Últimas

Sexta-Feira, 09 de Março de 2007, 10h:03 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Subir no toco

    Com o título 'Subir no toco', o jornalista Kleber Lima discorre sobre o novo Partido da República, que recebeu a filiação do governador Blairo Maggi, e a discussão antecipada do debate sobre a sucessão em Cuiabá. Confira abaixo.

   A filiação a um novo partido do governador Blairo Maggi e parte do seu grupo (um grande líder como governador não precisaria ter partido, pois sua liderança se espalha por várias legendas), bem como a divulgação de pesquisas de intenção de voto nas últimas semanas, fizeram precipitar um debate que é, de fato, precipitado, e perigoso, acerca da sucessão do prefeito Wilson Santos, no ano que vem, em Cuiabá.
    Claro que o tempo da política se faz por fatores objetivos, como o calendário imposto pela legislação eleitoral, mas sofre uma influência muito forte dos chamados fatores subjetivos, que residem mais no campo da vontade, do desejo, e da capacidade de articulação.
    Iniciamos 2007 com pelo menos 11 candidatos virtuais ao Palácio Alencastro (Mauro Mendes, Walter Rabelo, Sérgio Ricardo, Wilson Santos, Carlos Brito, Carlos Abicalil, Eder Moraes, Roberto França, Iraci França, Serys Marli, Thelma de Oliveira - ordem aleatória) entre outros que me faltam à memória.
    A precipitação do debate já provocou prejuízos a pelo menos dois deles: Eder Moraes, que se envolveu numa luta inglória com gente muito mais forte que ele no momento, e foi convidado a desistir; e Mauro Mendes, que por razões ainda não muito esclarecidas, teria desistido de concorrer.
   Sobram, em tese, nove postulantes. Se a precipitação prevalecer, antes de junho, um ano antes da data-limite para as convenções, outros ainda serão pegos no contrapé, e não terão outra alternativa senão abortar aquilo que mal começaram.
    A não precipitação, aparentemente, interessa mais ao prefeito Wilson Santos, uma vez que se o debate eleitoral começar desde já, ele verá sua base de apoio, já frágil e inconsistente, virar pó de vez.
    De fato, a primeira vítima dessa antecipação do debate é o prefeito. Não é à toa que ele mesmo já anunciou de público que não é hora de discutir eleição, que está muito cedo, blá-blá-blá.
    Mas, como já dito, qualquer um dos demais nomes corre o mesmo risco. Afinal, como diz o adágio popular, o mesmo risco que corre o pau, corre o machado.
     Para os líderes nas pesquisas (que ainda não podem ser tratadas, rigorosamente, como "intenção de voto", pela distância que nos separa da eleição, mas apenas como indicadores circunstanciais), há o risco de se agarrarem a números muito favoráveis agora, quando não há de fato uma mobilização do eleitor e da opinião pública para o tema, e, depois, quando começar o jogo de verdade, despencarem nas curvas, caindo no mar da desacreditação, igual cavalo paraguaio.
    Para os que estão muito atrás, o risco é não serem levados a sério, e acabarem radicalizando posições e ficando isolados. Os mais confortáveis são os que estão em posição intermediária. Mas, desde que se comportem como candidatos intermediários: que possuem boa lembrança e boa imagem, mas que ainda não têm muitos alicerces para erguerem seus projetos.
    A atitude mais sensata e inteligente para os desejosos de entrar no jogo da sucessão municipal do ano que vem, em Cuiabá ou em qualquer outra cidade, é a discrição, jogando toda sua energia na articulação silenciosa de uma base de apoio, na projeção positiva de seu nome, e na sua preparação pessoal, tanto intelectual, política e financeira, quanto emocional. Trocando em miúdos, é hora de subir no toco e ficar atento, para, se o cavalo passar encilhado, montar no baita e cavalgar até a vitória. No máximo, criar um corredor forçando o cavalo a passar ao lado do seu toco.

(*) KLEBER LIMA é jornalista pós-graduado em marketing e consultor de comunicação e marketing político. E-mail: kleberlima@terra.com.br. www.kgmcomunicacao.com.br.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Corrida de Teis no noticiário nacional

waldir teis 400 curtinha   As imagens que mostram o conselheiro afastado do TCE Waldir Teis (foto) descendo em alta velocidade as escadas de um prédio para jogar no lixo vários cheques rasgados que somavam R$ 450 mil ganharam o noticiário nacional, com destaque neste domingo em veículos, como Folha de S. Paulo, G1 e IG....

Esforço de ex-senadora para eleger 2

rafael ranalli curtinha 400   Eleita no pleito de 2018 e cassada em definitivo em abril deste ano, a ex-senadora Selma Arruda, presidente do Podemos de Cuiabá, pode deixar o partido após o processo eleitoral deste ano. Segundo informações, a juíza aposentada se afastaria da política partidária para...

6 parlamentares já foram infectados

wilson santos 400 curtinha   Desde o início da pandemia, em março, seis dos 24 deputados estaduais já testaram positivo para Covid-19. O último foi Wilson Santos (foto). Ele disse que recebeu medicação e está em isolamento. Observa que a doença está no início e segue trabalhando...

Pedido para TSE definir data da eleição

sebastiao carlos 400 curtinha   Na última quarta (2), um dia após a Câmara aprovar a PEC que adia as eleições municipais para 15 de novembro, André de Albuquerque Teixeira, advogado de Sebastião Carlos, que concorreu ao Senado e um dos que denunciaram Selma Arruda por crimes eleitorais, já...

Uma das apostas do PP para vereador

alex rodrigues 400 curtinha   O PP já tem no rol de possíveis eleitos a vereador em Cuiabá o jovem Alex Rodrigues (foto), de 31 anos. Filho do empresário Valúcio Rodrigues e sobrinho do secretário de Obras Públicas da Capital, Wanderlúcio Rodrigues, Alex criou uma comunidade com mais de mil...

Prefeito, efeito pandemia e a reeleição

ze do patio 400 curtinha   Mesmo com o poderio da máquina, considerada preponderante para cooptar partidos e aliados por causa da oferta de cargos e do assistencialismo, o prefeito Zé do Pátio (foto), de Rondonópolis, terceira em população e segunda no ranking da economia estadual, terá muitos...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.