Últimas

Sexta-Feira, 01 de Junho de 2007, 20h:22 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

ARTICULAÇÃO

Sem oposição na AL, Maggi vira unanimidade

    

     Depois de se reunir esta semana com deputados rebeldes para apagar incêndio, o governador Blairo Maggi voltou a virar unanimidade junto aos 24 parlamentares na Assembléia. Não há mais oposição. Os que que, em tese, deveriam se opor, agora agem como governistas, como os tucanos Chica Nunes e Carlos Avalone.  Ambos disputaram as eleições do ano passado num palanque com o adversário Antero Paes de Barros. Só restou no isolamento o ex-senador, presidente regional do PSDB.

    O petismo também se curvou aos cargos. Com pretexto de que o governador é aliado do presidente Lula, caiu nos braços do Palácio Paiaguás e nas benesses do poder. O deputado licenciado Ságuas Moraes virou secretário de Educação. Levou consigo para a pasta outra petista: a ex-deputada estadual Vera Araújo, opositora ferrenha nos primeiros quatro anos da administração Maggi. Mesmo os deputados que se mostram independentes, como Otaviano Pivetta (PDT), Chico Galindo (PTB) e Percival Muniz (PPS), não assumem papel de opositores, mantendo apenas críticas pontuais.

    O PMDB, com quatro deputados, fica só no balão de ensaio. Zé do Pátio, Adalto de Freitas, o Daltinho, Walter Rabello e Juarez Costa reagem contra o governo somente quando seus interesses partidários são ameaçados pelo governo. Detalhe: os quatro são pré-candidatos a prefeito. A bancada dos Democratas (ex-PFL) sonha com a oposição de olho em 2010, apostando no nome do senador Jaime Campos ao Palácio Paiaguás, mas, numa disputa, não recusaria o apoio de Maggi por baixo dos panos.

   A oposição minguou. E o pior está num processo fraticida. Hoje, muito à vontade, Maggi se apresenta como um gigante e age como Golias, iniciando um processo de reinado que pode demorar alguns anos. As promessas de campanha, inclusive feitas em 2002, quando o "rei da soja" tentava o primeiro mandato, caíram no esquecimento, entre elas a de reduzir a carga tributária, de mais projetos à área social e de reforma administrativa.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Carlos Roberto de Aguiar | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Isto é grave, pois somente quatro opositores em 24 cadeiras, torna o processo parlamentar um autoritarismo, e a oposição perde a motivação por ser inócua, e as votações passam a ter o carater de unanimidade, e toda unanimidade nao preza pela inteligência. Vai ser a politica do beija mão; Vamos voltar ao tempo do padrinho do coronelzinho etc.

  • Manoel Carlos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    O governo é pífio!!!
    Mato grosso não tem sequer um projeto estratégico para o seu desenvolvimento, muito menos um planejamento, ainda que mínimo.
    As secretarias, notadamente as que detém maior orçamento, dada sua importância, Saúde, Educação e Infraestrutura estão literalmente quebradas. Já consumiram todo o orçamento de 2007.
    Qualquer cidadão, medianamente inteligente, é capaz de verificar isso.
    O que se comenta nos corredores desses órgãos é que isso se deve ao fato de que está se pagando o passivo do ano passado...
    Esse é o governo que veio para ser diferente...
    Se a agricultura vai bem, tudo bem... se vai val, tudo afunda.
    Isso é sinônimo de falta de planejamento, falta de projetos estratégicos de desenvolvimento e a presença de um total descontrole fiscal.
    Um governo pífio e ainda acompanhado de um legislativo pífio e ainda por cima subserviente???
    Esperar o que???
    Fazer o que???
    Só aguardando o decurso de prazo... Faltam 43 meses.
    Demora a passar...

PT na oposição independente do eleito

edna sampaio 400   Independente de quem ocupar o Palácio Alencastro, a partir de janeiro, a professora Edna Sampaio (foto), única eleita pelo PT à Câmara de Cuiabá, fará oposição ao prefeito. E dá sinais de que será uma parlamentar bastante atuante. Neste segundo turno, como o seu...

Secretário não consegue eleger Fred

fred gahyva 400 curtinha   O vereador licenciado e secretário estadual de Saúde, Gilberto Figueiredo, foi um cabo eleitoral incansável pela candidatura de Fred Gahyva (foto) a vereador pela Capital. Ele liderou reuniões nas unidades de saúde, reforçando pedido de voto para o aliado e amigo de...

Deputado agora pula de palanque

elizeu nascimento 400 curtinha   O ex-vereador e hoje deputado estadual Elizeu Nascimento (foto), que amargou a oitava colocação na disputa ao Senado na eleição suplementar do último dia 15, mudou de lado, como se troca de camisa. Em princípio, era apoiador do projeto de reeleição do prefeito...

Ex-aliado, Sales lembra quem é Abílio

coronel sales 400   Em mensagem enviada aos amigos, reforçando pedido de voto para Emanuel Pinheiro, o coronel PM da reserva e secretário de Ordem Pública da Capital, Leovaldo Sales (foto), diz conhecer bem os dois candidatos que disputam, neste segundo turno, o Palácio Alencastro. Sobre Emanuel, lembra que este tem...

Uma perna no muro e dicas indiretas

eduardo botelho 400 curtinha   O presidente da Assembleia, Eduardo Botelho (foto), chega ao final deste 2º turno das eleicões em Cuiabá com uma perna no muro. Ele liberou toda sua equipe para votar em quem quiser e todos pedem voto para Emanuel. Já Botelho, particulamente, preferiu não assumir publicamente o seu...

Nezinho, nova derrota e aposentadoria

nezinho 400   Aos 69 anos, o petebista Carlos Roberto da Costa, o Nezinho (foto), considerado da velha guarda política, tentou, mas foi reprovado nas urnas em Nossa Senhora do Livramento. Ele concorreu a prefeito em quatro pleitos. E já exerceu dois mandatos. Nezinho já foi secretário-adjunto de Fazenda do Estado,...