Últimas

Segunda-Feira, 21 de Setembro de 2009, 08h:47 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

RUMO A 2010

Operadores do direito entram na briga e incomodam políticos

  Fernando Ordakowski
Clique na imagem para ampliação
O procurador de Justiça Paulo Prado, o juiz federal Julier da Silva e o procurador da República Pedro Taques: três autoridades do MP e do Judiciário e um só destino: cargo eletivo majoritário em 2010

   Num cenário raro na política, três "operadores do direito" estão mesmo dispostos a concorrer a cargos majoritários. Depois das articulações dos polêmicos juiz federal Julier Sebastião da Silva e do procurador da República Pedro Taques, agora entra no debate o procurador de Justiça Paulo Prado. Taques e Prado sonham com as duas cadeiras mato-grossenses no Senado que serão renovadas em 2010. Já Julier mira o cargo de governador. O que mais motivam essas personalidades que nunca concorreram a cargo eletivo e não possuem filiação partidária a entrar no páreo é a carência de novas lideranças na vida pública e o fato das pré-candidaturas colocadas até agora não empolgar o eleitorado de um modo geral.

   A um ano das eleições, os principais partidos lançam nomes tanto para governador como para senador mais para se valorizarem. O PSDB aposta todas as fichas no prefeito cuiabano Wilson Santos, que se vê "enrolado" com pepinos administrativos, como as obras do PAC e a crise na saúde pública. O PMDB empurra o vice-governador Silval Barbosa, que, mesmo com ajuda do governador Blairo Maggi (PR), "patina" nas pesquisas de intenção de voto. O DEM fala na pré-candidatura do senador Jayme Campos mas, nos bastidores, já acertou aliança com o tucanato, no sentido de apoiar Santos, nome que melhor pontua nas pesquisas. O PR já abriu mão de lançar nome para o Paiaguás.

    Os demais partidos, como PPS e PDT, estão na esperança de atrair figuras como Julier, Prado e Taques para, assim, se inserirem no debate. Por mais que demonstrem interesses, os dos procuradores e o magistrado têm conhecimento da série de barreiras que terão pela frente. A primeira delas é quanto ao emprego. Prado, por exemplo, acumula 20 anos no Ministério Público e já admite que, se tiver de abrir mão de vez do cargo, recuará da ideia de entrar na disputa eleitoral. Taques é o que mais demonstra desprendimento nesse sentido. Ele tem dito aos amigos que, fora do MPF, ganhará mais dinheiro com professor e advogado e, portanto, vai mesmo arriscar candidatura ao Senado. No caso de Julier, a tendência é de sua pré-candidatura ficar mesmo no balão-de-ensaio.

    De todo modo, a inserção no debate dos três tem trazido preocupação a outros virtuais concorrentes a cargos majoritários, como Santos, Silval e Jayme e também aqueles que sonham com cargo de senador, como Wellington Fagundes (PR), José Riva (PP) e Oswaldo Sobrinho (PTB). Nessa discussão, muitos começam a comparar perfil dos chamados políticos e que já acumulam vários cargos na vida pública com os "novatos" e que defendem renovação no quadro de representantes políticos da população mato-grossense.

Postar um novo comentário

Comentários (43)

  • matilde | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Tenho o maior respeito pelos tres candidatos, mas devo afirmar de que o eleitorado não nem um pouco preparado para saber escolher. é só ver as tranqueiras que foram eleitos para a cãmara de cuiabá. Por sinal alguem está fazendo alguma coisa pelo povo? Mas se forem candidatos o povo os elegerão novamente, e se tiver um rosto bonito ou aparecer na TV já está eleito. Acredito que sairão decepcionados do pleito... enfim vale experimentar para ver como é a realidade... Triste...

  • Kiara fernandes | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Só mesmo num Estado sem Lei e sem respeito as normas constitucionais,que pessoas que compõem o Poder Judiciário e o Ministerio Publico, usam e abusam do cargo,para se insinuarem de candidatos a mandatos eletivos,usando a caneta que possuem,para aparecerem, condenando ou mandando prender alguém,para ocupar espaço na imprensa e tornarem-se conhecidos,.Esta na hora dos Conselhos Nacionais de Justiça e do Ministerio Publico,abrir uma investigação sumária sobre as atividades ilegais desses cidadões. Esperem sentados, de que pé cansam, quem que vai votar nesses três tranqueiras.

  • leo dallas | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    cuiabano e acostumado a votar mal por isso wilsom galinho santos foi reeleito, seria muito bom ñ ter politico profissional e sim pessoas novas e de preferençia de passado limpo ñ a mesma corja sai morre dante surge um pior o povo ta na hora de vencer e votar certo

  • JEDAE | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    JULIER E TAQUES TEM TIRADO O SONO DE MUITA GENTE, QUE NEM DORME DIREITO. UNS COM MEDO DO CASÃO, OUTROS DE PERDER A BOQUITA. DE UMA COISA TENHO CERTEZA ABSOLUTA, RIVA SERÁ NOVAMENTE CANDIDATO A ESTADUAL, POIS COMO SENADOR OU GOVENADOR, FICARA EXPOSTO AOS 11O PROCESSOS NO LOMBO. É UMA SITUAÇÃO MEIO PERIGOSA!

  • Luiz Roberto Bilo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    P/ todo lado de qualquer canto desse País, só se ve as pessoas pedindo mudanças. Mas quando surge a oportunidade, não entendem e optam pelo continuismo. Mesmo que isso seja sinonimo de corrupção, falcatruas e até bandidagem mesmo.
    Tres distintos senhores de nossa sociedade, sem mácula, até o momento, se arvoram numa possivel candidatura, talvez até utopicamente pensando em melhorar a imagem de nossos imundos politicos. E são recebidos, absurdamente, com opiniões mais do que idiotas.
    Se queremos realmente mudanças, temos que abrir nossas mentes e corações e dar boas vindas a essa pleiade de notáveis que vem nutrir nossas esperanças de um futuro e uma qualidade de vida melhores.
    E mudança significa fazer diferente do que vem sendo feito. Esqueçam as práticas habituais. Tomem como exemplo a campanha que o Deputado Federal Fernando Gabeira, do Partido Verde, fez na sua candidatura a Prefeito da cidade do Rio de Janeiro, sem confeccionar santinhos, cartazes e demais materiais de campanha que poluem a cidade, e mesmo assim, chegou muito próximo da vitória. Inclusive com gasto de campanha 96% menor que seu oponente, conquistando definitivamente o respeito de correligionários e adversários politicos.
    Acordem! Precisamos de um mundo melhor e os que aí estão, jamais nos propiciarão nada melhor do já existe.
    Se qualquer um dos 3 for candidato, independente de bandeira, terá o apoio das pessoas sensatas da sociedade matogrossense.

  • JOAO DE DEUS | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    pARA ELEGER-SE TEM QUE TER GRANA $$$$$$.
    será quem vai bancar as eleições dos MAGISTRADOS CERTINHO DE MATO GROSSO.

    Dizem a piopulação que a $$$ já esta disponivel!
    só espero que naO seja ACORDO com pessoas de má Indole....

    CVAMOS ESPERAR E AGUARDAR ESSES MAGISTRADOS QUE POSAM DE SANTINHO .....


    SEM NGRANA VOCES NAO ELEGE ISSO ESTA MAIS QUE SACRAMENTADO. E AGORA !!!!!
    A POPULAÇÃO VAI QUERER SABER

  • JOSE CARLOS ARAUJO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    O meu Sao Benedito, manda eles colocarem a cara para ver ver o que e uma eleiçao, seja ela majoritária e proporcional, eles nao passam do rio Aricá de desconhecidos, eles acham que e facil ser candidatos, o poder da caneta na mao e facil como e bom mandar sem ter que ralar. Mais boa sorte a voces, quero saber da onde vai sair o dinheiro para a campanha, ou estao achando que e de graça, e vces sao tao feios que a cara nao ajuda....

    Jose Carlos.

  • jl | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    PAULO PRADO, DEUS ME LIVRE.

    PEDRO TAQUES NÃO TEM BAGAGEM.

    DR. JULIER COMO JUIZ ESTAS EXCELENTE, JÁ COMENTEI SOBRE VC. ANTERIOMENTE, NÃO ENTRE NA POLITICA, VC. FICARÁ IGUAL AOS OUTROS QUE TEMOS AI, FIQUE NA JUSTIÇA QUE VC. TERÁ MAIS RESPALDO COM A SOCIEDADE MATOGROSSENSE, UM ABRAÇO.
    uma simples opinião de um Cuiabano.

  • Ze do Povo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Que venha os três e outros mais............ora ço.

    Vão levar uma .........

  • Jose Gonçalo da Silva | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Podem tirar os cavalinhos da chuva, porque na política não tem lugar pra vocês. Somente para pessoas do quilate de Riva, Chica Nunes, Marcelo Ribeiro, Lutero Ponce ...............

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

3 candidatos competitivos em Sinop

roberto dorner 400   Apesar da "inflação" de candidatos a prefeito de Sinop, com cinco no páreo, a disputa tende a se acirrar mesmo entre o empresário Roberto Dorner (foto), do Republicanos e apoiado pela prefeita Rosana Martinelli (PL), o ex-prefeito e deputado Juarez Costa, que atraiu 10 partidos para o palanque, e o...

Ex-prefeito no páreo em Alta Floresta

robson silva 400 curtinha   Alta Floresta, uma das cidades pólos do Nortão, tem sete candidatos a prefeito. Um deles é Robson Silva (foto), empresário, ex-prefeito entre 93 e 96 e que concorre pelo MDB, mesmo partido do prefeito Asiel Bezerra, que está encerrando o segundo mandato e se tornou um dos principais...

Vice sinopense quer retornar à Câmara

gilson de oliveira 400 curtinha   O vice-prefeito de Sinop e apresentador de TV, Gilson de Oliveira (foto), resolveu concorrer a vereador, cadeira já ocupada por ele por dois mandatos, o primeiro pelo PSDB, entre 2005 e 2008, e, depois, pelo PSD (2009/2012). Foi candidato a deputado estadual duas vezes (2006 e 2010) e, como suplente da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.