Últimas

Quarta-Feira, 02 de Dezembro de 2009, 08h:00 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

TRANSPORTE

Presidente da Ager quer licitar; diretor se alia a empresas

  Fernando Ordakowski


Márcia Vandoni encontra dificuldades para regularizar transporte intermunicipal, inclusive dentro da Ager

  Três dias após anunciar que licitará todas as linhas de transporte intermunicipal de Mato Grosso, a presidente da Agência de Regulação de Serviços Públicos Delegados (Ager) Márcia Vandoni passou a enfrentar, na prática, protesto dos empresários do setor. A proposta de mudança não é unanimidade nem mesmo dentro da Agência. O diretor de Transporte Intermunicipal e Rodovias da própria Ager, Marco Danilo Rodrigues do Prado, tem feito campanha contrária e "bate duro" nesse sentido nas reuniões internas em defesa do empresariado. Prado é primo do ex-chefe do Ministério Público Estado, procurador Paulo Prado, que comanda hoje o Gaeco.

  Nesta terça, 1º de dezembro, por exemplo, no Conselho Estadual de Transporte, dentro da estrutura da secretaria estadual de Infraestrutura, Prado expôs insatisfação com a divisão do Estado em 8 mercados, que serão licitados em moldes similares ao da região metropolitana, que compreende Cuiabá e Várzea Grande e a MT-130 (Primavera do Leste-Paranatinga).

   Ele criticou a estrutura da Ager, para quem não possui número de fiscais necessários para fiscalizar as empresas que ficarão responsáveis pelas linhas e defenfeu a manutenção do modelo existente. Márcia Vandoni, por sua vez, teria argumentado que mais fiscais vão atuar e que será feita uma parceria com a secretaria estadual de Fazenda e com o Detran para melhorar a fiscalização. Essa ideia também não agradou Prado. Ele argumentou que não cabe a Sefaz e/ou Detran atuar nesse setor. Foram sinais que reforçam a tese de que o diretor da Ager tem mesmo atuado como “porta voz” das empresas do transporte coletivo.

   Elas estão inconformadas com as mudanças e devem “bombardear” a Ager com ações judiciais que visam impedir que as licitações ocorram em fevereiro, conforme programado. Setenta empresas são responsáveis pelo transporte no Estado. Elas alegam que serão prejudicadas com a medida porque não têm capacidade de investimento e as dívidas impossibilitam participação nas licitações.

  O Conselho é formado por membros da Associação das Empresas de Transporte Turístico e Alternativo Intermunicipal do Estado, do Sindicato das Empresas de Transporte Rodoviário de Passageiros (Setromat), das pastas de Planejamento e Coordenação Geral, Fazenda e do Sindicato da Indústria da Construção Pesada do Estado (Sincop) e da Ager. Participaram seis membros, além da presidente da Ager, Márcia Vandoni. Fazem parte da diretoria da autarquia Márcia e Prado, o ouvidor Francisval Dias Mendes, e o diretor de Energia Elétrica, Gás Canalizado e Saneamento, Pedro Paulo Carneiro.

  "Situação delicada"

  Questionado sobre seu posicionamento, Prado desconversou. Disse apenas que trata-se de uma situação delicada e que poderá falar sobre o assunto daqui a 10 dias. Márcia Vandoni argumenta que cumpre um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) assinado em dezembro 2007 com o Ministério Público. Segundo ela, muitos contratos foram feitos na década de 1970, ou seja, antes da Constituição Federal (de 88) e da Lei das Licitações. Nesta quarta (2), ela se reúne com o secretário da Casa Civil Eumar Novacki para discutir a viabilidade do projeto. Além disso, está programada uma audiência pública. Os donos das empresas vão aproveitar o encontro para "minar" as propostas. Essa briga vem desde 2007.

   No Estado existem 105 linhas convencionais (onde trafegam ônibus de linha), 44 alternativas (com micro-ônibus) e 52 com autorização precária (que podem ser canceladas a qualquer momento e não possuem segurança jurídica). (Patrícia Sanches)

Postar um novo comentário

Comentários (29)

  • Antonio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Mais uma vez o governo através da AGER querendo que uma empresa somente domine o Transporte no estado assim como vez de CUIABÁ A VARZEA GRANDE. O que ficou comprovado que a AGER nao sabe o que é transporte. na Licitação era para 70 ônibus hj opera com mais de 150 e não atende a população. O que esqueceu de citar na notícia é que ja existe determinação Judicial mandando renovar os contratos de algumas empresas, então esta mais claro que nunca que em alguns casos existem o dto a renovação dos contratos.

    Fico me perguntando o QUE O GOVERNO TEM CONTRA OS PIONEIROS DO ESTADO QUE APESAR DE TODAS AS DIFICULDADES, FAZEM UM EXCELENTE TRABALHO ...

    SERÁ QUE ESTE GOVERNO É CONTRA OS MATOGROSSENSE DE RAIZ ?

    FICA AI A PERGUNTA ?????

  • Carlos Aguiar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Dr. Paulo Prado va em frente ...os cometários são intigras da oposição que tem medo do senhor ser candidato a algum cargo polkítico. Fiquei sabendo por ai que o senhor esta em 1º lugar nas pesquisa e isso vem incomodando muita gente. A questão do parente é consequência, o que o senhor poderia fazer prejudicar seu parente não, mais sei que se o mesmo estivesse errado com certeza o faria, por que sei da tua seriedade.............

  • Henrique | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Dona Márcia, pare de dificultar o trabalho do Dr. Marcos, que luta como pode com as fiscalizações e para o bem do setor de transportes ou a Sra. está tentanto podar o seu trabalho igual como fez com o ex diretor, Dr. Muller ?

    Pare com isso! Deixe o garoto trabalhar!

  • Maga | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Isso ai resolve rapiinho é só colocar na mão do Dr Julier, esse cara ai esta mamando na teta das empresas, pode apostar, quebra o segilo bancario dele, que a verdade aparece, será quantos anos hem!!!! Ou quem manda e a presidente, demite esse cara....chega de roubalheira em nosso estado.

  • ALZINO BERNARDES | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    DÁ-LE VANDONI!!!!!!!!!!!!!!!!!!

  • joao paulo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    o marco ta certo... ele é sério... na verdade um dos poucos diretores sérios dentro da ager..
    essa vandoni quer mídia e ser candidata a deputada....

    continua firme marcos...

  • fatima cury | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Infezmente é assim que se encontra o tranporte da capital a qual vai receber a copa em 2014.Uso o ônibus da linha Gramado que alem de ser uma das linha mais extensas nunca atende a demanda de usuarios ou então os que tem ar condicionado estão sempre com seus bancos molhados tamanho vazamento do ar condicionado.É por isso que o trânsito esta do jeito que esta pq as pessoas não aguentão mais serem tranportadas como bois e acabam comprando carropiorando ainda mais o trânsito.É LAMENTAVEL que nao existe justiça p isso e que os empresários só querem nosso R$$$$$!

  • Margaret | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    essa Vandoni quer aparecer mesmo........vc é coisa do passado...............seu padrinho político é quente vandoni por isso vc fica ai grinatndo asneiras pelos cantos..............quer aparecer mostre serviço e não crie polemicas..............

  • José Gonçalves | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O interessante disso tudo é que o defensor das empresas é primo daquele que obrigou a AGER e o Governo do Estado a assinar o TAC se comprometendo a licitar as linhas.

    Juridicamente a licitação é a opção correta. As empresas atuais não possuem mais contrato válido, não têm poder de investimento para melhorar a qualidade do serviço e trocar a frota, não pagam nem mesmo dívidas trabalhistas... o que, então, leva esse diretor a defender de forma descarada a continuidade de um serviço que não atende de forma satisfatória a população?!

    É bom o MP ficar atento aos passos desse sujeito, que os argumentos utilizados por ele pra defender as empresas não convencem ninguém! Aí tem... ah se tem!!!!!!

  • ondino lima neto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    muito suspeito a posicao do diretor da ager, no brasil tudo cheira mal ate as melhores intencoes.

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

3 candidatos competitivos em Sinop

roberto dorner 400   Apesar da "inflação" de candidatos a prefeito de Sinop, com cinco no páreo, a disputa tende a se acirrar mesmo entre o empresário Roberto Dorner (foto), do Republicanos e apoiado pela prefeita Rosana Martinelli (PL), o ex-prefeito e deputado Juarez Costa, que atraiu 10 partidos para o palanque, e o...

Ex-prefeito no páreo em Alta Floresta

robson silva 400 curtinha   Alta Floresta, uma das cidades pólos do Nortão, tem sete candidatos a prefeito. Um deles é Robson Silva (foto), empresário, ex-prefeito entre 93 e 96 e que concorre pelo MDB, mesmo partido do prefeito Asiel Bezerra, que está encerrando o segundo mandato e se tornou um dos principais...

Vice sinopense quer retornar à Câmara

gilson de oliveira 400 curtinha   O vice-prefeito de Sinop e apresentador de TV, Gilson de Oliveira (foto), resolveu concorrer a vereador, cadeira já ocupada por ele por dois mandatos, o primeiro pelo PSDB, entre 2005 e 2008, e, depois, pelo PSD (2009/2012). Foi candidato a deputado estadual duas vezes (2006 e 2010) e, como suplente da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.