Últimas

Quarta-Feira, 21 de Novembro de 2007, 11h:10 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

CONVENÇÃO DO PR

Salles vira oposição e critica o prefeito Sachetti

    O ex-prefeito (94/96) e ex-governador (2002) Rogério Salles, que em 2004 enfrentou divergências no PSDB para apoiar o hoje prefeito de Rondonópolis, Adilton Sachetti (PR), resolveu virar oposição. Ele assume a condição de "prefeitável" e já dispara críticas a Sachetti. Disse que o prefeito desenvolve projetos isolados da população. "A obrigação do poder público é construir projetos em parceria com a sociedade, o que não está acontecendo com a atual administração".

   Salles admite que, apesar do desgaste popular, Sachetti é forte candidato a um novo mandato. Ele reconhece que não será fácil enfrentá-lo nas urnas e prepara sua campanha eleitoral, pensando no corpo-a-corpo. Adianta que vai bater de porta-em-porta em busca de apoio do eleitorado.

  Esta pode ser a primeira vez que Salles concorrerá como cabeça de chapa. As duas vezes em que chegou ao poder, foram como vice. Primeiro, se elegeu vice do então prefeito Carlos Bezerra, em 92. Como Bezerra ganhou para o Senado, Salles conclui o mandato de prefeito. Em 99, Salles conquista a cadeira de vice-governador quando Dante de Oliveira garantiu a reeleição. Em 2002, o titular renuncia ao mandato para tentar, sem êxito, uma vaga no Senado e Salles, então, termina os últimos oito meses do mandato.

  Rogério Salles é tido pela direção estadual do PSDB, sob Wilson Santos, como candidato nato do partido à sucessão em Rondonópolis. Seria uma forma do tucanato marcar posição e "ressuscitar", já que enfrenta processo fraticida após perder o comando do Palácio Paiaguás. Em 2002, por exemplo, o PSDB tinha 55 prefeitos. Hoje, são apenas 5. "A disputa para prefeito faz parte do meu projeto político". Salles enaltece sua gestão enquanto prefeito. "Fizemos (enquanto prefeito) os projetos para a construção do aeroporto e do hospital regional. Daí, quando me elegi governador, os executei".

  Para o tucano, o fato de Rondonópolis vir a ter um prefeito de um outro partido senão do PR do governador Blairo Maggi não vai interferir em futuras parcerias para viabilizar recursos. "O governador é do Estado e não de determinado município".

   Sobre o governo Maggi, o ex-governador também o critica. "Ele (Maggi) ainda não pegou o ritmo como deveria". Considera que a administração estadual precisa priorizar um projeto de desenvolvimento para o Estado. "Maggi criou o MT+20, mas não está dando a ênfase que deveria ser dado". (Pollyana Araújo e Romilson Dourado) 

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • antonio ferreira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    ROGERIO SALES, foi fiel com o Adilton Sachett, assim como Percival e ambos ganharam banana e as costa do atual prefeito. Não bastasse isto Adilton é ditador, arrogante, perseguidor e se diz honesto e o que vemos é a Prefeitura inchada de ex funcionarios de suas empresas "FALIDAS". Não podemos esquecer que o leilão eletronico é so para alguns item, qdo se trata de empreiteira é sublinho do GOVERNADOR, as empresas que eram do ADILTON e ele "VENDEU". Há tinha Secretario com maquina alugada em seu próprio nome na CODER, e 2 vereadores que tem empreiteira em nome de larajna.

  • Luciano | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Estamos contando os dias....Como disse o Dep. Federal Carlos Bezerra em materia no Jornal A Tribuna...."Turma do Blairo e cia vem quente porque nos estamos fervendo" Iremos trabalhar 24hs por dia se possivel para eleger o Zé do Pátio.

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

3 candidatos competitivos em Sinop

roberto dorner 400   Apesar da "inflação" de candidatos a prefeito de Sinop, com cinco no páreo, a disputa tende a se acirrar mesmo entre o empresário Roberto Dorner (foto), do Republicanos e apoiado pela prefeita Rosana Martinelli (PL), o ex-prefeito e deputado Juarez Costa, que atraiu 10 partidos para o palanque, e o...

Ex-prefeito no páreo em Alta Floresta

robson silva 400 curtinha   Alta Floresta, uma das cidades pólos do Nortão, tem sete candidatos a prefeito. Um deles é Robson Silva (foto), empresário, ex-prefeito entre 93 e 96 e que concorre pelo MDB, mesmo partido do prefeito Asiel Bezerra, que está encerrando o segundo mandato e se tornou um dos principais...

Vice sinopense quer retornar à Câmara

gilson de oliveira 400 curtinha   O vice-prefeito de Sinop e apresentador de TV, Gilson de Oliveira (foto), resolveu concorrer a vereador, cadeira já ocupada por ele por dois mandatos, o primeiro pelo PSDB, entre 2005 e 2008, e, depois, pelo PSD (2009/2012). Foi candidato a deputado estadual duas vezes (2006 e 2010) e, como suplente da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.