Últimas

Segunda-Feira, 19 de Janeiro de 2009, 08h:08 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:22

TRAJETÓRIA

Rabello, Júlio e Brito caem no ostracismo político

Fernando Ordakowski
Clique na imagem para ampliação
Walter Rabello (PP), Júlio Campos (DEM) e Carlos Brito (PR) pagam o preço por erros estratégicos na militância política

  Erros estratégicos acabaram por aniquilar politicamente os ex-deputados estaduais Carlos Brito (PR) e Walter Rabello (PP) e o ex-governador Júlio Campos (DEM). Os três estão hoje sem cargos eletivos e com caminhos fechados na vida pública, ao menos por enquanto. Uns consideram que eles estão provando do próprio veneno, principalmente por ter arrumado muita confusão e inimigos. Outros entendem que foram vítimas de conspirações de aliados e abandonados injustamente por companheiros.

   Rabello vinha numa carreira meteórica. Apresentador de TV, foi o vereador mais votado na história de Cuiabá em 2004 ao conquistar 8.683 votos. Dois anos depois, se elegeu deputado com a segunda maior votação: 70.646. Só perdeu para José Riva (PP), que teve 82.799 votos. Empolgado e no auge com seu programa "Olho Vivo na Cidade", na TV Cidade Verde (SBT), Rabello insistiu no projeto de candidatura a prefeito. Para se viabilizar, trocou o PMDB pelo PP. A partir daí, começou a enfrentar obstáculos. Foi demitido da emissora, perdeu o mandato por infidelidade partidária e ficou em terceiro na disputa à prefeitura. Caiu no ostracismo político, em que pese presidir o diretório do PP de Cuiabá. Rabello forma dupla com Odair Júnior e sobrevive como cantor sertanejo.

   Carlos Brito marcou posição como líder comunitário no Parque Cuiabá. Se elegeu vereador, chegou a assumir cadeira de prefeito por um mês na década de 1980, foi deputado estadual e secretário de Estado da Casa Civil e de Justiça e Segurança Pública, vindo a ser homem forte do governo Blairo Maggi. Em 2006, não conseguiu se reeleger, apesar da votação expressiva: 30.899 votos. Depois, apostou todas as fichas na eleição do empresário Mauro Mendes (PR) para prefeito da Capital. Mendes perdeu no segundo turno para o tucano Wilson Santos. Para piorar, Brito enfrentou problemas de ordem pessoal, o que o deixou mais isolado e, de quebra, foi denunciado pelo Ministério Público por suposto ato de improbidade na Sejusp. Ele é oficial de Justiça.

   Júlio Campos antecipou sua aposentadoria como conselheiro do TCE e, após ocupar vários cargos eletivos, como de prefeito de Várzea Grande, de governador, de deputado federal e de senador, encarou nova disputa em sua terra natal. Começou como grande favorito, mas perdeu para o hoje prefeito reeleito Murilo Domingos (PR).

   Dos três, Júlio é o que se vê numa situação mais tranquila. Recebe mensalmente mais de R$ 40 mil de aposentadoria. Os três estiveram no topo na vida pública. Apostaram em projetos incentivados por assessores e com sede em mais poder. Agora amargam a sede do isolamento político.

Postar um novo comentário

Comentários (33)

  • Ananias Fernando Feitosa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Isso se chama limpeza pública. Que sorte!!!
    Pessoas como essas, se permanecerem no ostracismo sempre, colaboram muito mais com o crescimento e desenvolvimento desse grande Estado de Mato Grosso.
    A fila anda e esses já tiveram oportunidades, já se mostraram, e felizmente, já ficaram para tráz, ou seja, já provaram que devem fazer outras coisas, desenvolver outras atividades e deixar a vida pública para outras cabeças pensantes.
    Que isso sirva de exemplo para os Bosaipos da vida.
    Que vão catar coquinhos. Que peguem os seus bonés e vão cantar noutro lugar, para o nosso bem e de todo o Mato Grosso...AMÉM!!!!!!!!!!!

  • Antenor Alves Cruz | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Perder uma batalha não significa que perdeu a guerra, anote ai senhores reporteres do RDNews,em 2010, Julio Campos e Walter Rabello estarão de volta para o poder politico de Mato Grosso, no braços do povo,principalmente dos mais pobres e humildes da grande cuiabá. Julio será eleito Deputado Federal com grande votação em todo o Estado,e Walter será novamente deputado estadual,e um dos mais votados novamente. Porque eles são trabalhadores,competentes e populares.Quero votar nessa dobradinha Julio-federal e Walter-estadual, bem como eleger Jaime,governador do estado,e Riva,para Senador. Quem viver verá...2011, daqui a 2 anos eles estarão tomando posse no novo mandato que Deus e o povo lhes confiará.

  • antonia | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    é sr. Antenor Alves Cruz, o senhor deve ser uns daquele que puxa o saco deles graças a Deus estao foraaaaaaaaaaaaaaaaa do poder, 03 arrogates, petulantes, tupetudos, insuportaveis tem masss é que ficar foraaaaaa mesmo.

  • Muvuca | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    São líderes expressivos e que merecem respeito. Certamente que o tempo mostrará isso. Vão dar a volta por cima, e esta volta será nas próximas eleições de 2010. Quem viver verá!

  • Jacyara | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Jornalista ORDAKOWSKI, acredito que a sua leitura está focada de maneira errada.
    Vamos separar W.Rabelo, pois se trata de um caso unico: começou sozinho, chegou a vereador, foi a deputado, ajuntou-se com um grupo forte e descobriu um grupo mais forte ainda, perdeu.
    Porem o seu capital eleitoral é grande pois, está baseado nas periferias e nas classes mais pobres, ninguem em sã consciencia pode esquecer isso.
    Portanto está sobrevivendo e com a eleição a deputado estadual garantida.
    Já colocar Julinho ao lado de Brito é bater em doido, Carlos Brito, entrou em estagnação e ostracismo, no dia que fez o discurso contra o sistema eleitoral que o reprovou em detrimento de Galindo, lá no Centro de Exposição do Pantanal, nunca mais levantou a cabeça e seu ultimo trabalho com o 22 foi um desastre e parece que sua sina vai continuar com Dr.Pagot.
    Julinho é caso de vaidade e tenho minhas duvidas se não voltará como deputado estadual.

    Meus respeitos.

    Jacyara

  • Jovaine | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Fernando, via de regra as ostras abrigam pérolas. Seria mais coerente eles estarem mabrigados em um caracol (abrigo dos caramujos) daqueles que são hospedeiros dos esquistossomídeos, parasitas causadores das esquissostomose.

  • Junio Campos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Com todo respeito mas esse Antenor Alves Cruz que fez um comentario acima precisa urgentemente ser encaminhado ao Adauto Botelho. Assim como os Campos, ele ainda nao entendeu que O POVO NAO QUER MAIS, chega, basta, nunca mais queremos um Campos fazendo gestão pública, já basta Varzea Grande ter que passar mais 4 anos na mao de um Murilo Durmindo, esse babaca vem defender os Campos. Só pode estar dependendo de um DAS do senador...

  • Francisca Miranda | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É o probelma desses três, foi o salto alto e o menosprezo a capacidade de inteligência do povo que o dirige e que o elege. Com humildade, poderão ainda recuperar-se. Só com humildade.

  • MARIA ANTONIA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    walter rabello esta pagando o preço da sua demagogia, é uma pessoa arrogante e usa das pessoas carentes sem estudos para estar no poder, eu sabia q vc seria um segundo lino rossi, tudo q vc esta passando vc colheu.

    carlos brito, é metido a mauricinho, isso na politica não dá, foi mau assessorado por aqueles dois: jair e mauricio, esses dois acabaram com a carreira politica do brito, o jair faz aquele tipo de politica antiga sem espansão, só com os mesmo grupos de politica de base. o mauricio não é politico é técnico.

  • Caio | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Que imaginação a sua Antenor Alves Cruz!!!

Efeito-Covid adia vinda de Michelle

michelle bolsonaro A primeira-dama de Cuiabá, Márcia Pinheiro, e a secretária da Mulher, Luciana Zamproni, resolveram transferir para abril a agenda de 11 de março que teria como convidada a secretária nacional de Mulheres, do Ministério dos Direitos Humanos, Cristiane Britto e a primeira-dama do Brasil Michelle...

Governador entre a cruz e a espada

mauro mendes curtinha   Às vésperas da pandemia completar 1 ano em MT, o Estado vive o seu pior momento e o governador Mauro Mendes (foto) enfrenta uma verdadeira prova de fogo: liderar ações coordenadas em todo o território mato-grossense para evitar que o Estado viva cenas parecidas com as de Manaus e de Estados...

Câmara volta a realizar 2 sessões

juca 400 curtinha   A Câmara de Cuiabá, sob a presidência do vereador Juca do Guaraná Filho (foto), volta a realizar duas sessões semanais, nas terças e quintas. Por conta da pandemia, as sessões serão remotas. A resolução foi aprovada por unanimidade pelos parlamentares que vinham...

Coronel linha dura morre ao 91 anos

Coronel Abid 400   Morreu   em Campo Grande (MS), aos 91 anos,  o coronel da PM aposentado Adib Massad (foto), considerado  um dos principais nomes  da Segurança Pública de Mato Grosso na década de 1970. À época, ainda com a patente de  tenente, foi comandante regional...

Mauro e vitórias na briga de decretos

orlando perri 400 curtinha   A estratégia do governador Mauro Mendes de articular com os Poderes a edição do decreto de toque de recolher vem dando frutos. O governo publicou decreto impondo toque de recolher das 21h às 5h, com fechamento do comércio às 19h. O prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro,...

Prefeito é intubado e pode ir para SP

Prefeito de Tapurah Carlos Alberto Capeletti   É grave o quadro de saúde do prefeito de Tapurah (432 km de Cuiabá), Carlos Alberto Capeletti (PSD). Após piora, ele precisou ser intubado nesta quinta (4). Foi internado na terça (2), após testar positivo para Covid-19, em uma UTI no Hospital 13 de Maio, em...