Últimas

Quinta-Feira, 20 de Dezembro de 2007, 13h:00 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:19

PESQUISA

Sob Brito, Segurança recebe nota zero de 21%

    A segurança pública do Estado, sob Carlos Brito, (PR), é um dos setores mais complexos e criticados e o nível de descontentamento, numa escala de zero a 10, chega a 22% dos cuiabanos. Foi o que constatou uma pesquisa do instuto Mark, em trabalho de campo nos últimos dias 15 e 16. Foram entrevistadas 646 pessoas. A margem de erro é de 3 pontos percentuais para mais ou para menos.

   Os entrevistadores fizeram a seguinte pergunta: "Que nota de 0 a 10, o sr (a) daria para a segurança pública, na gestão do secretário Carlos Brito?" Dos entrevistados, 21,9% deram nota zero ao setor, enquanto 0,5% entendem que a segurança pública merece nota dez.

   Para 4,2%, o setor merece nota 1. Já 4,3%, a segurança pública é merecedora de nota 2. Na concepção de 15% dos cuiabanos, a segurança no Estado está "regular" e merece nota 5. A nota 6 dada por 10,5% e uma classifica 7 na avaliação de 5,4% dos que emitiram opinião. A Segurança Pública recebeu nota oito de 5,7%, enquanto 1,2% acredita que Brito precisa fazer pouco para alcançar uma ótima gestão, pois lançaram ao setor nota nove.

  Ex-deputado estadual, Carlos Brito está à frente da Sejusp desde janeiro desde ano. Ele é político e tenta atuar como técnico. Após ser derrotado à reeleição, foi acolhido na gestão Maggi. Assumiu a pasta no lugar do promotor de Justiça Célio Wilson de Oliveira, que não pôde permanecer no cargo em virtude da decisão do Conselho Nacional do Ministério Público, que proibiu membros da instituição de ocupar cadeiras no Executivo.

    Nestes 11 meses de gestão, Carlos Brito enfrentou uma série de obstáculos que trouxeram desgaste político por ser considerado o "comandante da tropa". Enfrentou crise com repercussão até internacional devido a uma simulação desastrosa da PM em Rondonópolis, quando um menor morreu atingido por um tiro. Teve de vir a público explicar as razões de uma operação no Araguaia, em que policiais foram acusados de torturar trabalhadores.

    Brito enfrentou ainda fugas em massa nos prédios e, após muita resistência, se viu obrigado a recuar após decretar extintas as estruturas das polícias comunitária, de trânsito e de meio ambiente. Para complicar sua situação, Brito ainda conviveu com um drama pessoal, porque um de seus filhos foi acusado de cometer crime. Hoje, o secretário enfrenta embate com os agentes policiais, que estão em greve, na luta por reajuste salarial. Por fim, tenta superar o "inferno astral" vivido no início de sua gestão, e promete investimentos no aparelhamento policial. (Simone Alves)

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • César de Oliveira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0


    Papai Noel Blairo olhai pela seguraça do povo.


    Essa pesquisa reflete o caos da segurança em nosso estado. É resultado de um setor tão importante, entregue a uma pessoa que nada tem haver com área. No caso Carlos Brito, um verdadeiro incompetente em termos de segurança.

    Já que o governador pousa de Papai Noel, desejo-lhe´pedir-lhe um presente nesse final de ano: Governador tire Carlos Brito da Segurança, coloque no lugar dele uma pessoa que conhece da área.

    Esse é o presente que é desejado pela grande maioria dos matogrossenses. Que querem segurança.

  • Ederson Matos | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Não é o Brito que tem que ser reprovado, mas sim, próprio governador, é ele que manda em todos... O pobre do Carlos Brito é empregado como outro qualquer... Se a segurança tá assim é porque os filhor do governador não andam de ônibus pela cidade, não passeiam pelos bairros nas madrugadas.... Só vivem de segurança para cima e para baixo.... A CULPA É DO BLAIRO!!!!!!!!!

  • PAULO COSTA | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    SEM DÚVIDA, ESSE É O REFLEXO DE SE COLOCAR GENTE QUE DESCONHECE ESSA AREA.
    POR QUE NÃO VOLTAR O COMPETENTE DR CORBELINO QUE MUITO FEZ PELA SEGURANÇA PUBLICA.
    QUE SAUDADE!!!!!!
    SE MEXE GOVERNADOR

Pode abandona Raye e pune Saggin

sandro saggin curtinha 400   Sandro Saggin (foto) amargou outra derrota em Barra do Garças. Inicialmente, seria candidato a prefeito pelo Podemos. Mas resolveu, por conta própria, levar o partido para uma coligação com partidos de esquerda que lançaram o ex-prefeito Paulo Raye, apoiado pelo PC do B, PT e Pros. A...

Ex-vereador recua para apoiar primo

divino 400 barra do bugres   Ex-vereador, ex-presidente da Câmara e empresário bem sucedido, Chico Guarnieri (PTB) não será candidato a prefeito de Barra do Bugres nas eleições deste ano. Guarnieri, que disputou a prefeitura em 2016, até ensaiou, mas recuou ao ver que o primo, pedetista Doutor Divino...

3 ex-prefeitos viram cabos eleitorais

percival muniz 400 curtinha   Dois candidatos de oposição em Rondonópolis têm ex-prefeitos como principais cabos eleitorais. O empresário Luiz Fernando, o Luizão (Republicanos), conta com apoio de Adilton Sachetti, que já comandou o município e perdeu na tentativa de reeleição, e...

3 candidatos competitivos em Sinop

roberto dorner 400   Apesar da "inflação" de candidatos a prefeito de Sinop, com cinco no páreo, a disputa tende a se acirrar mesmo entre o empresário Roberto Dorner (foto), do Republicanos e apoiado pela prefeita Rosana Martinelli (PL), o ex-prefeito e deputado Juarez Costa, que atraiu 10 partidos para o palanque, e o...

Ex-prefeito no páreo em Alta Floresta

robson silva 400 curtinha   Alta Floresta, uma das cidades pólos do Nortão, tem sete candidatos a prefeito. Um deles é Robson Silva (foto), empresário, ex-prefeito entre 93 e 96 e que concorre pelo MDB, mesmo partido do prefeito Asiel Bezerra, que está encerrando o segundo mandato e se tornou um dos principais...

Vice sinopense quer retornar à Câmara

gilson de oliveira 400 curtinha   O vice-prefeito de Sinop e apresentador de TV, Gilson de Oliveira (foto), resolveu concorrer a vereador, cadeira já ocupada por ele por dois mandatos, o primeiro pelo PSDB, entre 2005 e 2008, e, depois, pelo PSD (2009/2012). Foi candidato a deputado estadual duas vezes (2006 e 2010) e, como suplente da...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.