Últimas

Quinta-Feira, 04 de Janeiro de 2007, 05h:52 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

LEGISLATIVO

Salário de deputado fica em R$ 9,6 mil; regalias são mantidas

 

      Um dos últimos atos assinados pelo vice-governador Silval Barbosa (PMDB) como presidente da Assembléia foi o que de número 12/06, que fixa em 75% do estabelecido para os deputados estaduais o subsídio dos 24 estaduais da 16ª  Legislatura. Dessa forma, os parlamentares que tomam posse em 1º de fevereiro continuarão com salário mensal de R$ 9.635,00, já que os federais recebem R$ 12.847,00. Não fosse o Supremo Tribunal Federal, que derrubou o aumento de 91% autoconcedido pelos congressistas, cada deputado estadual de MT passaria a ganhar R$ 17 mil mensais de subsídio, devido ao chamado efeito cascata.

   Além dos R$ 9,6 mil, cada parlamentar tem direito a uma série de outras vantagens financeiras, como verba indenizatória de R$ 15 mil, controle dos R$ 30 mil da verba de gabinete, dos R$ 15 mil de material de consumo, cortesias de passagens áreas é um veículo Clio à disposição do gabinete. 

Confira, a seguir, como fica a composição na Assembléia, após o resultado das urnas.

Quem sai: Zeca D'Ávila (PFL), Cloves Roberto, Renê Barbour e Pedro Satélite (os 3 do PPS), Carlos Brito (PDT), Jota Barreto (PR, ex-PL), Silval Barbosa e Nataniel de Jesus (ambos PMDB), Chico Daltro e Eliene Lima (ambos PP), Joaquim Sucena e José Carlos de Freitas (os 2 do PFL).

Quem permanece: José Riva e Campos Neto (ambos PP), Sérgi Ricardo, Mauro Savi, João Malheiros e Sebastião Rezende (os 4 do PPS), Ságuas Moraes (PT), Humberto Bosaipo e Dilceu Dal Bosco (os 2 do PFL) e Zé do Pátio (PMDB).

Quem entra: Walter Rabello, Adauto Freitas e Juarez Costa (os 3 do PMDB), Percival Muniz (PPS), Otaviano Pivetta (PDT), Wallace Guimarães, Gilmar Fabris e Zé Domingos (PFL), Chica Nunes e Guilherme Maluf (ambos PSDB), Maksuês Leite e Airton Rondina, o Português (PP), Chico Galindo (PTB) e Ademir Brunetto (PT).

As bancadas: PPS e PFL (5 deputados cada), PP e PMDB (ambos com 4), PSDB e PT (2 cadeiras cada), PTB (1) e PDT (1)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Lei em Cuiabá veta cortar luz e telefone

misael galvao 400 curtinha   Seguindo exemplo de outros municípios, a Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto), rejeitou veto do prefeito Emanuel e promulgou uma lei, que proíbe empresas de gás e concessionárias de serviço público de energia elétrica, no caso a Energisa,...

Visita a todos setores e agradecimento

domingos neto tce 400 curtinha   Numa demonstração de humildade e respeito aos servidores, o presidente do TCE Domingos Neto visitou nesta 4ª todo os setores do Tribunal para agradecer pessoalmente o esforço, dedicação e a contribuição de cada colaborador para que sua gestão do...

Equipe, foco e elogios ao governador

mauro carvalho 400 curtinha   Mauro Carvalho (foto), o número 2 do Palácio Paiaguás, faz questão de destacar que o governador Mauro Mendes está fechando o 1º ano de mandato sem promover uma única mudança no quadro dos 16 secretários, incluindo os que comandam a CGE e PGE. Entende isso...

Até Galvan quer o Senado pelo agro

antonio galvan 400 curtinha   A eleição suplementar ao Senado para início de 2020 começa a despertar interesse de diferentes setores. Só dos chamados representantes do agronegócio são pelo menos quatro possíveis candidatos. Até Antonio Galvan (foto), presidente da Aprosoja Mato...

Sem elo com a servidora denunciante

abilio 400 curtinha   Sob investigação da Comissão de Ética da Câmara de Cuiabá por causa de reincidentes casos de quebra de decoro, Abílio Brunini (foto), em nota, contesta o colega Juca do Guaraná, que divulgou imagens e afirmou que o vereador do PSC esteve no Hospital São Benedito e...

Goleada na cassação no TRE e no TSE

edson fachin 400 curtinha   No TRE-MT, em abril, a juíza aposentada e senadora Selma Arruda, que trocou o PSL pelo Podemos, teve o mandato cassado por unanimidade. No julgamento do recurso da parlamentar no TSE, nesta terça, o placar também foi "elástico": 6 a 1. Somente o ministro Edson Fachin (foto) votou acatando o...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.