia que não interessa a ninguém, a de que esta safra deve marcar a volta por cima dos grandes produtores que ficarão maiores assumindo áreas de produtores menos eficientes.

É bom que o novo rei da soja avalie que se um produtor colher 160 mil hectares de soja nesta safra estará colhendo apenas 3,0% dos mais de 5 milhões de hectares plantados. Se considerarmos que o Estado de Mato Grosso este ano estará colhendo 15,0% menos soja que na safra passada, e não quebrará por isto, quem são mais importantes para a economia mato-grossense, um rei ou uma média-burguesia que planta, colhe e consome o fruto da produção dentro do próprio Estado?

Segue a matéria, no entanto, tenho a sensação de que um demônio continua soprando em meus ouvidos a frase "Só vão ficar os bons"! O que é ser bom numa atividade de altos riscos como a sojicultura? Quem é melhor, um produtor que planta 160 mil hectares ou um de apenas 1 mil hectares, que veio para Mato Grosso e aqui criou sua família, educou seus filhos e também sofre as conseqüências do câmbio, do clima e das pragas?

Paradoxalmente, na mesma matéria são citados outros grandes produtores que mesmo mantendo o otimismo, informam que houve a necessidade de venderem carros e fazendas para amenizar as dívidas. Puro bom senso! Afinal, quando o mercado estiver mais favorável, podem voltar à plena atividade. Afirmam ainda que a médio e longo prazos as possibilidades de ganhos são reais, inclusive com uma boa dosagem de diversificação.

Virando a página da fatídica matéria, a Revista Dinheiro publica com o título "Há luz no buraco" a realidade da sojicultura no Brasil e em Mato Grosso. Segundo o conceituado Consultor André Pessoa da Agroconsult, "produtores da região Sul e Sudeste já podem comemorar o fim da crise. Já os do Centro-Oeste vão levar mais tempo para a fase de lucros". Em Mato Grosso, os produtores terão um lucro de R$ 1,5 bilhão para fazer frente a uma dívida de R$ 4,3 bilhões.

É certo que os produtores de soja de menor porte não desaparecerão, é certo também que todos sairão da crise e que as políticas públicas já utilizadas e as que virão para a cadeia da soja e a própria lógica do mercado garantem isto. Também é certo que precisamos de mais produtores e menos reis, afinal, esta é a melhor característica do capitalismo, mesmo com certa dose de mais-valia absoluta, no caso do arrendamento de terras.

Amado de Oliveira Filho é economista em Cuiabá e escreve às quartas-feiras em A Gazeta. E-mail: amadoofilho@ig.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Cotado à cadeira de desembargador

francisco faiad 400 curtinha   É forte o movimento nos bastidores entre os juristas, dentro e fora da OAB/MT, pela indicação do nome de Francisco Faiad (foto) pela classe Quinto Constitucional à cadeira de desembargador. Bem articulado e com bom conceito no meio jurídico, Faiad foi presidente da OAB/MT por dois...

Pivetta promete permanecer no PDT

allan kardec 400 curtinha   O empresário Otaviano Pivetta, que se tornou o mais badalado nesta fase de pré-campanha ao Senado por causa da grande logística em torno do seu nome, se encontra numa saia-justa. Para líderes do Podemos com os quais passou a ter afinidade política, como os senadores Álvaro Dias e...

Ao Senado, 2 partidos e apoio para EP

elizeu nascimento 400 curtinha   Elizeu Nascimento (foto), terceiro-sargento PM licenciado, não é nada bobo. Ex-vereador pela Capital e no mandato de deputado estadual, Elizeu hoje controla o DC-MT e ainda levou aliados de confiança para o PSL-MT, partido que ainda está ligado ao presidente Bolsonaro e que só de...

Digital de Selma no apoio para Pivetta

olga lustosa curtinha 400   Mesmo com laços antigos de amizade com Otaviano Pivetta, Olga Lustosa, que está se desligando do cargo de assessora do gabinete da senadora cassada Selma Arruda em Brasília, causou aquele climão dentro do Podemos quando apareceu no encontro do PDT, neste sábado. O ato marcou o...

Fritado ao Senado, Galvan deixará PDT

antonio galvan 400 curtinha   Como já esperado, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan (foto), foi mesmo patrolado dentro do PDT estadual na tentativa de concorrer ao Senado na suplementar de abril. Com a decisão oficial do partido de lançar o vice-governador Otaviano Pivetta à disputa, Galvan agora pensa em sair da...

Contratos suspensos de 7 prefeituras

domingos neto 400 curtinha   O conselheiro do TCE-MT, Domingos Neto, determinou, até julgamento do mérito, a suspensão de pagamento por sete prefeituras à Oscip Tupã. Ele é relator de uma representação feita pelo Ministério Público de Contas contra as prefeituras de Vera,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.