Últimas

Domingo, 24 de Dezembro de 2006, 02h:36 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Os dois mato grossos

 

A acelerada modernização da agropecuária de Mato Grosso proporcionou uma revolução econômica nunca vista antes na trajetória histórica do Estado. É o que garante o economista Vivaldo Lopes, em artigo no Diário de Cuiabá deste domingo (24).

Confira o artigo de Vivaldo na reprodução abaixo.


Os dois mato grossos

     A acelerada modernização da agropecuária de Mato Grosso proporcionou uma revolução econômica nunca vista antes na trajetória histórica do estado.

     Mato Grosso já teve visionários empreendedores que montaram grandes indústrias como a usina de açúcar Itaicy, no município de Santo Antonio de Leverger, a Descalvados, que produzia e exportava charque e extrato de carne em Cáceres e a multinacional Herva Mate Laranjeira, em Dourados. Nem mesmo esse período de opulência econômica, entre os anos de 1870 e 1950, é comparável ao estágio de desenvolvimento econômico que o estado alcançou a partir da ocupação produtiva dos cerrados do centro oeste. Implementada por uma decisão estratégica dos governos militares de expandir as fronteiras agrícolas do país, foi beneficiada por uma série de descobertas científicas no campo da biotecnologia que permitiram desenvolver novas técnicas de fertilização dos seus áridos solos e variedades de sementes que se adaptaram às condições edafo-climáticas de Mato Grosso.

    Saímos, em algumas décadas, da posição de economia periférica de produção de subsistência para uma economia moderna que, apesar de ainda ter quase toda sua base produtiva sustentada em bens primários (grãos, carnes, fibras, madeira e minérios), alcançou patamares de produção e produtividade que a transformaram num dos mais importantes estados brasileiros na produção agropecuária e a transformou numa plataforma exportadora de importância mundial. O avanço e modernização da agropecuária fez a inserção competitiva de Mato Grosso na economia nacional e mundial. Os próximos passos do ciclo virtuoso de crescimento do estado passa por uma diversificação de sua base produtiva e pela industrialização, tendo como carro-chefe a agroindústria.

    Todavia, é necessário que toda a sociedade mato-grossense reflita sobre as distorções sociais e humanitárias que nem mesmo o vigor do dinamismo econômico das últimas décadas tem conseguido reduzir. O estudo dos indicadores sociais, de saúde, econômicos e demográficos dos municípios mato-grossenses indicam a existência de dois mato grossos que convivem no mesmo território físico. O Mato Grosso Califórnia e o Mato Grosso Haiti. Os habitantes do primeiro vivem num verdadeiro paraíso econômico e de bem estar social, com padrão de renda, consumo, oferta de bons serviços públicos e qualidade de vida idênticos aos melhores países desenvolvidos como Noruega, Dinamarca, Suécia e Finlândia. Fisicamente, esse Mato Grosso está nos cincoenta municípios que têm as economias mais dinâmicas do estado. Quase todos têm sua economia sustentada na moderna produção agrícola. A renda per capita e o IDH médio desses municípios são superiores à média do país. O nível de escolaridade e expectativa de vida são elevados e o analfabetismo e mortalidade infantil são baixos. No outro Mato Grosso a situação é completamente diversa. Os municípios do Mato Grosso Haiti apresentam forte migração de sua população jovem, níveis de pobreza muito alto, suas economias estão estagnadas há anos, suas administrações públicas dependem dos repasses obrigatórios federais e estaduais. Uma das principais fontes de renda são os baixos salários públicos e os parcos benefícios das aposentadorias. Nesses municípios concentram-se a maior quantidade de famílias que vivem na linha de pobreza absoluta e os piores níveis de oferta dos serviços de saneamento básico.

    O esforço para enfrentar e solucionar tal situação não deve ser obrigação apenas de governantes. Antes, deve ser de todos os mato-grossenses. Cidadãos comuns, governantes, líderes políticos, empresas, líderes empresariais, religiosos, universidades e instituições não governamentais. Não terá consistência qualquer plano estratégico de desenvolvimento para Mato Grosso que não estabelecer objetivos, metas e procedimentos operacionais para a solução desse abismo social e econômico que separa esses dois mato grossos.



   * VIVALDO LOPES é economista, especializado em Gestão Financeira pela FIA/USP, consultor da Fundação Getúlio Vargas

vivaldo@uol.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Opositores ganham força em Barra

adilson gon�alves 400 curtinha   Grupos de oposição estão ganhando "musculatura" em Barra do Garças, numa expectativa otimista de derrotar o candidato apoiado pelo prefeito Beto Farias (MDB), o atual vice Wellington Marcos, que está filiado ao DEM. Wellington é considerado nome "pesado"...

Cuiabá já conta com 10 "prefeitáveis"

paulo grando 400 curtinha novo   Dez partidos já possuem um ou mais pré-candidatos a prefeito de Cuiabá. E a "inflação" de nomes tende a aumentar empurrada pela necessidade de sobrevivência dessas legendas, que, lançando nome à majoritária, ajudam seus candidatos a vereador na busca por...

Apoio de Bolsonaro é aposta de França

roberto franca 400 curtinha   Roberto França (foto) segue cheio de esperanças do apoio de Bolsonaro a seu nome como pré-candidato a prefeito de Cuiabá. Entre o sim e o não, preferiu seguir o calendário eleitoral e se afastar da apresentação do seu tradicional programa de TV Resumo do Dia, de...

Adin contra nomeação em Cáceres

angelo audicom 400 curtinha   Presidida por Ângelo Silva de Oliveira (foto), a Audicom-MT, entidade que congrega auditores e controladores internos dos municípios do Estado, ingressou com Adin no Tribunal de Justiça, pleiteando liminar para, assim como ocorreu em Rondonópolis, também derrubar uma lei em vigor...

Viúva de Adriano disputa em Cáceres

anelise silva 400 curtinha   Anelise Silva (foto), viúva do ex-reitor da Unemat e ex-deputado Adriano Silva, lançou pré-candidatura à prefeita de Cáceres pelo DEM do governador Mauro. Ela enfatiza que sofre a dor da perda e que decidiu entrar no páreo para dar continuidade ao projeto de Adriano de...

Vereador tenta barra compra de cestas

diego guimaraes 400 curtinha   O vereador pela Capital, Diego Guimarães (foto), denunciou junto à Ouvidoria do TCE o que definiu como irregular a aquisição, com dispensa de licitação, de cinco mil cestas básicas de alimentos pela secretaria municipal de Assistência Social e Desenvolvimento...

MAIS LIDAS

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.