Últimas

Sábado, 07 de Julho de 2007, 09h:18 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Saúde e prevenção nas escolas

     Os alarmantes índices de evasão de alunos no ensino médio têm causas variadas. Uma delas, bastante cruel, é a gravidez precoce e a contaminação do jovem pelos agentes causadores das DSTs e Aids. Dados da Secretaria de Estado da Saúde (SES) indicam que em nosso Estado, que não é diferente dos demais, cerca de 27% dos partos em 2004 foram realizados em adolescentes, sendo que este percentual chegou a mais de 40% em alguns locais de menor IDH. Uma pesquisa realizada pela Unesco no ano de 2002 em 14 capitais brasileiras apontou Cuiabá com o segundo maior percentual de adolescentes grávidas matriculadas no ensino fundamental: 22%. A realidade é que a menina, após o parto, não conta com estrutura familiar ou escolar que lhe dê suporte para continuar os estudos e por isto o abandono é quase que uma conseqüência automática.
     No caso das DSTs (doenças sexualmente transmissíveis) e da Aids, o quadro é igualmente grave. Considerando que a doença pode levar quase uma década para se manifestar, e que a faixa etária de maior incidência é de 25 a 34 anos, certamente uma fração significativa de infecções ocorre na adolescência, e isto novamente nos remete à escola. O jovem infectado desconhece o fato, não procura a unidade de saúde do bairro, tem sua saúde comprometida e representa um risco de propagação da doença. Como agir para que seja possível iniciar a reversão deste quadro assustador, que vem alterando o rumo da vida de tantos meninos e meninas em nosso país? Em 2003 MEC e Ministério da Saúde, em parceria com a Unesco e Unicef lançaram um piloto do Projeto Saúde e Prevenção nas Escolas, envolvendo alguns municípios brasileiros, com o objetivo de contribuir para a redução da infecção pelo HIV/DST e os índices de evasão escolar causada pela gravidez na adolescência.
     O projeto foi paulatinamente envolvendo estados, outros municípios e sociedade civil organizada, tendo início efetivo em Cuiabá e Várzea Grande neste ano de 2007. Aqui, por iniciativa conjunta da Secretaria de Estado de Saúde e Secretaria de Estado de Educação, foi realizada a primeira etapa do projeto, com oficinas dirigidas a professores, coordenadores de escolas e profissionais das unidades básicas de saúde localizadas nos bairros das escolas selecionadas para o trabalho. Ficamos satisfeitos pelo interesse da imprensa ao divulgar o trabalho, mas lamentamos o fato de que o foco foi posto na polêmica de se distribuir ou não preservativos masculinos na escola. Durante as oficinas, os profissionais da educação e da saúde discutiram temas importantes para enfrentar as dificuldades dos jovens, mas também, e principalmente, foram desafiados a enfrentarem seus próprios preconceitos relativos a sexualidade, gênero, políticas de redução de danos e tantos outros temas tão complexos que surgem neste terreno.
     Depois de superado este desafio, cada escola construiu um plano de ação com a unidade de saúde do bairro para enfrentarem juntos a realidade local. Serão realizadas ações de sensibilização para os perigos do uso de drogas, das doenças sexualmente transmissíveis e da gravidez precoce, mas para abordar estes assuntos, a sexualidade é o tema central. O trabalho vai ser acompanhado pela Seduc e pela SES e em novembro realizaremos a Primeira Mostra de Saúde e Prevenção nas Escolas, para que os resultados sejam avaliados. A avaliação vai permitir que ambas as secretarias tomem decisões mais acertadas sobre a expansão do projeto nos próximos anos, pois os investimentos necessários estão sendo previstos nos PPAs de ambos os órgãos de governo. Parabéns a todos os profissionais que estão participando desta primeira iniciativa.
     Com certeza terão competência para mostrar à sociedade que um projeto de saúde e prevenção nas escolas não pode ter a distribuição de preservativos para os alunos da rede pública de ensino como foco e sim como resultado de uma decisão amadurecida da comunidade escolar. E uma comunidade escolar amadurecida terá condições de ajudar o jovem a escolher conscientemente seus caminhos, evitando, inclusive, que ele abandone seus estudos. Precisamos, como governo e como sociedade, trabalhar muito para chegar lá.

Flávia Nogueira é secretaria extraordinária de Apoio às políticas Educacionais do governo de Mato Grosso

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Mais 20 respiradores para Cáceres

leonardo 400   O Ministério da Saúde enviou mais 20 respiradores para Cáceres, em atendimento ao pedido do médico  e deputado federal Leonardo (foto). Os equipamentos foram entregues na segunda (12) para a secretaria municipal de Saúde e serão instalados no Pronto Atendimento Municipal para tratar...

Isenção de IPVA a algumas categorias

max russi 400   A Assembleia Legislativa deve aprovar esta semana uma proposta do governo para, em tempos de pandemia, isentar algumas categorias do pagamento de Imposto de Propriedade de Veículos Automotores (IPVA) do exercício de 2021. O projeto chega nesta quarta à Mesa Diretora, sob Max Russi (foto), e vai ser votado no...

CAA-MT fará vacinação contra H1N1

ittalo leite 400 caixa de assistencia   A Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso (CAA/MT), presidida por Ittalo Leite (foto), já deu início à Campanha de Vacinação Contra a gripe H1N1. Serão disponibilizadas seis mil doses da vacina para imunização contra a Influenza A e B,...

Governo compra 103 motos para PM

O governo estadual vai entregar nos próximos dias 103 motocicletas à Polícia Militar. Isso deveria ter ocorrido nesta segunda, mas foi adiado e ainda sem data definida. As motos serão utilizadas pelas equipes de policiais da Companhia Raio de Moto-Patrulhamento, Força Tática e pelo policiamento ordinário na Região Metropolitana de Cuiabá e em vários outros municípios. No primeiro lote, o governador Mauro...

Ex-prefeito, contratos e multa do TCE

jeovan faria 400   O ex-prefeito de Campinápolis, Jeovan Faria (foto), vai ter de pagar uma multa equivalente a 10 UPFs/MT, o que corresponde hoje a R$ 1,8 mil, como punição por contratação de pessoal por tempo determinado sem atender à necessidade temporária de excepcional interesse público....

Decon investiga "fura-fila" da vacina

O delegado Rogério Ferreira, da Especializada do Consumidor (Decon), instaurou o que se chama de Auto de Investigação Preliminar para apurar possíveis irregularidades no cumprimento da ordem de vacinação contra a Covid-19 dentro dos critérios estabelecidos pela Prefeitura de Cuiabá. Na prática, busca investigar possíveis situações de “fura-fila” e outras circunstâncias ilegais. Rogério...