Últimas

Segunda-Feira, 26 de Fevereiro de 2007, 08h:29 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Saúde: primo rico e primo pobre

   O médico Carlos Frederico Dantas comenta, em artigo nesta segunda (26) na Folha de S. Paulo, sobre a crise financeira que atinge tanto o Instituto de Infectologia Emílio Ribas, onde é diretor-clínico, quanto o Instituto do Coração (InCor). Confira.

   NO FINAL do ano passado, acompanhamos pela imprensa notícias sobre duas importantes instituições públicas de saúde enfrentando problemas administrativos, financeiros e de modelo de gerenciamento. Refiro-me ao Instituto do Coração (InCor) e ao Instituto de Infectologia Emílio Ribas (IIER).
Tradicionais hospitais públicos de renomado prestígio junto à sociedade em suas respectivas áreas de atuação, o InCor e o IIER vivem uma crise que tem nos seus modelos de administração e gestão econômico-financeira os determinantes maiores de suas atuais dificuldades.
    Com um orçamento significativo, por meio de recursos provenientes do Tesouro estadual e/ou dos recursos advindos da Fundação Zerbini, o modelo de fundação adotado pelo InCor enfrenta problemas a demandar soluções em curto prazo que o viabilizem econômico-financeiramente.
     Prontamente, os governos federal e estadual, por meio da Secretaria da Saúde, criaram um grupo de trabalho emergencial para a busca de soluções imediatas para superar as dificuldades financeiras e administrativas vividas por essa respeitável e renomada instituição pública de assistência, ensino e pesquisa na área de doenças cardiovasculares.
Em 4/12/06, o sr. governador do Estado envia à Assembléia Legislativa o PLC nº 79/2006, que transforma o Hospital das Clínicas (HC-FMUSP) em autarquia de regime especial, suplementando o quadro de pessoal do InCor "em função da grave crise econômico-financeira por que passa a Fundação Zerbini", como justifica o sr. secretário da Saúde.
Queremos chamar a atenção para a política de primo rico e primo pobre com que a Secretaria da Saúde, diferenciadamente, trata duas tradicionais instituições públicas de saúde pertencentes ao Estado, geograficamente próximas e integrando o chamado quarteirão público da saúde na avenida Dr. Arnaldo.
Em 1/12/2006, por ocasião do Dia Internacional de Luta contra a Aids, o corpo clínico do Emílio Ribas volta a se manifestar publicamente reclamando mudanças administrativas e melhorias nas condições de atendimento na instituição.
    Vale lembrar que desde 2003 o Emílio Ribas vem se debatendo com problemas econômico-financeiros, administrativos e de modelo de administração. Naquele ano, o corpo clínico do IIER elaborou um relatório, apresentado ao secretário da Saúde, sr. Luiz Roberto Barradas Barata, contendo amplo diagnóstico institucional e propostas de mudanças com o objetivo de transformar o atual modelo e criar mecanismos mais rápidos e eficientes de gestão.
    São problemas crônicos que, aliados à falta de recursos e à centralização administrativa excessiva, levam à deterioração da relação do corpo clínico com a direção, das condições de trabalho e de atendimento.
Contribui para isso a falta de diálogo por parte do gestor estadual, que, diferentemente da solução encontrada para o InCor, nunca teve uma só palavra sobre o papel do IIER na política estadual de saúde. Todas as ações relativas ao IIER, se é que existem, são definidas de fora para dentro, de forma extremamente centralizada e sem a menor participação do corpo clínico do hospital.
     São exemplos a tentativa de incorporação do IIER na malfadada Agência de Controle de Doenças e Promoção de Saúde e, em seguida, a desvinculação do IIER da Coordenação dos Institutos de Pesquisas (CIP), descaracterizando o IIER como hospital de referência, ensino, pesquisa e assistência de média e alta complexidade em doenças infecciosas.
Lamentamos que, como no passado, ainda ocorram redução de valores orçamentários e grande variabilidade de recursos ano a ano, que são insuficientes para atender as metas e atividades estabelecidas na proposta orçamentária e para a manutenção e a ampliação dos serviços e equipamentos.
     É importante que haja a garantia de uma maior dotação orçamentária para o IIER e que o corpo clínico possa participar da sua elaboração e da definição de suas prioridades.
    O resgate histórico do papel do IIER no campo da saúde pública e das doenças infecciosas em nosso país é o maior legado institucional, e sua valorização pelas autoridades públicas de saúde estadual e federal, um compromisso com a população.
     Nesse sentido, à semelhança do que ocorreu com o InCor, seria importante que o novo governo do Estado, por meio da Secretaria da Saúde, estabelecesse, de imediato, um fórum de discussão ou grupo de trabalho para, com o corpo clínico e a direção do IIER, elaborar uma proposta de novo modelo administrativo para o Instituto de Infectologia Emílio Ribas, com maior autonomia administrativa e financeira.


 

CARLOS FREDERICO DANTAS ANJOS , 51, é diretor clínico do Instituto de Infectologia Emílio Ribas.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

SD e chapa competitiva pra vereador

aluizio lima 400   Comandado no Estado por Zé do Pátio, prefeito de Rondonópolis, o Solidariedade ganhou novos filiados em Cuiabá e já tem uma lista de 32 pré-candidatos a vereador, numa expectativa de conquistar até quatro cadeiras. Além dos recém-filiados, vereadores Vinicius Hugueney...

MDB diz apostar em Thiago em Roo

thiago silva 400 curtinha   Dirigentes do MDB contestam o registro em nota no Curtinhas, assegurando que a oposição está forte em Rondonópolis e que deve unificar os grupos políticos e derrotar o projeto de reeleição do prefeito Zé do Pátio. Pesquisas internas estão deixando...

Pátio, adversários fracos e reeleição

ze do patio 400 curtinha   O prefeito de Rondonópolis Zé do Pátio (foto), por mais populista, demagogo e com uma gestão avaliada pela maioria como desastrosa, caminha a passos largos para conquista de mais um mandato. Tende a vencer pela lógica do menos pior. Seus virtuais adversários são...

Pode recebe 2 já derrotados em BG

sandro saggin curtinha 400   O Podemos conseguiu juntar em Barra do Garças o grupo de dois já derrotados à prefeitura, Daltinho, que também foi deputado e em 2018 teve votação pífia na tentativa de reeleição, e Sandro Saggin (foto), um "eterno" candidato. Entregue ao ostracismo,...

Câmara de Barra devolve R$ 100 mil

joao rodrigues 400 presidente c�mara barra do gar�as   A Câmara Municipal de Barra do Garças devolveu à prefeitura R$ 100 mil para serem investidos em medidas de combate ao novo coronavírus. O presidente do Legislativo, vereador João Rodrigues de Souza, o doutor...

Auditor assume Secretaria de Controle

demilson nogueira 400   O auditor Newton Gomes Evangelista, servidor de carreira, é o novo secretário de Controle Interno da Assembleia. Ele já respondeu também pela Auditoria-Geral da Casa. Newton assumiu a Controladoria Interna no lugar do ex-prefeito de Ponte Branca, Demilson Nogueira (foto), que deixou o posto...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.