Últimas

Sexta-Feira, 07 de Setembro de 2007, 12h:10 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Porque reeleger Serys presidente do PT!

   Uma das conquistas do 3° Congresso do PT foi a convocação do PED-Processo de Eleições Diretas para dezembro de 2007. Com direções municipais, estadual e nacional oxigenadas poderemos enfrentar as eleições 2008 com muita Força e Unidade.

    Em Mato Grosso, Serys foi eleita em 2005 com o apoio de cinco tendências ou agrupamentos: AE-Articulação de Esquerda, DS-Democracia Socialista, Utopia e Vida, Coletivo do mandato da Deputada Vera Araújo e pelo Coletivo de seu mandato como Senadora. Foi uma disputa apertada contra  o Deputado Ságuas Morais, candidato da tendência Unidade na Luta, que representava a continuidade da desastrosa “Gestão” de Alexandre César. Quando falo desastrosa garanto que estou sendo tímido na crítica.

   O mandato de Serys foi um grande desafio. Com uma direção tocada apenas pelos seus companheiros de chapa e esvaziada pela tendência derrotada, ela comandou o PT no péssimo cenário que nos cercou nas eleições de 2006. Mesmo sabotada com armações que se articularam dentro do próprio partido e que produziram a maior campanha de calúnias de que alguém já foi vítima em nosso Estado, sua gestão conseguiu manter nossa bancada Estadual e Federal com a eleição de Ságuas, Ademir Brunetto e Carlos Abicalil.

    Enfrentou as questões financeiras (dividas da campanha de Alexandre César herdada pelo PT de Cuiabá e Estadual) se posicionando corretamente ao reconhecer apenas as dividas oficiais, declaradas ao TRE. Estabeleceu a transparência total das contas do PT. Foi solidária, apesar das traições, armações e golpes planejados contra ela. Foi conciliadora quando pediu calma a muitos companheiros que fazem política ao seu redor. Perdi a conta de quantas vezes me pediu paciência.

    Serys tem a confiança dos militantes do PT de Mato Grosso. Sua candidatura significa a unidade da chapa que a elegeu em 2005. Temos pela frente quatro grandes batalhas: a eleição das novas direções partidárias em dezembro de 2007; as eleições municipais de 2008; a eleição de uma nova direção partidária em 2009; e as eleições quase gerais de 2010. O PT de Mato Grosso precisa de sua maior liderança à frente da direção estadual.

  O “Ex-Campo Majoritário” de Alexandre, Abicalil e Cia não têm credibilidade para conduzir o PT de Cuiabá e de Mato Grosso frente a tais desafios. Seria o retorno da inoperância, da administração temerária, dos interesses da tendência deles acima da construção partidária. Se fosse um filme, o nome bem que poderia ser “O Retorno dos Aloprados!”.

    Serys será conduzida à direção partidária com ampla maioria no PED de dezembro. Acredito que poderá ser a candidata de consenso para a presidência estadual do PT.

    Reeleger Serys é uma forma de reconhecer seu modelo de gestão política e administrativa à frente do Diretório Estadual.  Reeleger Serys é manter o PT como protagonista nas eleições de 2008 e 2010, impedindo que grupos entreguem o PT em 2008 como moeda de troca por uma boa posição na Chapa de Blairo em 2010.

    O PT se alicerça no pluralismo político e fiel a esse princípio devemos continuar militando e dirigindo o Partido reconhecendo os direitos e espaços das diferentes correntes, inclusive da tendência Unidade na Luta. Mas também é imperioso continuar a travar a disputa ideológica que norteia as concepções partidárias. A concepção da UL com certeza não é a mesma daqueles que querem um PT com forte democracia interna, construtor do socialismo e visceralmente independente.

     Por todas essas razões é que não podemos permitir que essa tendência volte a ser majoritária, no Mato Grosso e na Brasil.

 Jairo Rocha
Presidente do PT de Cuiabá
(
jairodopt@hotmail.com)

Lázaro Donizete da Silva
Presidente do PT de Várzea Grande
(
donizetept@bol.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Deputado ajudou a enterrar Binotti

neri 400 curtinha   O deputado federal Neri Geller (foto), que se acha um grande líder político, ajudou a enterrar nas urnas o projeto de reeleição do prefeito Luiz Binotti (PSD), derrotado à reeleição. Perdeu para o ex-vice-prefeito Miguel Vaz (Cidadania), que contou com apoio do ex-prefeito e atual...

Euclides "torra" R$ 8 mi na campanha

euclides ribeiro 400 curtinha   O advogado milionário Euclides Ribeiro (foto), que tem na carteira de clientes grandes produtores rurais, registra R$ 8,2 milhões de receitas e despesas de campanha ao Senado. Concorrendo pelo Avante, Euclides só chegou a 58.455 votos. Ficou em nono lugar, à frente apenas de Reinaldo...

Fávaro é quem mais gastou ao Senado

carlos favaro 400 curtinha   O senador reeleito Carlos Fávaro (foto) foi o que mais gastou na campanha. Oficialmente, arrecadou R$ 11,7 milhões. As maiores contribuições financeiras vieram de empresários do agronegócio. Orcival Guimarães, dono de rede de empresas de implementos agrícolas, doou...

Beto deve repensar projeto a federal

beto farias 400 curtinha   A derrota nas urnas do seu afilhado político, vice-prefeito Wellington Marcos (DEM), que tentou o Executivo de Barra do Garças e ficou em segundo lugar, obtendo somente metade dos votos em relação aos atribuídos ao eleito Adilson Gonçalves, pode levar o prefeito Beto Farias (foto)...

Erros estratégicos e fim de mandato

niuan ribeiro 400   Niuan Ribeiro (foto) termina melancolicamente o mandato de vice-prefeito da Capital, marcado pela ambiguidade, erros estratégicos e vacilações. Logo no início da gestão, resolveu romper politicamente com o prefeito Emanuel, a quem passou a criticar, achando que se consolidaria como...

Retorno ao TCE ou cargo no governo

marcelo bussiki 400 curtinha   A partir de 1º de janeiro, com o fim do mandato de vereador pela Capital, Marcelo Bussiki (foto) retorna ao cargo efetivo de auditor do TCE-MT. Mas é possível que ele seja convidado por Mauro Mendes para compor o quadro de principais assessores do chefe do Executivo estadual. Bussiki foi...