Últimas

Sábado, 28 de Abril de 2007, 12h:21 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Opção madura e responsável

     A consolidação de alianças sociais e políticas é um balizador da práxis do Partido dos Trabalhadores, consagrada em seu programa e estatutos desde sua fundação, em 1979. Reafirmado ao longo dos 27 anos de atuação, responde - em grande medida -, por sua inserção no movimento social, na opinião pública e no resultado eleitoral crescente.
     Os avanços e projetos que propomos ao Brasil e ao povo brasileiro são tarefas de um conjunto de forças sociais e políticas na visão do nosso partido. Aliás, é da natureza do PT a descrença no totalitarismo, no partido único, no governo monocrático. Constituímos um partido comprometido com a democracia representativa, com a liberdade, com a diversidade.
     Esses conceitos norteiam a nossa práxis política contemporânea, formam uma orientação madura e responsável para conduzir o governo que lideramos, e justifica nosso exercício no poder central do Brasil.
     O segundo mandato do presidente Lula é sustentado por uma coalizão de partidos. O governo federal não é exclusivo do PT, mas desse conjunto de forças da representação social real da sociedade brasileira, cujo amálgama é a aliança fundamental com a maioria do povo brasileiro.
     À exceção do PFL (Democratas), do PSDB e do PPS, os demais segmentos aderiram espontaneamente ao projeto de desenvolvimento econômico e social para o Brasil, deram sua contribuição para a incomparável vitória de Lula no 1º e no 2º turnos e são co-responsáveis pelo governo.
     Fortalecer a coalizão é construí-la, também, a partir das bases regionais e locais, com seus limites e capacidades e peculiares. Sem precipitações de entusiasmo ou ufanismo. Exige diálogo, reciprocidade, confiança, equilíbrio na solução de conflitos.
     O Diretório Regional do PT de Mato Grosso compreende a densidade deste momento político novo. No dia 10 de março passado, indicou o apoio parlamentar e a abertura de canais formais de diálogo do PT com o governador a fim de buscar as convergências para o melhor êxito das políticas públicas de largo alcance social - como o Programa de Desenvolvimento da Educação - e dos investimentos estruturantes do PAC.
     A consolidação de alianças sociais e políticas é um balizador da práxis do Partido dos Trabalhadores, consagrada em seu programa e estatutos desde sua fundação, em 1979. Reafirmado ao longo dos 27 anos de atuação, responde - em grande medida -, por sua inserção no movimento social, na opinião pública e no resultado eleitoral crescente.
     Os avanços e projetos que propomos ao Brasil e ao povo brasileiro são tarefas de um conjunto de forças sociais e políticas na visão do nosso partido. Aliás, é da natureza do PT a descrença no totalitarismo, no partido único, no governo monocrático. Constituímos um partido comprometido com a democracia representativa, com a liberdade, com a diversidade.
     Esses conceitos norteiam a nossa práxis política contemporânea, formam uma orientação madura e responsável para conduzir o governo que lideramos, e justifica nosso exercício no poder central do Brasil.
     O segundo mandato do presidente Lula é sustentado por uma coalizão de partidos. O governo federal não é exclusivo do PT, mas desse conjunto de forças da representação social real da sociedade brasileira, cujo amálgama é a aliança fundamental com a maioria do povo brasileiro.
     À exceção do PFL (Democratas), do PSDB e do PPS, os demais segmentos aderiram espontaneamente ao projeto de desenvolvimento econômico e social para o Brasil, deram sua contribuição para a incomparável vitória de Lula no 1º e no 2º turnos e são co-responsáveis pelo governo.
     Fortalecer a coalizão é construí-la, também, a partir das bases regionais e locais, com seus limites e capacidades e peculiares. Sem precipitações de entusiasmo ou ufanismo. Exige diálogo, reciprocidade, confiança, equilíbrio na solução de conflitos.
     O Diretório Regional do PT de Mato Grosso compreende a densidade deste momento político novo. No dia 10 de março passado, indicou o apoio parlamentar e a abertura de canais formais de diálogo do PT com o governador a fim de buscar as convergências para o melhor êxito das políticas públicas de largo alcance social - como o Programa de Desenvolvimento da Educação - e dos investimentos estruturantes do PAC.
     Neste contexto, recebemos o convite do governador Blairo Maggi para que o Partido dos Trabalhadores sele com seu governo uma aliança política e administrativa transparente, calcada nos mesmos princípios da aliança nacional. Não é simples adesão. Não apaga nossas diferenças e identidades. Trata-se da valorização das convergências programáticas, no compromisso solidário de honrar as melhores expectativas populares.
     Educação, para o Partido dos Trabalhadores, é prioridade em qualquer projeto político que tenha a nossa participação. Aí temos forte base social organizada, grande acúmulo de formulação, influência e gestão. Não é produto do acaso que a Senadora Serys, a Deputada Verinha e eu mesmo sejamos sujeitos de reconhecimento público.
     Confiar ao PT a gestão da educação demonstra que esta aliança é desafiadora. Tem de ser vigorosa e estratégica. Não é mera ação de governabilidade.
   

CARLOS ABICALIL é deputado federal por Mato Grosso

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Deucimar vence Covid-19 após 20 dias

deucimar silva 400 curtinha   Após 13 dias numa unidade intensiva e mais sete se recuperando no leito de hospital, o empresário e ex-vereador pela Capital, Deucimar Silva (foto), recebeu alta médica nesta terça. Ele está curado da Covid-19. Ex-presidente da Câmara Municipal, Deucimar ficou emocionado, fez...

Estudo sobre 13º a vereadores de VG

jaqueline jacobsen curtinha 400   A conselheira-substituta Jaqueline Jacobsen (foto) estabeleceu prazo de 120 dias, em sessão de julgamento do TCE por videoconferência no último dia 2, para que o presidente da Câmara de Várzea Grande, Fábio Tardin, realize estudo prévio de impacto...

2 deputados empurrados pra oposição

allan kardec 400   Por causa da bandeira que têm carregado de defensores dos servidores públicos, dois deputados do núcleo do governo começam a caminhar para oposição. Um deles é o pedetista Allan Kardec (foto) que, de tanto ser pressionado pelas chamadas bases para reagir contra a PEC da...

Elogios à gestão proba Mauro Mendes

marcelo oliveira 400 curtinha   O secretário de Estado Marcelo de Oliveira (Infraestrutura e Logística), Marcelo de Oliveira (foto), fez questão de destacar nesta quarta, em entrevista ao vivo ao RDTV, tv web do portal Rdnews, que o governador Mauro Mendes tem se empenhado ao máximo para fazer uma boa gestão,...

2 frentes do MDB e apostas em Cuiabá

gustavo padilha 400 curtinha   O MDB vive uma situação curiosa em Cuiabá. Embora no comando da prefeitura, com Emanuel Pinheiro, o partido só conseguiu reconquistar cadeira na Câmara há três meses, com a filiação de Juca do Guaraná, aproveitando a janela partidária. Em 2016,...

Opositores ganham força em Barra

adilson gon�alves 400 curtinha   Grupos de oposição estão ganhando "musculatura" em Barra do Garças, numa expectativa otimista de derrotar o candidato apoiado pelo prefeito Beto Farias (MDB), o atual vice Wellington Marcos, que está filiado ao DEM. Wellington é considerado nome "pesado"...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.