Últimas

Terça-Feira, 03 de Março de 2009, 19h:39 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:22

ESPORTE

Pinheiro não paga hotel; jogadores são despejados

   O ex-vereador por Cuiabá e presidente do Mixto Esporte Clube, Júlio Pinheiro (PTB), recentemente acusado de ter dado calote de R$ 30 mil durante sua campanha eleitoral do ano passado - confira aqui -, agora se vê às voltas com mais um escândalo. Jogadores do Mixto, hospedados há 40 dias em um hotel no bairro Alvorada, na Capital, foram proibidos de entrar em seus quartos por falta de pagamento. As despesas são de responsabilidade da diretoria do clube. Depois de muita conversa, o hotel liberou um quarto para os jogadores pernoitarem. Mesmo assim, a bagagem de todos eles permaneceu trancada.

   O Mixto mantém uma pequena casa no bairro Lixeira, onde o espaço está "apertado". Assim, os jogadores Moura, Hilton Mineiro, Rafael Fava, Alex Sorocaba e Davi, foram hospedados no hotel, que alega não receber as diárias há 15 dias. O pagamento deve ser efetuado a cada três dias, segundo o gerente do estabelecimento.

   O goleiro do Mixto, Rafael Fava, "jogou a toalha" por não suportar mais a situação. "Para mim já deu. Não tenho mais condições de suportar tudo isso e deixar minha família sozinha", desabafa o atleta. Mais uma vez, o "pepino" voltado a dívidas financeiras cai sobre os ombros de Júlio Pinheiro, ex-presidente da Agência de Habitação da Capital e ex-vereador que foi derrotado à reeleição nas urnas do ano passado. (Flávia Borges)

  

                               Clique no play e veja mais em reportagem da TVCA

Postar um novo comentário

Comentários (10)

  • IVAN DE MATTOS | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sou MIXTENSE DE CORAÇÃO, amo o meu time e se ele for jogar contra DEUS continuo torcendo para o meu MIXTO. Com Relação as pessoas que fizeram seus comentários temos que respeitar mais com certeza com exceção a JOEDSON os demais não vão ao estádio para assistir aos jogos de futebol. Resido na cidade de Várzea Grande ,ais precisamente no bairro Asa Bela e quando tem jogos do meu MIXTÃO no Verdão alí me desloco juntamente com meu amigo ROMUALDO para assiatir o jogo. O MIXTO realmente está passando por uma fase um pouco dificil mais vamos sair dessa e inclusive chegar as finais do campeonato e ser campeão, dai sim vai aparecer um bando de neguinho dizendo ser MIXTENSE e aproveitar da situação. Com relação ao goleiro FAVA que o mesmo vá embora plantar favas em outros terrero popis o mesmo durante o pouco tempo que esteve no MIXTO só deu disabores.

  • José Luis Laranja | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Essa situação não me espanta, pois há muito anos, é a pura realidade do futebol mato-grossense, não só do Mixto, mas de todos os times do Estado. Como melhorar o futebol profissional, se ainda existem dirigentes amadores!

  • Berinho Donato | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Presidente de clube popular que não consegue se eleger vereador... tem que ser muito ruim.
    Erraram até no nome do moço: ele deveria se chamar Julio Trambiqueiro...ou Julio Caloteiro.
    Merece o quê, pela proeza? Esses jogadores do Mixto parece ter sangue de barata... Por que não tomar uma atitude tête-à-tête com o homem, e reagir à altura?...

  • Jeferson Campos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É inadminssível que um clube com a tradição e com uma imensa torcida como o MIXTO seja administrado de forma tão amadora.

    Hoje o MIXTO não tem Centro de treinamento, república, diretoria, categorias de base, jogadores e o pior nem credibilidade do Presidente.

    Nenhum patrocinador vai colocar dinheiro nas mãos de uma pessoa com a imagem do Sr. Júlio Pinheiro.

    Não existe forma de destituí-lo do cargo??

    Não existe nenhum empresário que preze pela gestão competente e profissional que aceite esse desafio?

    Vamos analisar o MIXTO disputa o Campeonato Mato-grossense, a Copa do Brasil e será um dos representantes do Estado na Série C.

    Se essa situação não for resolvida urgentemente e o MIXTO cair da série C o futebol do clube vai, com certeza, desaparecer.

    Alguém tem que aceitar este desafio....

  • SÉRGIO ALCÂNTARA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ESTE JULIO PINHEIRO É FRACO HEIM!!! VAMOS RESPEITAR...

    DEPOIS DAQUELA ESTÁRIA DO CHEQUE DE R$ 30.000,00, AGORA VEM ESTA?

  • Antonio Carlos Cuiabano | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Mais um dos historicos psdb, que mudou de partido mas continua pilantra como sempre.

  • Ricardo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

  • joão nepomuceno | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sou do tempo em que jogos no verdão atraíam, por exemplo, num clássico entre Mixto x Operário, mais de 40 mil pessoas(!!!).
    Naquele tempo todas as rádios e tvs davam cobertura, tinham programas esportivos decentes. Hoje tá tudo acabado. Os principais times da capital não tem sede, não tem campo de treinamento, não tem condições de pagar salários decentes, não tem condições de fornecer alojamento, alimentação, etc. Alguns times foram fundados, participaram de competições e logo pararam de funcionar(Ex: Berga, Cuiabá, Ação, Dom Bosco). Os dirigentes que hoje estão comandando os times parecem donos. Mandam e desmandam.
    O Mixto por sua tradição deveria ter o mesmo papel no futebol do Brasil que o Goiás representa hoje. Sempre em destaque, sempre participa da série A, celeiro de jogadores.
    Para se resolver o problema do futebol de Mato Grosso deveria haver uma parceria clube-empresa, administração profissional, planejamento estratégico, gerência de futebol.
    Dá vergonha hoje dizer que torço pra um time de futebol profissional que não tem, posso afirmar com certeza, a estrutura de um time de futebol amador.
    É uma pena!

  • Joedson Pinheiro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    A BEM DA VERDADE.

    O Mixto Esporte Clube fez uso do hotel para a hospedagem de alguns jogadores, Treinador e Prep. de goleiros.

    Posteriormente os Srs. Renne e Sidney trouxeram mais 03 jogadores e ficaram, também, hospedado no mesmo hote.

    Após um certo periodo de hospedagem o Mixto, através de um dirigente, fez o acerto de contas, cerca de 8 mil reais, cujo valor ficou sob a responsabilidade da equipe.

    Ficou estabelecido o prazo para que os jogadores, treinador e prep. de goleiros fizessem a desocupação do hotel, e no prazo pré estabelecido os jogadores contratados pelo Mixto e comissão técnica deixaram o hotel, porém os jogadores trazidos pelos empresários continuaram no hotel, juntamente com seus empresarios.

    Mesmo comunicado que o Mixto não tinha mais nenhuma responsabilidade relativo tais hospedagem, tais pessoas continuaram alí hospedados.

    Há cerca de 07 dias os empresários retornaram para são Paulo e mantiveram seus jogadores hospedados em tal hotel.

    Como não apareceu responsavel por tais despesas o proprietário do hotel não teve outra alternativa ( de forma correta , pois, os jogadores foram avisados que isso iria ocorrer).

    Quanto ao Sr. Fava, o mesmo se recusou a ser reverva, pediu pra fazer a sua rescisão. Disse que não veio pra ser reserva em MT. Caso já resolvido, teve ser contrato rescindido.

    O Mixto é uma instituição que está acima de qualquer ideal politico ou pessoal. As pessoas passam , instituição continua. Em vez de se fazer criticas, muitas vezes sem houvir as partes ( esse caso) porque não juntar forças para que talvez possamos resgatar o futebol de autrora.

  • Antonio de Figueiredo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    E desta forma que o nosso futebol está cada vez mais pior, esse tipo de gente caloteira devem ser banida tanto do esporte como da política. Não dá mais para aguentar essas pessoas no nosso meio, esse tipo de gente só atrapalha o desenvolvimento esportivo do estado é uma vergonha!

Um novo embate entre Diane x Adair

diane alves 400 curtinha   Adair José Alves Moreira, que vinha atuando na assessoria do vice-governador Otaviano Pivetta, decidiu mesmo concorrer de novo à Prefeitura de Alto Paraguai. Ele já foi prefeito por duas vezes. Adair será o principal nome da oposição à prefeita democrata Diane Alves (foto),...

Taques ofuscado e sob mira do MPE

pedro taques 400 curtinha   Pedro Taques (foto) achou que o recall dos tempos de senador e governador, ajudando-o a se posicionar de forma razoável nas pesquisas, bem antes do início da campanha, o manteria como favorito na corrida ao Senado. Ledo engano. Não levou em consideração o alto índice de...

2 caciques não disputam Alto Garças

roland trentini 400 curtinha   Após décadas de rixas, de campanhas ostentadoras, rachas e brigas eleitorais intermináveis em Alto Garças, os ex-prefeitos Rolando Trentini (foto) e Júnior Pitucha resolveram não mais concorrer ao Executivo. Mas, um deles segue se movimentando nos bastidores. Pela...

Um ex-prefeito inelegível em Poconé

clovis martins 400   Dificilmente o ex-prefeito petebista Clovis Damião Martins (foto) terá registro de candidatura a prefeito de Poconé deferido pela Justiça Eleitoral. O promotor de Justiça, Mário Anthero, já pediu impugnação do registro do petebista por inelegibilidades. Clovis, que...

Briga em Sinop entre Juarez e Dorner

juarez costa 400 curtinha   Em Sinop, a briga eleitoral caminha para tensão e acirramento entre o emedebista Juarez Costa (foto) e Roberto Dorner (Republicanos). Hoje, o ex-prefeito seria eleito, mas Dorner vem crescendo nas adesões, com ajuda do vice de sua chapa, ex-vereador Dalton Martini (Patriota). O apoio da prefeita Rosana...

França elegível; CNJ desatualizado

roberto franca 400 curtinha   O advogado Rodrigo Cirineu, que assumiu a assessoria jurídica da campanha a prefeito de Cuiabá de Roberto França (foto), assegura que o ex-prefeito está elegível. Explica que o cadastro de inelegibilidades do Conselho Nacional de Justiça, constantando ainda o nome de...