Últimas

Quarta-Feira, 28 de Outubro de 2009, 11h:17 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:24

OPERAÇÃO PACENAS

Revelados nomes de mais 11 envolvidos; Júlio é indiciado

   O empresário Júlio Flávio Campos de Miranda, filho do empreiteiro Jorge Pires, é um dos 22 indiciados pela Polícia Federal no inquérito que investiga fraudes em licitações nas obras do PAC em Cuiabá e Várzea Grande. Ele substitui o empresário Luiz Carlos Richter, também preso na Operação Pacenas, na presidência do Sindicato das Indústrias da Construção do Estado (Sinduscon). Os nomes dos indiciados foram revelados nesta quarta (28) pelo jornal Diário de Cuiabá.

   Conforme a matéria assinada pela jornalista Juliana Scardua, além dos 11 presos na operação Pacenas, foram indiciados donos de empreiteiras constituídas em outros estados do país e articuladores do esquema. Dentre eles, estão os construtores Olinger Gomes e Mariozam Pimenta, donos da empreiteira Costa Gomes, de Goiânia, Edson Marques Chiodarelli e Ricardo Issao Ishitani, que figura como pessoa próxima a uma construtora de Maringá (PR). “Estes empresários, apesar de indiciados, não foram presos pela PF, ao contrário dos construtores radicados em Mato Grosso. Todos, conforme o inquérito da PF, teriam recebido dinheiro em troca da não participação nas licitações, “abrindo caminho” para empreiteiras locais”.

   Na condição de intermediadores do esquema, responsáveis por parte dos contatos com construtoras de fora do Estado, aparecem os empresários Esper Haddad e Luiz Antônio de Miranda, Nei Busnardo, Guilherme Rezende, Hélio Júnior e Gustavo Caputto Cariello. Caberia a Luiz Antônio de Miranda e a Esper Haddad dois importantes papéis. Segundo o Diário de Cuiabá, um documento da PF aponta que Miranda informava aos demais indiciados de qual dos lotes do PAC sairiam pagamentos. Ele aparece em poucas conversas, mas sempre orientando os outros envolvidos. “Já Esper Haddad, de acordo com as investigações, sabia da fraude nos certames e participou de reuniões com empreiteiros com o objetivo de identificar construtoras locais interessadas em participar e afastá-las das licitações”.

   Segundo apurou a reportagem do Diário, Nei Busnardo e Hélio Júnior agiam em nome do empresário e suplente de deputado Carlos Avalone (PSDB). Ambos intermediariam contatos com concorrentes para que abandonassem as licitações e realizarem as ofertas de ‘acordos’ financeiros. As intermediações também eram feitas, conforme os documentos da PF, por Guilherme Rezende e Gustavo Caputto Cariello. “No caso de Rezende, ele é quem teria feito a ‘ponte’ entre os sócios da construtora Costa Gomes e o Sinduscon de Mato Grosso. O episódio foi confirmado pelos empresários em depoimento à PF. Já o nome de Gustavo, conforme o teor de escutas telefônicas, era frequentemente citado por Carlos Avalone”.

-------------------------------------------------------
Confira aqui a íntegra da reportagem do Diário de Cuiabá

Mais 11 indiciados na Operação Pacenas:
Júlio Flávio Campos de Miranda
Olinger Gomes
Mariozam Pimenta
Edson Marques Chiodarelli
Ricardo Issao Ishitani
Esper Haddad
Luiz Antônio de Miranda
Nei Busnardo
Guilherme Rezende
Hélio Júnior
Gustavo Caputto Cariello

Postar um novo comentário

Comentários (8)

  • joana da praia | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    TAMBEM O MOÇO E SOBRINHO DE JAIME CAMPOS E NAMORA COM A FILHA DE MURILO DOMINGOS, PRECISA DIZER MAIS ALGUMA COISA?

  • joao | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    quando vao indiciar o prefeito wilson santos,ou voces acham que ele nao tem nada com iso.

  • JEDAE | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    QUE FAMILIA LEGAL. ALI É MAE, PAI, TIOS, PRIMOS E OS FILHOS. DEPOIS POBRE É QUE FAZ BARRACO. POBRE QUE É BARRAQUEIROS. ALI DEU PF NA PARADA!

  • Leandro Domingos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    E o dito loro q era presidente do dae na época porque não está nesta lista? muito estranho pessoal

  • Melissa Correa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Eu pergunto cade o Paulo Cesar Vieira de Andrade o PC, era Diretor Financeiro e articulador também não foi indiciado.... e ai RD News entreviste Ele ai.....

  • Walter Roberto | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sem comentário

  • edgar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É , como dizia ocês tão na roça, chega de tanta robalheira , ministério público, procuradores enfim todos que podem barrar esses caras que enrriquecem somente com o desvio de verbasa destinadas a obras e benfeitorias ....é uma vergonha para quem serásub-sede em 2014. cade os empresários que foram presos ,,, dão risada agora...babacas, se aqui vcs não forem punidos , na hora de prestar o julgamento final ,, aí vcs verão o que é bom , já ouviu dizer na lei do retorno, o que se faz , aqui se colhe,,,,,rsrsrsrsrsr estão ferrados....

  • jl | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Tem pobre no meio, creio que não, então não vai dar nada, só blá, blá, blá.

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

3 candidatos competitivos em Sinop

roberto dorner 400   Apesar da "inflação" de candidatos a prefeito de Sinop, com cinco no páreo, a disputa tende a se acirrar mesmo entre o empresário Roberto Dorner (foto), do Republicanos e apoiado pela prefeita Rosana Martinelli (PL), o ex-prefeito e deputado Juarez Costa, que atraiu 10 partidos para o palanque, e o...

Ex-prefeito no páreo em Alta Floresta

robson silva 400 curtinha   Alta Floresta, uma das cidades pólos do Nortão, tem sete candidatos a prefeito. Um deles é Robson Silva (foto), empresário, ex-prefeito entre 93 e 96 e que concorre pelo MDB, mesmo partido do prefeito Asiel Bezerra, que está encerrando o segundo mandato e se tornou um dos principais...

Vice sinopense quer retornar à Câmara

gilson de oliveira 400 curtinha   O vice-prefeito de Sinop e apresentador de TV, Gilson de Oliveira (foto), resolveu concorrer a vereador, cadeira já ocupada por ele por dois mandatos, o primeiro pelo PSDB, entre 2005 e 2008, e, depois, pelo PSD (2009/2012). Foi candidato a deputado estadual duas vezes (2006 e 2010) e, como suplente da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.