Últimas

Quarta-Feira, 11 de Abril de 2007, 14h:50 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

LEGISLATIVO

Só 2 deputados não precisaram da legenda

Se tivessem mudado de sigla, Riva e Rabello teriam argumentos para não perder mandato 

  Dos 24 deputados estaduais eleitos e reeleitos, somente José Riva (PP) e Walter Rabello (PMDB) não precisaram de legenda partidária. Alcançaram individualmente votos por méritos próprios e, se tivessem mudado de legenda, teriam a votação expressiva como forte argumento para evitar perda de mandato.

    Hoje, quatro deputados estaduais (Sebastião Rezende, Mauro Savi, Sérgio Ricardo e João Malheiros), além de três suplentes (Wagner Ramos, Roberto França e Pedro Satélite) se vêem na berlinda porque trocaram de partido. Pela interpretação do TSE, eles devem perder o mandato porque contrariaram a regra, segundo a qual os partidos ou coligações são donos dos mandatos e não os eleitos. A situação também se complica para o deputado federal Homero Pereira, que trocou o PPS pelo PR.

   O Tribunal sustenta a tese da fidelização e enfatiza que, dos 513 deputados federais eleitos em 2006, apenas 31 não precisaram de legenda partidária para conquistar o mandato.

   Mesmo sob denúncias de supostos atos de improbidade, Riva se reelegeu no ano passado com 82.799 votos, a maior votação proporcional do país. Ele bateu o próprio recorde. Em 2002, conquistou, pelo PSDB, 65.387 votos. Graças aos votos de Riva, o PP garantiu mais duas vagas pela sobra, destinadas a Airton Rondina, o Português, que teve 20.784 votos, e ao jornalista Maksuês Leite, com 15.138.

    Após se tornar o vereador mais votado da história da Capital (8.683 votos), Rabello chegou à Assembléia com 70.646 votos. Também levou consigo o radialista sinopense Juarez Costa (24.631 votos).

    Já os demais parlamentares que compõem o quadro do legislativo mato-grossense tiveram votação inferior. Depois de Riva e Rabello vieram três representantes de Rondonópolis: o peemedebista Zé Carlos do Pátio (42.277 votos), o socialista Percival Muniz (41.719) e Sebastião Rezende (35.521 votos), que migrou do PPS para o PR. O menos votado dos 24 foi o empresário petebista Chico Galindo, com 11.329 votos.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Vereadores de ROO e trocas de siglas

fabio cardozo 400 curtinha   Em Rondonópolis, praticamente a metade dos vereadores está aproveitando a janela, que se encerra neste sábado, para mudar de partido, e já com as atenções voltadas à reeleição. E, com a dança das cadeiras, o Solidariedade do prefeito Zé do...

Podemos absorve a turma do barulho

O Podemos conseguiu juntar no seu diretório em Cuiabá a turma do barulho. Dela fazem parte dois com mandatos cassados, Abílio Júnior, que perdeu a cadeira de vereador por quebra de decoro, e a senadora Selma Arruda, cassada por caixa 2 e abuso de poder econômico, mas que ainda continua no cargo. Selma impôs condições para seguir no partido. Chegou a negociar ida para o PSC. E ganhou a presidência municipal do Pode, forçando o...

Secretário, furtos e a incompetência

rodrigo metello 400 curtinha   O secretário de Transporte e Trânsito de Rondonópolis, Rodrigo Metello (foto), filiado ao MDB e pré-candidato a vereador, corre risco de ser acionado na Justiça por centenas de pessoas que tiveram motocicletas apreendidas e que depois acabaram furtadas do Pátio Rondon. O local...

Vereador na base e críticas a Leonardo

leonardo 400 curtinha   Chico 2000, vereador pela Capital, assegura que não procede a informação de que o seu Partido Liberal irá romper com o prefeito Emanuel, não o apoiando à reeleição. Segundo ele, foi Leonardo Oliveira (foto), que participou na quarta de uma reunião do...

Embates sobre a cadeira da discórdia

selma arruda curtinha 400   A cadeira da senadora Selma Arruda (foto), que está cassada há um ano mas, mesmo assim, continua no cargo, vem dividindo opinião de vários líderes políticos, uns torcendo logo para a Mesa do Senado decretar a vacância para Carlos Fávaro assumir a vaga, outros...

PL avisa Chico que não apoiará EP

chico 2000 curtinha   O vereador Chico 2000 (foto), único do PL na Câmara de Cuiabá e governista de carteirinha, se mostrou  desconfortável politicamente quando foi informado nesta quinta que a legenda liberal não vai apoiar a reeleição do prefeito Emanuel, do MDB. O partido é comandado no...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.