Últimas

Terça-Feira, 30 de Junho de 2009, 16h:20 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:23

EXCLUSIVO

Prefeito de Poconé é cassado; presidente da Câmara assume


Clovis Martins (PTB), reeleito no ano passado, perde a cadeira de prefeito e Poconé deve ter nova eleição

   O juiz da 4ª Zona Eleitoral de Poconé, Edson Dias Reis, cassou o mandato do prefeito reeleito Clovis Damião Martins (PTB) e da vice Nilce Meire Rodrigues Leite (PT) e já determinou que o presidente da Câmara, vereador Nei Rondon (PTB),  assuma o comando do município. Agora, se não conseguir derrubar a decisão de primeiro grau junto ao Tribunal Regional Eleitoral, Poconé terá uma nova eleição. Clovis é acusado de cometer abuso de poder econômico. Ele comprovou voto na base da oferta de emprego na prefeitura.

   Sua situação jurídica se complicou por causa da comprovação de compra de voto e de uso da máquina em campanha. Um dos casos concretos diz respeito a duas eleitoras, sendo elas Luzinete Pereira Leite e sua filha Gysele Caroline Leite Silva. Na pré-campanha, o petebista foi à residência e pediu apoio da família. Luzinete disse que a filha estava desempregada e, Clovis, prontamente, adiantou que iria contratá-la como DAS da prefeitura. Assim o fez. Durante a campanha voltou à residência da família para ter segurança do voto e ficou surpreso quando a mãe da servidora contratada declarou que não iria votar no prefeito petebista. Na bronca, Clovis determinou a exoneração. Foi o bastante para a demissionária procurar o Ministério Público e denunciar o esquema. Essa denúncia serviu de prova cabal para o juiz  Edson Dias decretar a perda do mandato de Clovis Martins, que se reelegeu com 9.323 votos. O prefeito cassado ainda foi multado em R$ 5,3 mil. Em juízo, o petebista alegou que a denúncia não passa de armação política de pessoas que apoiaram seu adversário Euclides Santos (PMDB).

   Clovis ganhou do ex-prefeito Euclides por uma diferença de 726 votos. Euclides obteve 8.597 votos. Nas eleições de 2004, Euclides era prefeito e acabou derrotado por Clovis por menos de 100 votos. Agora, o ex-secretário de Infraestrutura do prefeito cuiabano Wilson Santos pode se animar para, em caso de eleição complementar, entrar no páre novamente. Enquanto Clovis buscará reverter a situação nos âmbitos do TRE e, possivelmente no TSE, Poconé ficará sob comando do petebista Nei Rondon.

(17h40) - Prefeito Clovis diz que sai de cabeça erguida e promete recorrer ao TRE

   O prefeito reeleito de Poconé, Clovis Damião Martins (PTB), disse que vai aguardar ser notificado da decisão expedida pelo juiz da 4ª Zona Eleitoral de Poconé, Edson Dias Reis, que cassou seu registro de candidatura, para ingressar com recurso no Tribunal Regional Eleitoral (TRE). “Acredito muito na Justiça divina e nos juízes do TRE. Saio de cabeça erguida porque sei que fiz um excelente trabalho, a auto-estima dos moradores melhorou em 100%, e tenho certeza que vou vencer na segunda instância”, disse Clovis ao RDNews.

   Ele admitiu deixar o cargo tão logo seja notificado da decisão. No lugar dele, assume o comando da prefeitura o presidente da Câmara Municipal de Poconé, vereador Nei Rondon (PTB). “Vou deixar o cargo conforme a determinação do juiz e recorrer nas esferas superiores. O presidente da Câmara vai assumir interinamente até que a Justiça eleitoral tenha uma definição de última instância", disse. Caso a Justiça mantenha a cassação, haverá novo pleito em Poconé. Clovis disse que foi surpreendido com a decisão expedida pelo juiz eleitoral. “Fui pego de surpresa, mas estou recebendo inúmeras manifestações de apoio da população, o que me deixa bastante tranqüilo. Se a Justiça achar que devo voltar, retornarei, mas se não for possível, vou manter a cabeça erguida”, reafirmou. (Andréa Haddad)

(Às 17h45) - Juiz cita 9 motivos que levaram à cassação do prefeito e da vice de Poconé

  Em sua decisão, o juiz eleitoral Edson Dias explica que decretou a cassação do prefeito Clovis e da Nilce com base no artigo 41-A, que veda ao candidato a conduta de prometer, bem ou vantagem pessoal de qualquer natureza, inclusive emprego ou função pública, desde o registro até o dia da eleição, com isso buscando trazer equilíbrio e lisura exigida na disputa eleitoral. Explica que é proibido aos agentes públicos, em campanha eleitoral, nomear, contratar ou de qualquer forma admitir servidor público, a teor do que dispõe o artigo 73, inciso V da Lei 9.504/97, ressalvado, no entanto, a possibilidade de contratação necessária ao funcionamento inadiável de serviços públicos essenciais. 
           
    O juiz aponta 9 motivos que fundamentaram sua decisão. O primeiro é de que há prova material da contratação de Gysele Caroline Leite Silva em período vedado pela legislação, e que, a contratação foi precedida de visita do candidato, na época, prefeito de Poconé. Lembra ainda que, em Juízo, ficou comprovado que a contratação de Gysele foi precedida de análises de currículos que se encontravam na secretaria de Educação, mas a eleitora contratada sustentou não ter protocolado o documento. Também não foi apresentada justificativa plausível para a exoneração antes do término do contrato temporário.

      De acordo com o magistrado, não há dúvida que a contratação da servidora Gysele se efetivou, uma vez que, além do fato não ser contestado, há prova material do contrato temporário, da prestação de serviço, e de sua rescisão. Também não há dúvida, segundo ele, que houve a visita na residência da servidora contratada, circunstância que não é contestada, assim como houve a explanação pelo candidato Clóvis do plano de governo e o seu interesse, como proposta de candidatura, em gerar emprego à sociedade, conforme depoimento em juízo da própria Gysele. Em sua sentença, o juiz ressalta que foram realizadas três audiências de instrução e colhidos dez depoimentos, além de acareações visando elucidar os fatos. O magistrado acolheu ainda os requerimentos para ouvir novas testemunhas e juntadas de documentos.

Postar um novo comentário

Comentários (22)

  • Marcelo Arruda | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Em Várzea Grande poderá acontecer o mesmo. Está marcada para sexta-feira (03/07) a audiência da Justiça Eleitoral para apurar compra de votos por parte de Murilo Domingos. Existe até uma fita gravada das pessoas confessando o crime.

  • Maria Luiza | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Gostaria de saber quando será feita justiça em Rondonópolis! Foi flagrante de compra de voto e até agora nada.

    Sem dizer q a cidade esta afundando nas esquisofrenias do atual prefeito...

  • poconeana do 15 | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Justiça foi feita,e dá -lhe 151515151515151

  • JOAO DO PORRETE BLACK | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    GENTE NÃO SE COMENTA MAIS SOBRE OS 2MILHÕES DO SACHETTI O QUE ACONTECEU COM ESSA JUSTIÇA POR FAVOR O ANO QUE VEM SACHETTI VAI SER CANDIDATO A DEPUTADO FEDERAL E EM CUIABÁ O DITO CUJO MAURO MENDES A GOVERNO E NADA ACONTEÇE COM ESSES CARAS !!!
    ESSES CARAS TEM QUE SER BANIDO DA POLITICA POR FAVOR E O PERCIVAL ESTAR LIVRE,LEVE E SOLTO QUE ABSURDO !!!!

  • poconeana de alma lavada | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ATÉ QUE ENFIM A JUSTIÇA DOS HOMENS FOI FEITA...PORQUE A DE DEUS ESSA NÃO FALTA!TENHO FÉ E ACREDITO...CHEGA DE TANTO DESMANDO...CHEGA DE VERMOS NOSSA POCONÉ NAS MÃOS DE PESSSOAS QUE NÃO TEM COMPROMISSO COM O NOSSO POVO...CHEGA DE PESSSOAS QUE SÓ OLHAM PARA O SEU UMBIGO, SE ESQUECENDO DOS QUE REALMENTE NECESSITAM DE UM POUCO DE GOVERNABILIDADE...PARABÉNS DR. EDSON..PELA SENTENÇA...SE PROVOU QUE OS JUÍZES DE HOJE JÁ NÃO AGEM MAIS COMO OS DO PASSADO...COM CERTEZA QUEM GANHA COM ISSO É DEMOCRACIA, É O POVO ,É CREDILBILIDADE DA JUSTIÇA...

  • PAULO S. DA CUNHA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parabens ao juiz daquela comarca, pois estive em POCONÉ, na festa da cavalhada, e o que mais ouvi foi o desabafo nas rodas de povo cobrando justiça referente as eleições passada. Senti claramente o abuso do poder economico nas eleições passada atraves das expressões do povo. TEMOS QUE PARABENIZAR JUIZES COM POSTURA ÉTICA E MORAL, COMO DO JUIZ DA COMARCA DE POCONÉ

  • ANA MARIA G DE ALMEIDA FERRAZ | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    ESSE DOUTOR EDSON DOS REIS DEVERIA SER DESEMBARGADOR, HOMEM SÉRIO, RELIGIOSO, COMPETENTE, RESPONSÁVEL, E TEM POSTURA DIGNA DO CARGO QUE EXERCE.

  • Anônimo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Gente do céu, o que está acontecendo, prefeitos que cometeram crimes eleitoral já foram todos para as cucuias, como agora o de Poconé.
    O mais interessante que nem falam do prefeito de Rondonópolis sobre seus crimes eleitorais, seráo

  • Pedro | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Gente do céu, o que está acontecendo, já cairam todos os prefeitos que cometeram crimes eleitoral.
    O prefeito de Rondonópolis também cometeu diversos crimes e até agora nada.
    Será que esqueceram os processos na gaveta.
    O curioso é que ninguém fala nada.
    Mais nada mesmo.

  • MARCELO G. DE SOUSA RIBEIRO | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O senhor Crovis Martins, perdeu a eleição na cidade, o que lhe deu a vitoria foi parte dos votos da zona rural, e já da para ver a felicidade do povo para com a decisão do Juiz de Poconé. AGORA LHE PERGUNTO, SEM FORUM PREVILEGIADO, O JUIZ JOSÉ ARIMATÉIA NÃO TERÁ MAIS PROBLEMA PARA MARCAR AUDÊNCIA NO PROCESSO ONDE O PREFEITO E ARCANJO FORAM DENUCIADO PELO MINISTÉRIO PÚBLICO ? O ARCANJO COM CERTEZA NÃO PERDERÁ MAIS A VIAGE

PT na oposição independente do eleito

edna sampaio 400   Independente de quem ocupar o Palácio Alencastro, a partir de janeiro, a professora Edna Sampaio (foto), única eleita pelo PT à Câmara de Cuiabá, fará oposição ao prefeito. E dá sinais de que será uma parlamentar bastante atuante. Neste segundo turno, como o seu...

Secretário não consegue eleger Fred

fred gahyva 400 curtinha   O vereador licenciado e secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, foi um cabo eleitoral incansável pela candidatura de Fred Gahyva (foto) a vereador pela Capital. Ele liderou reuniões nas unidades de saúde, reforçando pedido de voto para o aliado e amigo de...

Deputado agora pula de palanque

elizeu nascimento 400 curtinha   O ex-vereador e hoje deputado estadual Elizeu Nascimento (foto), que amargou a oitava colocação na disputa ao Senado na eleição suplementar do último dia 15, mudou de lado, como se troca de camisa. Em princípio, era apoiador do projeto de reeleição do prefeito...

Ex-aliado, Sales lembra quem é Abílio

coronel sales 400   Em mensagem enviada aos amigos, reforçando pedido de voto para Emanuel Pinheiro, o coronel PM da reserva e secretário de Ordem Pública da Capital, Leovaldo Sales (foto), diz conhecer bem os dois candidatos que disputam, neste segundo turno, o Palácio Alencastro. Sobre Emanuel, lembra que este tem...

Uma perna no muro e dicas indiretas

eduardo botelho 400 curtinha   O presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (foto), chega ao final deste 2º turno das eleicões em Cuiabá com uma perna no muro. Ele liberou toda sua equipe para votar em quem quiser e todos pedem voto para Emanuel. Já Botelho, particulamente, preferiu não assumir publicamente o seu...

Nezinho, nova derrota e aposentadoria

nezinho 400   Aos 69 anos, o petebista Carlos Roberto da Costa, o Nezinho (foto), considerado da velha guarda política, tentou, mas foi reprovado nas urnas em Nossa Senhora do Livramento. Ele concorreu a prefeito em quatro pleitos. E já exerceu dois mandatos. Nezinho já foi secretário-adjunto de Fazenda do Estado,...