Últimas

Segunda-Feira, 10 de Dezembro de 2007, 22h:44 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

CÁCERES

Prefeito pede aval para protestar inadimplentes

  Uma proposta polêmica do prefeito de Cáceres, Ricardo Henry (PP), acabou por mobilizar segmentos, como Associação Comercial, Clube de Dirigentes Lojistas e Associação Cáceres Rua Shopping. Henry pediu autorização à Câmara Municipal para protestar os contribuintes que estão inadimplentes e incluídos na dívida ativa. A prefeitura acumula cerca de R$ 20 milhões da chamada "dívida podre".

   Os líderes empresariais e comerciais pressionaram pela rejeição do pedido. Temem prejuízos. Alegam que milhares de pessoas, por não pagarem, por exemplo, IPTU, vão ter o nome negativado, impedindo-as de realizar compras do comércio.  

   Apesar da resistência externa, a proposta deve receber aval dos parlamentares. Ocorre que dos 10, somente um se opõe ao pedido de autorização. Trata-se do pedetista Wilson Kishi, que está no quinto mandato. Ex-presidente do legislativo cacerense, Kishi era do PP e foi aliado dos irmãos Henry - Ricardo e o deputado federal cassado Pedro Henry. Agora é opositor. Ele diz ter embasamento jurídico para assegurar que o projeto do prefeito é inconstitucional e pediu vistas semana passada. A proposta entrou em pauta na sessão noturna desta segunda. Os governistas apresentaram várias emendas, uma forma de aprovar a nova forma de pressionar os devedores de impostos.

     Segundo Kishi, não se pode protestar inadimplentes de tributos porque nesse caso trata-se de uma questão tributária. Observa que cartório está autorizado, sim, a fazer protesto de título, duplicata ou cheque a partir de transação comercial. "Essa proposta não tem amparo legal para a prefeitura protestar", critica o vereador.

(Às 0h05) - Projeto é aprovado com emendas

Vereador Wilson Kishi (PDT)  A proposta sobre a nova sistemática de cobrança da dívida ativa foi aprovada pela Câmara Municipal, em primeiro turno, após debates acalorados nesta madrugada. Várias emendas mudaram o projeto original. Os vereadores conseguiram derrubar, por exemplo, a proposta do prefeito Henry de protestar em cartório o devedor inscrito na dívida ativa. Rejeitaram também a idéia do inadimplente executado pagar honorários advocatícios, assim como os juros.

    Por fim, a Câmara ampliou o número de parcelas para pagamento da dívida de 24 para 48. o que facilita as negociações junto àqueles contribuintes que, devido à inadimplência com tributos como IPTU e ISS, acabaram tendo seus nomes inseridos na dívida ativa. Dos 10 vereadores, apenas Mário Tanaka (PSDB) votou contra. O opositor Wilson Kishi resolveu aprovar o projeto, após receber as emendas. Segundo ele, se não tivesse pedido vistas e mobilizado os segmentos sociais, o projeto já teria sido aprovado há 15 dias e sem sofrer modificações.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Wilson Kishi | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Romilson,
    Somente depois que este vereador, deu o grito de alerta, tentando despertando os demais vereadores e a sociedade em geral, para uma mobilização contra o interesse do executivo municipal em tentar receber seu crédito (dívida ativa) de forma coercitiva e brutal para os contribuintes de Cáceres, mostrando inclusive o prejuízo, financeiro, social e até político para um prefeito que já se encontra com alto índice de rejeição.
    O prefeito, quando viu que esse projeto estava causando desgaste e que a sociedade tinha se organizado e mobilizado para comparecer em massa na sessão de votação, se antecipou e chamou em seu gabinete o representante da Associação Cáceres Rua Shopping, Sr. Ivan Griggi, filiado ao PP, para informá-lo que iria aceitar as emendas no projeto, retirando o pedido de autorização legislativa para protestar em cartório as certidões da dívida ativa e outros dispositivos contrários que eram motivos de críticas feitas por mim (vereador Kishi), ao projeto.
    Aqui em Cáceres, Romilson, estou praticamente isolado na posição de opositor à atual administração. Mas esse projeto em si, tive a oportunidade de mostrar, para alguns colegas de parlamento, uma das prerrogativas de um vereador que é LEGISLAR, é por isso que estamos num legislativo escolhido pelo povo.
    E nesse projeto em particular, o prefeito teve que se curvar para um vereador que sempre defendeu os interesses da população em primeiro lugar.
    Ass. Vereador WILSON KISHI

Prefeito vai homenagear 2 ex-aliados

ze do patio 400 curtinha   O ex-vereador, ex-deputado estadual e hoje prefeito de Rondonópolis, Zé do Pátio (foto), que está no terceiro mandato, vai homenagear dois aliados que faleceram recentemente, sendo eles o ex-vereador de três mandatos Juary Miranda, que foi líder do Executivo na Câmara...

Maluf deve consultar STF sobre Teis

guilherme maluf 400 curtinha   Assim que retornar de férias, o presidente do Tribunal de Contas do Estado, Guilherme Maluf (foto), dará prosseguimento à análise do pedido de aposentadoria de Waldir Teis, que está afastado do Pleno há três anos e cinco meses, assim como outros três conselheiros...

Novo líder de Pátio na Câmara de ROO

reginaldo santos 400 curtinha   Reginaldo dos Santos (foto), que assume vaga na Câmara de Rondonópolis pela quarta vez, é o novo líder do prefeito Zé do Pátio, com a missão de fazer o trabalho de articulação e defesa do Executivo junto aos colegas do Legislativo. Na legislatura passada,...

Agro sugere Daniella de volta no Indea

daniella bueno 400 indea   Representantes do setor produtivo e um grupo de servidores sugeriram ao governador Mauro o nome da médica-veterinária e servidora de carreira Daniella Bueno (foto) para reassumir a presidência do Indea-MT. Aproveitaram a vulnerabilidade no cargo do presidente Marcos Catão Dornelas, denunciado...

Aumento para vereador só em 2022

Alguns vereadores em Cuiabá, tanto novatos quanto aqueles reeleitos, ficaram surpresos quando informados pela Mesa Diretora de que o aumento salarial de R$ 15,1 mil para R$ 18,9 mil, aprovado agora no final de dezembro, só começa a valer a partir de janeiro de 2022. Não entra em vigor de imediato, mesmo se tratando de nova legislatura, por causa da pandemia, que levou o governo federal a estabelecer, em lei, veto a qualquer tipo de reajuste para servidores até...

Novo cargo de 2º escalão em Cuiabá

ricardo lobo 400 curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro criou um novo cargo dentro da estrutura do segundo escalão do Palácio Alencastro. É a figura do secretário-adjunto de Relações Comunitárias, espécie de porta-voz de mais de 300 bairros. E quem estreia no posto é Ricardo Lobo,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

O Governo de MT optou pela implantação do BRT em Cuiabá-VG em detrimento do VLT. O que você acha disso?

Estou de acordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.