Últimas

Domingo, 02 de Dezembro de 2007, 07h:30 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

CONFRONTO

Serys crê na vitória e condena dívidas de Cesar

    A senadora Serys Marly disse, logo após votar em si própria na disputa por um novo mandato, que precisa de mais tempo para terminar os seus projetos de estruturação do PT. "Quando peguei o partido estava um verdadeiro caos", lembrou, ao citar pendências com tarifas de água, luz, telefone, aluguel e ainda o salário dos servidores atrasados. Segundo ela, todos os problemas internos foram sanados, mas agora falta dar um impulso político no partido. "Esperava que meu  mandato seguisse até o final de 2008, mas com a  determinação do Congresso Nacional  para antecipar as eleições dos diretórios para não coincidir com as eleições municipais não consegui concluir meus projetos", explica a líder petista.

   Serys, que herdou dívidas do seu antecessor, deputado Alexandre Cesar, agora terá de responder , enquanto presidente da sigla, por uma nova dívida. Acontece que a Justiça condenou o diretório estadual a pagar mais de R$ 500 mil por calote à Mídia Estratégias de Marketing e Comunicação. A empresa prestou serviços durante a campanha de  Alexandre Cesar ao governo do Estado em 2002, conforme reportagem do jornal A Gazeta deste domingo.

   Revoltada com essa situação, Serys disse que já pediu a Alexandre o comprovante de pagamento, mas que observa que até agora ele ainda não apresentou o documento. "Não tenho como responder por isso, pois, assumi o PT em 2005, e, sempre priorizei a transparência na prestação de contas", enfatizou.

   Destaca ainda que não deixou nenhuma pendência referente à campanha do ano passado quando disputou o governo do Estado. "A campanha em que presidi foi a única que deixei o partido sem dever um tostão". Serys afirma que esses casos prejudicam a imagem do PT perante a sociedade. "A parte financeira não é a mais importante, mas sem o financeiro não conquistamos a credibilidade", avalia.

     Eleições-2008

    Serys foi à urna neste domingo otimista com a possibilidade de ser reeleita. Assim que chegou à sede do PT, no bairro Bandeirantes, ela adiantou que vai começar a discutir eleições municipais só depois que souber o resultado da eleição interna do partido, o que deve ocorrer neste domingo por volta de 23 horas, já que a votação e apuração são manuais.

   A senadora admite a intenção de concorrer à sucessão em Cuiabá, a exemplo de 2000, mas, enfatiza que há outros "excelentes nomes" com condições de entrar no páreo. Citou como exemplo a vereadora Enelinda Scala, a ex-deputada Verinha Araújo, o seu assessor Vicente Vuolo e ainda o próprio Carlos Abicalil, com o qual disputa de forma acirrada a direção petista.

     Serys se tornou a primeira mulher a se eleger ao Senado por Mato Grosso. Em 2002, teve 574.563 votos, o que lhe garantiu a segunda vaga, já que a primeira ficou com Jonas Pinheiro (ex-PFL, hoje DEM). Antes, ela foi deputada estadual por três mandatos e ainda registrou uma passagem relâmpago como secretária de Estado de Educação no governo Carlos Bezerra e também comandou a mesma pasta em Cuiabá há quase 20 anos. A parlamentar tenta reconquistar a direção estadual do PT para não perder espaço interno. Também busca recuperar sua liderança nas bases, hoje um tanto combalida após o envolvimento do seu nome da máfia das ambulâncias, mesmo tendo sido absolvida. (Pollyana Araújo)

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • ALBUCASSIS RAMIRES | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    É IMPRESSIONANTE A "CARA DE PAÚ " DESSES "COMPANHEIROS E COMPANHEIRAS",QUE DE NADA SABEM,E NÃO ASSUMEM NADA, ESSE P.T.,É UM SACO DE SIRÍ, É UM MORDENDO O OUTRO,PARA OCUPAR O ESPAÇO E PODER.
    ESTÁ NA HORA DE MATO GROSSO ACORDAR E CONSTATAR QUE A "COMPANHEIRA" SERYS MARLI,NÃO É MAIS A MESMA.
    EM BRASILIA SE TRAVESTE DE BURGUESA E NÃO SAI DOS GRANDES SÃLÕES DE FESTA.ESTÁ EM TODAS.
    ABRA "OS OLHOS COMPANHEIRA" COMO JÁ DIZIA O "COMPANHEIRO" PIGNATI.
    XÔ P.T. É TUDO FARINHA DO MESMO SACO!!!

Silvio provoca debandada no PTB-VG

silvio fidelis 400 curtinha   Silvio Fidélis (foto), afilhado político de Chico Galindo e que se tornou fiel escudeiro da prefeita várzea-grande Lucimar Campos, de cuja gestão é secretário de Educação, provocou debandada geral no PTB local. Inconformado com a decisão de Emanuelzinho de...

PTB tem 25 e deve eleger 2 à Câmara

misael galvao 400 curtinha   O PTB lançou 25 nomes a vereador em Cuiabá. E a tendência é de eleger entre um e dois. As maiores apostas são os seus próprios vereadores: Misael Galvão (foto) e Adevair Cabral, respectivamente, presidente e primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara....

Retorno à Câmara após 6 mandatos

fulo 400 curtinha   Figura bastante popular, especialmente na região da Vila Operária, Lourisvaldo Manoel de Oliveira, o Fulô (MDB), que foi vereador de Rondonópolis por seis mandatos, está de volta. Hoje suplente, ele assume provisoriamente nesta segunda a cadeira do titular Thiago Muniz, que pediu licença...

Bolsonaro nem aí para políticos de MT

nelson barbudo 400 curtinha   O cerimonial da Presidência da República deu de ombros para os políticos, inclusive para a bancada federal mato-grossense, na visita de Bolsonaro, sexta, em Sinop e Sorriso. Alguns tentaram, de forma insistente, tirar foto com o presidente. E até conseguiram. Mas o capitão preferiu...

Tião com Flávio e "pau" nos Campos

tiao da zaeli 400 curtinha   A maior bronca dos Campos em Várzea Grande hoje é com o ex-prefeito Tião da Zaeli (foto), que motivou o amigo e empresário Flávio Vargas, dono do frigorífico Frical, a entrar na disputa à sucessão municipal. E Flávio conseguiu construir um amplo arco de...

A única dos maiores fora da reeleição

rosana martinelli 400 curtinha   Seis dos 10 prefeitos dos maiores municípios de MT poderiam disputar a reeleição neste ano por estarem no primeiro mandato ou já tendo exercido outros não consecutivos. E, destes, somente Rosana Martinelli (foto), de Sinop, não se recandidatou. Percebeu dificuldades...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.