Últimas

Domingo, 19 de Agosto de 2007, 09h:48 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

DEBATE

Reforma tributária será votada no próximo mês

   No país onde se pratica uma das cargas tributárias mais elevadas do país, os brasileiros começam a viver a expectativa da aprovação da reforma tributária. O governo promete entregar no próximo mês o projeto para votação no Congresso Nacional. O clamor é geral para haver desoneração da folha de pagamento, com redução da contribuição ao INSS, o fim da CPMF (o governo, porém, quer tornar permanente essa contribuição), a unificação dos tributos federais e, principalmente, a homogeneização dos tributos estaduais.

   Ao invés de 27 alíquotas de ICMS, o país poderia ter quatro alíquotas homogêneas, com margem de manobra para os Estados manterem autonomia federativa. O governo fala em criar o Imposto sobre Valor Agregado (IVA) federal. Esse imposto substituiria quatro tributos (IPI, PIS, Cofins, CIDE-Combustíveis). Temas como esses estão na pauta há anos e, aos poucos, as propostas vão se afunilando.

   É um absurdo o que se paga de impostos. Tomemos como exemplo o Dia dos Pais, última data que movimentou o comércio de presentes. Alguns produtos, como perfumes importados, chegam a registrar incidência de mais de 70% do valor do produto, segundo dados do Instituto Brasileiro do Planejamento Tributário. Os impostos são altos sobre lembrancinhas ou presentes de valor mais elevado, como carros, e todos os produtos contêm impostos que encarecem o preço final.

     De acordo com o estudo elaborado pelo instituto, os tributos embutidos nos presentes podem variar de 13,18%, no caso de um livro, até 71,36%. O governo deveria divulgar o percentual de impostos nas embalagens, informando o contribuinte sobre o preço real do produto e o quanto ele foi encarecido devido aos impostos. Se isso acontecesse, certamente a reforma tributária já teria saído do papel porque o contribuinte ficaria indignado e disposto a pressionar nossos representantes políticos. Hoje, como o contribuinte não sabe quanto paga, ele também não cobra a aplicação destes recursos em melhorias para a população. Para se ter idéia, a carga tributária total (incluindo os demais tributos federais, estaduais e municipais) ficou no ano passado em cerca de 35% do PIB.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Três derrotas do marqueteiro Antero

antero de barros curtinha 400   O ex-senador, jornalista e marqueteiro Antero de Barros (foto) não levou sorte nas campanhas eleitorais as quais coordenou nestas eleições. Em Lucas do Rio Verde, empurrou à reeleição o prefeito Luiz Binotti que, mesmo com o poder da máquina, perdeu para o...

Lideranças jogaram duro contra EP

carlos favaro 400 curtinha   Emanuel Pinheiro teve uma reeleição sofrida em Cuiabá. Lutou contra os principais líderes políticos, que se juntaram em torno da candidatura de Abílio, uns publicamente, outros nos bastidores. O governador Mauro Mendes, por exemplo, jogou pesado para tentar derrotá-lo....

Bezerra ignora filiado do seu filiado

carlos bezerra 400   Carlos Bezerra (foto), o "cacicão" do MDB, abandonou antes da hora o palanque de Emanuel Pinheiro, mesmo se tratando do filiado mais importante em representatividade partidária no Estado. Bastou a pesquisa Ibope mostrar que o prefeito da Capital estava atrás de Abílio nas intenções de...

Sob ataques e humilhação e vitorioso

emanuel pinheiro 400 curtinha   Emanuel Pinheiro (foto) se emocionou ao falar com a imprensa neste domingo, pela primeira vez como prefeito reeleito. Lembrou que foi atacado não só neste período eleitoral, mas desde o início do mandato. Destacou a aprovação popular, com 86% de avaliação...

PT na oposição independente do eleito

edna sampaio 400   Independente de quem ocupar o Palácio Alencastro, a partir de janeiro, a professora Edna Sampaio (foto), única eleita pelo PT à Câmara de Cuiabá, fará oposição ao prefeito. E dá sinais de que será uma parlamentar bastante atuante. Neste segundo turno, como o seu...

Secretário não consegue eleger Fred

fred gahyva 400 curtinha   O vereador licenciado e secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, foi um cabo eleitoral incansável pela candidatura de Fred Gahyva (foto) a vereador pela Capital. Ele liderou reuniões nas unidades de saúde, reforçando pedido de voto para o aliado e amigo de...

MAIS LIDAS