Últimas

Quinta-Feira, 25 de Janeiro de 2007, 07h:55 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

PAC... grandes promessas!

    Em artigo nesta quinta (25), em A Gazeta, o economista Amado de Oliveira Filho considera que, se a maioria das promessas do PAC feitas a MT for cumprida, o Estado terá resolvido grande parte dos sérios problemas de logística. Confira reprodução abaixo.

   Em uma análise minuciosa do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) lançado pelo governo federal, verifica-se a maior promessa que o Estado de Mato Grosso já conheceu em toda a sua história. Se cumprido, nosso Estado terá resolvido grande parte dos sérios problemas causados pelo seu fator locacional, que se agrava com as atividades do agronegócio, que se caracteriza como contratante de grandes volumes de transporte.

   A começar pela duplicação da BR-163/364 de Rondonópolis ao Posto do Gil que para seus usuários parece um sonho impossível. Se concluída otimizará o transporte de grãos de toda a região do Médio-Norte mato-grossense, facilitando a alimentação da ferrovia, que, como prevê o PAC, chegará a Rondonópolis, outro grande sonho, se levarmos em conta o interesse da América Latina Logística (ALL) em seu último evento em Cuiabá.

   Já a construção de um trecho da BR-242, ligando Sorriso a Cocalinho, em Mato Grosso, ou seja, ligando a BR-163 à BR-158, ambas também com conclusão garantida no PAC, é algo tão grandioso para a economia de nosso Estado que incluirá uma grande região produtiva no cenário econômico nacional com amplas possibilidades de exportação da produção. Uma promessa e tanto!

   Em sentido oposto, o PAC assegura a conclusão da BR-364 no trecho Diamantino a Comodoro, oferecendo duas alternativas de escoamento da produção, tanto pela Hidrovia da Hermasa, como através da BR-163, alcançando o Porto de Santarém. As alternativas de escoamento da produção ganharão também a construção de um alcoolduto/polioduto ligando Cuiabá a Paranaguá, no Paraná, permitindo a exportação de biodiesel.

   A infra-estrutura logística, mesmo sem novidades no segmento hidroviário, apenas com a dragagem da hidrovia Paraguai/Paraná, para Mato Grosso está de bom tamanho. Porém, o PAC é composto ainda pela infra-estrutura energética e social-urbana, que trataremos em outra oportunidade, mas pode-se afirmar que nestas Mato Grosso não tem grande participação. Agora a pergunta que se faz: tudo isto é possível?

   Sem sombras de dúvidas um dos empecilhos o ministro Mantega já denunciou à Nação, quando dizendo: "Viu, Meirelles? O mercado está esperando a queda das taxas de juros!". Esta questão é de grande relevância, já que mais de R$ 240 bilhões terão que vir de investidores privados. Outros empecilhos serão os estados das grandes economias, especialmente os da região Sudeste, que espernearão em função das perdas de receitas pela desoneração tributária prevista, além dos já conhecidos de natureza política.

   Uma observação nada positiva do plano é o anúncio de seu valor global, de mais de R$ 500 bilhões. Este montante é também resultado da somatória dos orçamentos das estatais, que quando se observa o nível de detalhamento das obras que serão realizadas, percebe-se claramente que estamos vendo o orçamento plurianual da Eletrobrás, Petrobras, Caixa Econômica Federal, Dnit, etc, que seria realizado no período. O lado bom é que ao abrir isto à nação, quem sabe sejam de fato executadas dentro de um cronograma que atenda aos diversos agentes econômicos.

   Se tudo der certo, Mato Grosso se tornará um dos estados mais viáveis da Federação, os investimentos privados serão vistos em todo o Estado, teremos finalmente uma competição entre os custos de fretes rodoviários, ferroviários e hidroviários, mesmo estando as hidrovias fora do Estado de Mato Grosso. Precisamos acreditar, esta é a única forma de conseguirmos a sustentabilidade econômica ao agronegócio mato-grossense.

  Amado de Oliveira Filho é economista em Cuiabá e escreve às quartas-feiras em A Gazeta (amadoofilho@ig.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Políticos querem suspender eleição

Cresce o movimento entre políticos para adiar as eleições municipais de outubro. O argumento utilizado é o impacto que o coronavírus terá na economia, saúde e vida das pessoas. Isso porque, neste ano, uma vacina não deve ficar disponível ao mercado e os prejuízos causados pela Covid-19 ainda estão só começando. Entre os políticos de MT que defendem adiar o pleito para 2022, quando a...

Ex-vereador, demagogia e contradição

everton pop 400   O ex-vereador por Cuiabá e apresentador de um programa popular de TV que leva o seu nome, Everton Pop (foto), gravou um vídeo em que critica o fato da Mesa Diretora da Câmara da Capital pagar os servidores todo dia 20, antecipando o salário em 10 dias do fechamento do mês. Pop só não...

Jayme é contra decreto do governador

jayme campos 400 curtinha   O senador Jayme Campos (foto), que já foi governador e prefeito, engrossa a lista dos que defendem isolamento social mais rigoroso neste momento. A postura vai na contramão do correligionário Mauro Mendes. O governador editou decreto que prevê a abertura de shoppings e comércio, desde...

EP e 2 medidas junto à Águas Cuiabá

emanuel pinheiro 400 curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro (foto) impôs duas medidas à concessionária Águas de Cuiabá. A empresa está proibida de cortar a água de inadimplentes e não terá direito a um aumento de 6%, aprovado pela Arsec. As medidas, segundo o prefeito, são...

Vice e o uso político do Creci pró-Julio

claudecir 400 creci curtinha   O sindicato dos profissionais do Mercado Imobiliário de Mato Grosso, sob Juliano Lobato, em nota de repúdio, detona o atual vice-presidente do Creci-MT, Claudecir Contreiras (foto), para quem está fazendo uso político da entidade e beneficiando, de forma descarada, o...

Toninho e expectativa de retorno à AL

toninho 400 curtinha   Toninho de Souza, que no ano passado estreou como deputado, permanecendo no cargo por 46 dias, no lugar de Eduardo Botelho, vive expectativa de retornar à cadeira na Assembleia. Mas isso vai depender de uma decisão de Janaína Riva, que está no quarto mês de gravidez. Ela tem...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.