Últimas

Segunda-Feira, 04 de Janeiro de 2010, 09h:32 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

INVESTIGAÇÃO

Secretário afasta 3 por suspeitas de fraudes

Portarias são medidas cautelares até que tudo seja esclarecido com Delegacia Fazendária

   Três servidores da secretaria de Estado de Fazenda enquadrados pela Delegacia Fazendária por indícios de envolvimento em fraudes foram afastados de suas funções e enfrentam agora processo administrativo disciplinar, que podem resultar em exoneração a bem do serviço público. Os fiscais de tributos Wanderley Baffa Clavero, Edson Garcia de Siqueira e Antonio Pereira da Costa estão na lista da operação Mala Preta. O secretário de Fazenda Éder de Moraes determinou que eles fiquem afastados até conclusão dos processos internos.

   Ele tomou a decisão a partir de ofício recebido da Delegacia Especializada de Crimes Fazendários e Administração Pública, que deu ciência à Sefaz sobre o inquérito policial que investiga suposto esquema de sonegação fiscal. O afastamento dos servidores foi necessário porque, de acordo com a portaria, durante as investigações constatou-se a participação efetiva no esquema de servidores fazendários. Diante desta situação a conduta destes, para a Sefaz, “macula, afronta e viola premissas que norteiam a administração pública”, destaca o secretário. Ele estabelece 60 dias para conclusão dos trabalhos.

   Os servidores estariam agindo numa combinação com empresários, com esquema de notas fiscais eletrônicas nas operações de vendas de milho e soja entre os Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás, Minas Gerais, São Paulo e o Distrito Federal. A operação Mala Preta cumpriu mandados de prisão de 26 por supostos envolvidos no esquema. Foi preso também o servidor aposentado da Sefaz e ex-deputado estadual, Pedro Rodrigues de Lima, hoje em liberdade, assim como os demais acusados, graças a uma liminar concedida pelo desembargador Luiz Ferreira da Silva.

    Segundo a Sefaz, com cruzamento de dados foi possível detectar indícios de fraudes. Relatórios técnicos apontaram divergência entre as mercadorias comercializadas e as declaradas nas notas fiscais eletrônicas. A secretaria recebeu também denúncias sobre venda de notas por 5%, em média, do valor total do produto. As informações foram repassadas à Delegacia Fazendária, que ficou seis meses investigando as denúncias. Segundo Éder, empresas foram constituídas em nome de laranjas para fraudar o Fisco estadual. Os empresários declaravam nas notas que as mercadorias seriam exportadas para outros países. Dessa forma deixavam de pagar ICMS por causa dos incentivos à exportação. No entanto, os produtos eram vendidos no Brasil.

Postar um novo comentário

Comentários (5)

  • carlos | Terça-Feira, 05 de Janeiro de 2010, 16h01
    0
    0

    teve q aparecer um secretário para acabar com a farra do dinheiro público. quantos fiscais estão ricos com o dinheiro do povo.Compram fazendas,gados,etc.E tinham cobertura politica por isso nada acontecia a eles. Parabens secretário, Eder moraes.....

  • Campos | Segunda-Feira, 04 de Janeiro de 2010, 20h01
    0
    0

    O Mixto investiu grande quantia em reais para contratar vários pernas-de-pau em fim de carreira, para disputar a série C do campeonato brasileiro. De onde saiu esse dinheiro? Alguém prestou conta desses recursos gastos? Não. Então tá na hora de fazer isso. É fácil usar a lei aos outros, mas a si próprio é dificil. Cuiadado esse cara quer holofotes, ele tem mania de ser narcisista. Não sei porque a mídia dá tanta importância a ele.

  • dudu | Segunda-Feira, 04 de Janeiro de 2010, 16h02
    0
    0

    E quem investiga o dinheiro gasto com o mixto?????

  • alexandre amaral | Segunda-Feira, 04 de Janeiro de 2010, 11h47
    0
    0

    ate que enfim apareceu alguem para dar fim a esta pratica aqui no nosso estado tomara que seja a ssim sempre parabens secretario somente alguem como o senhor para tomar este tipode atitude corajosa e justa o povo de mato grosso agradece.'.

  • Jesuino Soares | Segunda-Feira, 04 de Janeiro de 2010, 11h42
    0
    0

    Muito bom secretário! bota moral na tropa!

Contrato para tocar eventos do TCE

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, conselheiro Guilherme Maluf, fechou um contrato anual com a Infortouch Agência e Comunicação, Eventos e Produtos Alimentícios, aproveitando ata de registro de preços  do Tribunal de Justiça de MT, com adesão-carona num processo de 2019. A empresa vai faturar R$ 376,9 mil para atender demandas do TCE em toda logística de eventos, envolvendo as etapas de planejamento,...

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.