Últimas

Sábado, 28 de Abril de 2007, 12h:21 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Opção madura e responsável

     A consolidação de alianças sociais e políticas é um balizador da práxis do Partido dos Trabalhadores, consagrada em seu programa e estatutos desde sua fundação, em 1979. Reafirmado ao longo dos 27 anos de atuação, responde - em grande medida -, por sua inserção no movimento social, na opinião pública e no resultado eleitoral crescente.
     Os avanços e projetos que propomos ao Brasil e ao povo brasileiro são tarefas de um conjunto de forças sociais e políticas na visão do nosso partido. Aliás, é da natureza do PT a descrença no totalitarismo, no partido único, no governo monocrático. Constituímos um partido comprometido com a democracia representativa, com a liberdade, com a diversidade.
     Esses conceitos norteiam a nossa práxis política contemporânea, formam uma orientação madura e responsável para conduzir o governo que lideramos, e justifica nosso exercício no poder central do Brasil.
     O segundo mandato do presidente Lula é sustentado por uma coalizão de partidos. O governo federal não é exclusivo do PT, mas desse conjunto de forças da representação social real da sociedade brasileira, cujo amálgama é a aliança fundamental com a maioria do povo brasileiro.
     À exceção do PFL (Democratas), do PSDB e do PPS, os demais segmentos aderiram espontaneamente ao projeto de desenvolvimento econômico e social para o Brasil, deram sua contribuição para a incomparável vitória de Lula no 1º e no 2º turnos e são co-responsáveis pelo governo.
     Fortalecer a coalizão é construí-la, também, a partir das bases regionais e locais, com seus limites e capacidades e peculiares. Sem precipitações de entusiasmo ou ufanismo. Exige diálogo, reciprocidade, confiança, equilíbrio na solução de conflitos.
     O Diretório Regional do PT de Mato Grosso compreende a densidade deste momento político novo. No dia 10 de março passado, indicou o apoio parlamentar e a abertura de canais formais de diálogo do PT com o governador a fim de buscar as convergências para o melhor êxito das políticas públicas de largo alcance social - como o Programa de Desenvolvimento da Educação - e dos investimentos estruturantes do PAC.
     A consolidação de alianças sociais e políticas é um balizador da práxis do Partido dos Trabalhadores, consagrada em seu programa e estatutos desde sua fundação, em 1979. Reafirmado ao longo dos 27 anos de atuação, responde - em grande medida -, por sua inserção no movimento social, na opinião pública e no resultado eleitoral crescente.
     Os avanços e projetos que propomos ao Brasil e ao povo brasileiro são tarefas de um conjunto de forças sociais e políticas na visão do nosso partido. Aliás, é da natureza do PT a descrença no totalitarismo, no partido único, no governo monocrático. Constituímos um partido comprometido com a democracia representativa, com a liberdade, com a diversidade.
     Esses conceitos norteiam a nossa práxis política contemporânea, formam uma orientação madura e responsável para conduzir o governo que lideramos, e justifica nosso exercício no poder central do Brasil.
     O segundo mandato do presidente Lula é sustentado por uma coalizão de partidos. O governo federal não é exclusivo do PT, mas desse conjunto de forças da representação social real da sociedade brasileira, cujo amálgama é a aliança fundamental com a maioria do povo brasileiro.
     À exceção do PFL (Democratas), do PSDB e do PPS, os demais segmentos aderiram espontaneamente ao projeto de desenvolvimento econômico e social para o Brasil, deram sua contribuição para a incomparável vitória de Lula no 1º e no 2º turnos e são co-responsáveis pelo governo.
     Fortalecer a coalizão é construí-la, também, a partir das bases regionais e locais, com seus limites e capacidades e peculiares. Sem precipitações de entusiasmo ou ufanismo. Exige diálogo, reciprocidade, confiança, equilíbrio na solução de conflitos.
     O Diretório Regional do PT de Mato Grosso compreende a densidade deste momento político novo. No dia 10 de março passado, indicou o apoio parlamentar e a abertura de canais formais de diálogo do PT com o governador a fim de buscar as convergências para o melhor êxito das políticas públicas de largo alcance social - como o Programa de Desenvolvimento da Educação - e dos investimentos estruturantes do PAC.
     Neste contexto, recebemos o convite do governador Blairo Maggi para que o Partido dos Trabalhadores sele com seu governo uma aliança política e administrativa transparente, calcada nos mesmos princípios da aliança nacional. Não é simples adesão. Não apaga nossas diferenças e identidades. Trata-se da valorização das convergências programáticas, no compromisso solidário de honrar as melhores expectativas populares.
     Educação, para o Partido dos Trabalhadores, é prioridade em qualquer projeto político que tenha a nossa participação. Aí temos forte base social organizada, grande acúmulo de formulação, influência e gestão. Não é produto do acaso que a Senadora Serys, a Deputada Verinha e eu mesmo sejamos sujeitos de reconhecimento público.
     Confiar ao PT a gestão da educação demonstra que esta aliança é desafiadora. Tem de ser vigorosa e estratégica. Não é mera ação de governabilidade.
   

CARLOS ABICALIL é deputado federal por Mato Grosso

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Covid mata 20º pastor da Assembleia

aparecido domingues pastor cidao 400   Morreu neste sábado mais um pastor da Assembleia de Deus em consequência da Covid-19. Aparecido Francisco Domingues, o Cidão (foto), que era vice-presidente em Paranaíta, é o 20º pastor da Igreja em Mato Grosso a vir a óbito, após ser infectado pelo novo...

Os virtuais candidatos a governador

ygor moura 400   Mesmo que timidamente, alguns começam a externar, em privado, o desejar de disputar o governo estadual por um bloco de oposição, contrapondo o projeto de reeleição de Mauro Mendes. O empresário Ygor Moura (foto), da rede de clínicas de depilação Espaçolaser,...

Nomes "de fora" pra deputado federal

valtenir pereira 400   Enquantos os oito deputados da bancada federal de MT (Barbudo, Medeiros, Leonardo, Rosa Neide, Juarez, Bezerra, Emanuelzinho e Neri) vão em busca da reeleição, na esperança de continuarem em Brasilia por mais quatro anos, outros líderes correm por fora, dispostos a também entrar na...

Todos federais vão tentar a reeleição

carlos bezerra 400   Todos os oito deputados federais mato-grossenses estão trabalhando projeto de reeleição. Mas um resolveu espalhar, em paralelo, a ideia de tentar o Senado: Neri Geller (PP). Sabe-se, porém, que a jogada do deputado de Lucas do Rio Verde e que já foi ministro da Agricultura não passa de...

Mil cestas básicas vão para músicos

alberto machado 400   O secretário estadual de Cultura, Esporte e Lazer, Alberto Machado, o Beto 2 a 1 (foto), está comemorando a decisão do governador Mauro Mendes e da primeira-dama Virginia Mendes, que desenvolve ações sociais de forma voluntária, de disponibilizar mil cestas básicas para...

Assembleia cede espaço pra vacinação

Eduardo Botelho _ 400   O prefeito cuiabano Emanuel Pinheiro procurou e encontrou apoio da Assembleia para ampliar locais de vacinação da população contra Covid-19. Em reunião nesta sexta entre o prefeito e os deputados Eduardo Botelho (foto), Paulo Araújo e João José, que preside a...