Últimas

Quinta-Feira, 04 de Janeiro de 2007, 05h:52 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

LEGISLATIVO

Salário de deputado fica em R$ 9,6 mil; regalias são mantidas

 

      Um dos últimos atos assinados pelo vice-governador Silval Barbosa (PMDB) como presidente da Assembléia foi o que de número 12/06, que fixa em 75% do estabelecido para os deputados estaduais o subsídio dos 24 estaduais da 16ª  Legislatura. Dessa forma, os parlamentares que tomam posse em 1º de fevereiro continuarão com salário mensal de R$ 9.635,00, já que os federais recebem R$ 12.847,00. Não fosse o Supremo Tribunal Federal, que derrubou o aumento de 91% autoconcedido pelos congressistas, cada deputado estadual de MT passaria a ganhar R$ 17 mil mensais de subsídio, devido ao chamado efeito cascata.

   Além dos R$ 9,6 mil, cada parlamentar tem direito a uma série de outras vantagens financeiras, como verba indenizatória de R$ 15 mil, controle dos R$ 30 mil da verba de gabinete, dos R$ 15 mil de material de consumo, cortesias de passagens áreas é um veículo Clio à disposição do gabinete. 

Confira, a seguir, como fica a composição na Assembléia, após o resultado das urnas.

Quem sai: Zeca D'Ávila (PFL), Cloves Roberto, Renê Barbour e Pedro Satélite (os 3 do PPS), Carlos Brito (PDT), Jota Barreto (PR, ex-PL), Silval Barbosa e Nataniel de Jesus (ambos PMDB), Chico Daltro e Eliene Lima (ambos PP), Joaquim Sucena e José Carlos de Freitas (os 2 do PFL).

Quem permanece: José Riva e Campos Neto (ambos PP), Sérgi Ricardo, Mauro Savi, João Malheiros e Sebastião Rezende (os 4 do PPS), Ságuas Moraes (PT), Humberto Bosaipo e Dilceu Dal Bosco (os 2 do PFL) e Zé do Pátio (PMDB).

Quem entra: Walter Rabello, Adauto Freitas e Juarez Costa (os 3 do PMDB), Percival Muniz (PPS), Otaviano Pivetta (PDT), Wallace Guimarães, Gilmar Fabris e Zé Domingos (PFL), Chica Nunes e Guilherme Maluf (ambos PSDB), Maksuês Leite e Airton Rondina, o Português (PP), Chico Galindo (PTB) e Ademir Brunetto (PT).

As bancadas: PPS e PFL (5 deputados cada), PP e PMDB (ambos com 4), PSDB e PT (2 cadeiras cada), PTB (1) e PDT (1)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Ex-vereador abandona rei dos porcos

fernando morais 400 curtinha   Mesmo impedido de ser candidato, já que está inelegível por oito anos, o ex-vereador pela Capital Abílio Júnior segue se articulando politicamente, deixou o PSC e se filiou ao Podemos. Acabou dando de ombros para o empresário Fernando Morais (foto), o "rei dos porcos",...

Temor e negociação com 3 partidos

wilson kero-kero 400 curtinha   Depois de ajudar na articulação para se filiar ao Podemos o colega vereador Dilemário Alencar, que estava "fritado" e sem espaço no Pros e procurou abrigo em outra legenda, Wilson Kero-Kero (foto) está agora com receio de migrar para o partido da senadora cassada Selma Arruda e do...

Agora no DEM e foco à saúde pública

gilberto figueiredo 400 curtinha   Gilberto Figueiredo (foto), vereador licenciado da Capital e secretário de Estado de Saúde, aproveitou a janela - data limite de filiação até sábado (4) para quem quiser ser candidato em outubro -, e ingressou no DEM. Agora, o partido do governador Mauro, até...

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.