Últimas

Sexta-Feira, 29 de Dezembro de 2006, 00h:00 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Percepções sobre 2006 e 2007 (2)

      O jornalista Onofre Ribeiro escreve hoje (29) no Diário de Cuiabá que "a crise do agronegócio acabou setorizada, com reflexos sobre o conjunto econômico, mas não foram efeitos mortais".

Confira na reprodução abaixo.

     Em 2006 a economia de Mato Grosso foi surpreendida pelos efeitos da crise sobre o agronegócio e teve a impressão de que o estado falira. Engano. A crise do agronegócio acabou setorizada, com reflexos sobre o conjunto econômico, mas não foram efeitos mortais. Ficou claro que os setores da indústria, do comércio e dos serviços têm vida própria.

Porém, a crise serviu para algumas percepções importantíssimas:

      1- o setor agrícola se uniu e foi à luta com movimentos de protesto. O tratoraço foi um deles, além de seminários políticos em São Paulo e em Brasília para discutir a crise e a busca de soluções econômicas e políticas. No mínimo, fez o governo federal entender que fora de Brasília existe vida produtiva e cidadã;

      2- o setor buscou alternativas inteligentes e inovadoras, como os biocombustíveis, uma das coisas mais espetaculares da história brasileira recente. Surgiu nas fazendas o chamado “biodiesel caipira”, uma mistura de álcool, ou de diesel a óleo de soja esmagado ali mesmo. Hoje já se tem uma usina de produção de biodiesel no estado, mais 25 consultas para projetos pequenos, médios e grandes para produção de biodiesel. Isso dribla o preço maluco do diesel na produção agrícola. Mato Grosso poderá, em dois anos, tornar-se grande exportador de álcool de cana e de biodiesel. Espera-se 1 milhão de novos hectares plantados com cana nos próximos dois anos;

     3- o setor industrial está se juntando ao agrícola, através de dois projetos pioneiros de aglomerado agroindustrial para abate de 2 milhões de frangos/dia em 2007. Isso reflete em compra firme de grãos e na transformação de grãos em carne. A agregação tecnológica e de valor no estado será fantástica diretamente e através das cadeias acessórias e de projetos semelhantes já encaminhados;

     4- o reflorestamento, o manejo sustentado e a agregação de valor à madeira, são resultados da malfadada “Operação Curupira”, de junho de 2005, que arrasou com o setor de base florestal. Mas ele está se resgatando por sua por sua própria força e empreendedorismo;

    5- o setor energético está avançando muito acelerado, quer por 12 usinas hidrelétricas pequenas em construção, por uma grande a se iniciar em 2007 em Aripuanã, e a de Couto Magalhães, no rio Araguaia, na reta final das discussões. Isso, fora dois grandes linhões, um para o Sul e outro para o Noroeste.

     Ainda continua jogando contra a economia mato-grossense a infraestrutura de transportes, que usa rodovias construídas entre 20 e 30 anos. Elas transportavam a produção de 2 milhões de toneladas de grãos, e hoje mais de 26 milhões. É um gargalo total.

     Contudo, uma coisa está bem clara: a economia mato-grossense a cada dia se desvincula mais da política e se globaliza, apesar da carga tributária e dos juros altos. O empreendedorismo, porém, é maior do que a má vontade oficial.

     Mato Grosso saiu da crise e terá em 2007 a recuperação do 1 milhão de hectares agrícolas não-plantados em 2006/2007. Será um ano de atividades econômicas muito diversificadas e não ligadas a este ou àquele setor produtivo. Tempos promissores! As crises sempre foram boas professoras. Como a dor, que ensina gemer.



    * ONOFRE RIBEIRO é articulista deste jornal e da revista RDM (onofreribeiro@terra.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

3 deputados sob certa cordialidade

janaina riva 400 curtinha   Max Russi, Eduardo Botelho e Janaina Riva (foto), que mandam na Assembleia, demonstram entre eles um certo clima de cordialidade, mas chegaram a entrar em queda-de-braço até fechar um novo acordo político sobre a Mesa Diretora. Com a decisão do Supremo de veto a Botelho no comando do...

Expediente na AL só a partir do dia 8

max russi 400   Por causa do aumento da taxa de incidência de Covid-19 entre servidores e parlamentares, as atividades presenciais da Assembleia foram suspensas na quinta (25). O expediente só retoma em 8 de março. Neste período, estão sendo mantidas somente as atividades estritamente essenciais para o...

Estado paga os servidores nesta 6ª

mauro mendes 400 curtinha   Servidores do Estado recebem salário de fevereiro hoje, dentro do mês trabalho. É a sexta vez seguida que o governador Mauro Mendes consegue pagar a folha dos ativos, inativos e pensionistas antes da virada do mês, depois de promover reformas, redução da máquina e...

Sistema de saúde sob colapso em ROO

Em Rondonópolis, cidade-polo da região Sul, que abrange 17 municípios, não há mais leitos de UTI para socorrer pacientes em quadro grave de Covid-19. Todos os 30 do hospital Santa Casa estão ocupados, inclusive um leito de UTI reservado para atender outros casos, acabou destinado para paciente com o novo coronavírus. Há 10 leitos de UTI no Hospital Regional e todos também estão lotados. Várias pessoas em...

Deputado, Mesa da AL e incoerência

claudinei 400   Claudinei Lopes (foto), delegado de polícia que, na onda Bolsonaro, se elegeu deputado pelo PSL, em 2018, se mostra cada vez mais incoerente. É daqueles que gostam de levantar polêmicas e críticas, mas sem consistência. Ele se manifestou, por exemplo, contra a reeleição à Mesa...

Dilmar ensaia disputa para federal

dilmar dal bosco 400   Todos os deputados estaduais querem buscar a reeleição, com exceção de Dilmar Dal Bosco (foto), que está no terceiro mandato. Integrante da nova Mesa Diretora da Assembleia, como primeiro-vice-presidente, e líder do Governo Mauro, Dilmar não esconde o desejo de disputar cadeira...