Últimas

Quarta-Feira, 25 de Julho de 2007, 07h:56 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

INFRAESTRUTURA

Recursos do PAC só vão sair no próximo ano

Presidente Lula e os prefeitos Wilson Santos (Cuiabá), Adilton Sachetti (Rondonópolis) e Murilo Domingos (Várzea Grande) participam de ato na próxima terça

     Em meio à tanta choradeira, os prefeitos dos três maiores municípios mato-grossenses conseguiram recursos do PAC para projetos de saneamento. Mato Grosso será o quarto Estado a receber a visita do presidente Lula, especialmente para anunciar um montante superior a R$ 500 milhões. Será na próxima terça (31), em Cuiabá. A euforia agora pode se transformar em frustração futura. Desde já surgem questionamentos sobre quando esses recursos serão efetivamente liberados, de modo a impulsionar obras em benefício da população. Os mais otimistas prevêem isso para 2008, ano eleitoral. Acontece que há uma verdadeira burocracia para viabilização do dinheiro, com vários trâmites a serem percorridos.

     Além disso, os municípios têm de, primeiro, entrarem com a contrapartida. Nessa primeira etapa, Várzea Grande espera R$ 174 milhões; Rondonópolis, R$ 166 milhões e; Cuiabá, ainda em fase de negociação final, pode ser contemplada com R$ 239 milhões. Parte desses recursos é viabilizada por meio de financiamento, o que exige 5% de contrapartida. Outra fatia é via Orçamento Geral da União, a fundo perdido. Nesse caso, cada município entra com 20% de contrapartida.

   Numa jogada de marketing, Lula começou a percorrer os Estados para capitalizar em cima do Programa de Aceleração do Crescimento. Diante das cobranças e da demora para efetivação de um dos programas mais alardeados pelo governo, o petista começou a pediu paciência. Foi assim em Salvador, no último dia 12, quando anunciou investimentos de R$ 1,37 bilhão para obras de saneamento básico e de urbanização de favelas nos 21 maiores municípios baianos. Em Olinda (PE), também no dia 12, Lula liberou R$ 1,4 bilhão para atender a 20 municípios pernambucanos e, em discurso, antecipou uma provável demora na realização das obras. "É mais difícil do que a galinha para botar um ovo", comparou o presidente, referindo-se à burocracia.

   O primeiro Estado visitado por Lula para liberação de recursos do PAC foi o Rio. No último dia 02, num clima de comício, o presidente anunciou R$ 3,8 bilhões para obras de urbanização e saneamento com vistas a atender a 11 cidades da região metropolitana e três municípios com mais de 150 mil habitantes no interior. Depois Lula esteve em PE e Bahia. Agora, se prepara para fazer comício por aqui.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • katiacampos@yahoo.com.br | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O brasileiro é contraditório. Reclama da burocracia e reclama do mau uso do dinheiro público. Em grande parte o que são chamados de "entraves burocráticos" nada mais são do que mecanismos para garantir a aplicação correta dos recursos. Estranho, errado, perigoso seria o Governo Federal - de qualquer partido - anunciar que distribuirá recursos sem exigir o cumprimento de trâmites burocráticos (e na conta de "mera" burocracia colocam: projetos viáveis onde os recursos serão aplicados, o fato do Estado e do Município não estarem devendo prestações de contas e execuções de obras anteriores....) Dinheiro público tem que ser tratado com seriedade. Ou algum banco faz investimento em um correntista que o esteja devendo? Já a discussão sobre os valores das contra-partidas, promovidas pelo prefeito de Cuiabá, é perfeitamente legítima: não se trata de tentar receber os recursos mesmo sem ter condições de efetuar a obra (como os que estão reclamando da suposta "burocracia") e sim de discutir de igual para igual os termos do negócio que será feito.

  • Ana Maria | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Caro Romilson,
    O maior problema desses governos "virtuais" é que a propaganda e o alarde começam quando criam a ideia. Penso que um programa somente poderia ser propagandeado quando a execução do objeto estivesse ao menos em 80% concluida.
    Essas obras não serão executadas antes da eleição. Porque? Vejamos:
    Estamos no final de julho. Os contratos serão assinados em agosto, com clausula suspensiva de 180 dias + ou - para a elaboração do projeto, isto é, até fevereiro. Projetos que terão que ter licenciamento ambiental. Se aprovados após os primeiros 180 dias; o que raramente acontece, lança-se a licitação. Mais, no mínimo, sem confusão nenhuma, 120 dias, isto é, até junho. Isso, com dinheiro da contrapartida em mãos, municipio adimplente, escrituras em dia, tudo, tudo ok.O problema é que somente poderão iniciar obras até 03 de julho, porque é ano eleitoral.
    Pesa a isso, o fato da Prefeitura de Cuiabá ser extremamente lenta. Vide a Av. das Torres, que se fala a três anos e o Restaurante Popular que demorou 2 anos pra ter o projeto aprovado.
    Dinheiro do PAC? Contem para 2009 !

  • Marcelo Souza | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Infelizmente o Governo Lula nao estava preparado para administrar o Brasil, na sua gestão explodiram corrupção e os grandes projetos não anda e maior culpa disso é o próprio presidente que só foi preparado para administrar sindicatos e o Brasil, graças a Deus, não é um sindicato.
    Votaram nele agora temos que aguentar, espero que nas próximas eleição possamos conseguir extinguir com essa raça de incompetentes e corruptos.

  • Luis Carlos Vieira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Só o PT e seus aliados acreditam no PAC. O PAC é mais um programa eleitoreiro, fadado ao insucesso, como o Fome Zero. É claro que ele vai deixar pra liberar os recursos em 2008, pq é ano eleitoral. Agora o povo precisa ficar de olho, pra fiscalizar e conbrar a aplicação correta desses recursos que vão ser administrados por candidatos a reeleição ou pessoas que tenham interesse em fazer seu sucessor.

  • Luis Carlos Vieira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Só o PT e seus aliados acreditam no PAC. O PAC é mais um programa eleitoreiro, fadado ao insucesso, como o Fome Zero. É claro que ele vai deixar pra liberar os recursos em 2008, pq é ano eleitoral. Agora o povo precisa ficar de olho, pra fiscalizar e conbrar a aplicação correta desses recursos que vão ser administrados por candidatos a reeleição ou pessoas que tenham interesse em fazer seu sucessor.

PEC da Previdência na pauta nesta 5ª

dilmar dal bosco 400 curtinha   A polêmica e controversa PEC da Previdência, apresentada pelo governador Mauro, deve ser apreciada nesta quinta, em primeira votação, pelos deputados. O Executivo conseguiu os votos mínimos necessários para conseguir aprovação. Deputados da oposição...

Caminho bem consolidado à reeleição

leonardo 400 curtinha   Dos prefeitos que podem ir à reeleição de cidades pólos, o que encontra situação mais confortável é Leonardo Bortolini, o Léo (foto), de Primavera do Leste. Bem articulado e habilidoso politicamente e com uma relação extensa de obras e...

PSDB e balão de ensaio para prefeito

paulo borges 400 curtinha   Bastante enfraquecido e fragilizado, após perda do comando do Executivo estadual e de quadro de filiados, o PSDB anuncia que terá candidato a prefeito de Cuiabá. E até lista três "prefeitáveis", sendo eles os empresários Luiz Carlos Nigro e Dorileo Leal, além do...

Grupo de Fabinho ávido pelo poder

fabio tardin 400 vereador   Uma ala do DEM de Várzea Grande, que se sente excluída do Paço Couto Magalhães, está torcendo pela cassação da prefeita Lucimar e do vice Hazama. O placar do julgamento no TSE está em 2 a 1 pela manutenção do mandato. Esse bloco anti-Lucimar é...

Vereadores oficializam 2 férias por ano

emerson 400 alta floresta curtinha   Os vereadores de Alta Floresta, no Nortão, aproveitaram este período de pandemia, com as atividades presenciais suspensas, para garantir dois períodos de "férias" por ano. Em decisão desta segunda, a Câmara Municipal, presidida por Emerson Sais Machado (foto), alterou o...

Comissão da Câmara sob efeito-Covid

renivaldo 400 curtinha   Em meio às discussões sobre transparência e compras emergenciais de medicamento, insumos e equipamentos às unidades de saúde, na luta contra a pandemia da Covid-19, a Câmara de Cuiabá criou uma Comissão Especial, composta por três vereadores. Tem a...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Até dezembro, o IFMT terá eleição para Reitoria. Quem você acha que será eleito dos candidatos abaixos?

Deiver Alessandro

Julio Santos

Nenhum deles

Não tenho ideia

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.