Últimas

Quinta-Feira, 28 de Junho de 2007, 09h:22 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Sei que morro... A Invasão do solo de minha pátria

     A célebre frase de Antonio João Ribeiro parece já não ter o significado que ele imprimiu. Deixou no Pantanal, principalmente em Poconé, muitos descendentes, que não passam nem perto de sua coragem, determinação, amor ao Brasil e a Mato Grosso.
    Na Urca, cidade do Rio de Janeiro, existe um busto e uma menção a ele, enquanto que aqui, quem é Antonio João Ribeiro? Até o nome dele tiraram de uma Escola em Poconé, para colocar  o do Marechal Rondon, que embora merecedor de homenagens, não justifica a mudança. 
    Mas, deixando de lado essa questão “emocional”, a sua frase, “sei que morro, mas o meu sangue, e o de meus companheiros, servirá de protesto solene,  contra a invasão do solo de minha Pátria”, é sempre atual, mas esvai-se com o tempo, pela falta de respeito aos nossos antepassados e pela ausência de coragem daqueles que, ao contrário dele, não defendem o Pantanal, quanto mais sua Pátria.
     Pobre do povo que não tem memória,  porque como disse um pensador brasileiro, que não necessito nomear pois todos os nossos patriotas devem, ou deveriam saber quem é, “um País sem passado, mais que um País sem presente, é uma NAÇÃO sem futuro “.
     Sem entrar nesse mérito, gostaria de voltar à questão dos Projetos de Lei que, por incrível que pareça, e não obstante a insatisfação dos pantaneiros corajosos, continuam dentro da nossa Casa de Leis, sob a forma de Comissão, discutindo o indiscutível: só o homem pantaneiro sabe lidar com o Pantanal. Ponto pacífico.
     Os nossos Deputados, possuem uma capacidade incrível de refutar os interesses do povo pantaneiro. Não querem, na verdade, preservar ou conservar o Pantanal, mas sim, atender a interesses de usineiros, Ong’s e todo tipo de gente ou Instituição, que deseja “usar” o Pantanal para obter recursos e assim........
    Já recebi muitos “recados” dizendo para eu “sair da questão”, porque os “interesses do Estado” estão em jogo.
    Primeiro, não gosto de recados. Segundo, digo a esses mal intencionados políticos, que a favor do Pantanal, minhas posições são inarredáveis. Não temo represálias ou posicionamentos, mesmo porque, até agora, ninguém enfrentou as minhas declarações. Quem cala, consente. Consente por omissão, por negligência, por covardia ou ainda, por falta de argumentos.
     Essa legislação que estão propondo é Inconstitucional e, com esse meu argumento, alguns já me disseram, através de “enviados especiais”, que eu deveria dizer porquê, que eu devo me posicionar dentro dessa “estrutura” que eles criaram, mas eu prefiro não dar armas aos inimigos do Pantanal, para derrotar nossos interesses. Podem esquecer essa possibilidade.
     Como, não obstante esses “interesses” escusos e desonestos, não pretendo desistir e tenho (apesar deles), o apoio dos “verdadeiros pantaneiros”, não vou desistir.
     Como não gosto de receber recados e não costumo mandá-los, Senhores Deputados, Senhor Governador, ou quem estiver por trás desses “outros” que pretendem usar o pantanal como palanque político ou para atender grupos ou pessoas, deixo bem claro aqui: deixem a nossa gente em paz. Nós preservamos o pantanal e não permitiremos que vocês, indevida e injustificadamente, se apoderem dele para promoção pessoal ou para obtenção de dividendos, que só Deus sabe dizer quais são.
     Juristas, especialistas, doutores, professores, pesquisadores, legisladores, etc., não tentem usar essa falsa causa como ambiental, porque nós, os pantaneiros de verdade, não permitiremos, e falando por mim, acredito que existem outros interesses que deveriam estar defendendo: o do povo de Mato Grosso. Do Pantanal, cuidamos nós.
     Voltarei ao assunto. Não é um recado ou uma ameaça, é uma promessa. Tudo em nome do “espírito de brasilidade”. Sou pantaneira, sim senhor. 


Oriana Paes de Barros é procuradora federal aposentada e pecuarista

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Uma petista das causas bolsonaristas

edna sampaio 400   A emblemática vereadora petista Edna Sampaio (foto) se mostra a cada dia defensora das pautas bolsonaristas. Na Câmara de Cuiabá se aliou e vota combinado com os direitistas e conservadores tenente Paccola (Cidadania) e Michelly (DEM). No episódio em que a colega parlamentar fez uma "sarrada"...

Esperança do Procon por candidatura

gisela simona 400   Quem pensa que Gisela Simona (foto), aquela que perdeu para prefeita de Cuiabá e se queimou politicamente ao se aliar a Abílio no segundo turno, não se movimenta politicamente com interesse nas eleições de 2022 está redondamente enganado. Ela tenta, por tudo, reassumir a...

Sorriso tenta aval para conceder RGA

estevam calvo 400   A Prefeitura de Sorriso quer pagar RGA aos servidores, mas não encontrou até agora respaldo legal para assim proceder, considerando a Lei Complementar 173/2020 que, no contexto da pandemia, proíbe reajuste no salário de servidores federais, estaduais e municipais até 31 de dezembro deste...

Ambulância doada pela CBF para MT

Aron Dresch 400   O governo estadual recebeu doação de uma ambulância da CBF como forma de reconhecimento à dedicação dos profissionais da Saúde e dos serviços que estão sendo prestados durante a pandemia. O Hospital Metropolitano, em Várzea Grande, foi escolhido para...

Fávaro, relatório e vacina sem Anvisa

carlos favaro 400   O senador mato-grossense Carlos Fávaro (foto), eleito na suplementar do ano passado, está comemorando a aprovação pelos colegas do seu relatório ao Projeto 1315/2021, que libera a importação de vacinas e insumos para o combate à Covid-19 no Brasil e sem depender do...

TRE intima deputado pra se defender

gilberto cattani 400   O TRE já citou o deputado Gilberto Cattani (foto) e o comando do PRTB para se manifestar sobre o pedido do suplente Emílio Populo, que quer a perda do mandato do recém-empossado por infidelidade partidária. O relator é o jurista Sebastião Monteiro. Cattani apresenta defesa na...