Últimas

Quarta-Feira, 03 de Outubro de 2007, 09h:09 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Tem vaga, mas não tem profissional...

     Trabalhar no mercado de desenvolvimento e seleção de profissionais tem sido uma experiência bastante estressante.
     Por um lado, convivemos com um mercado de inúmeros profissionais com o currículo em mãos, sedentos por novas oportunidades de carreira, na busca de melhores salários e crescimento profissional.
     Por outro lado, vemos empresas buscando profissionais competentes, comprometidos com a carreira, que somem valores, pela criatividade, potencial técnico, bom relacionamento interpessoal, facilidade de comunicação, dentre outras competências almejadas.
     O que nos impressiona é o resultado desta combinação: vagas não-preenchidas, por longos períodos (meses, e em alguns casos, anos), por falta de profissionais; e profissionais desempregados, por meses (ou anos), sem grandes chances de recolocação.
     O que está acontecendo neste mercado? Há algo de bastante incongruente nessa realidade, visto que, a princípio, temos oferta e demanda suficientes para, ao menos, atender às duas partes interessadas: empresas contratando profissionais e nível de desemprego reduzindo.
     Mas o que ouvimos, diariamente, é a reclamação de inúmeras empresas que não conseguem fechar suas vagas e a de profissionais que não conseguem empregos.
     Podemos avaliar a situação por diversos ângulos:
     1. O mercado não dispõe do volume de profissionais, técnica e comportamentalmente, aptos para as vagas abertas, por deficiência ou carência de instituições profissionalizantes e de Empresas com modelos de gestão que gerem profissionais excelentes;
     2. Muitos "profissionais" não estão dispostos a utilizar seu tempo para estudar e se desenvolver; têm "preguiça" mesmo, estão na busca de "emprego", e não de verdadeiras oportunidades;
     3. A velocidade de crescimento da economia no Brasil, e especialmente em Mato Grosso, demanda por um volume de profissionais não-disponíveis no mercado, principalmente em carreiras técnicas;
     4. Há excesso de profissionais qualificados para carreiras para as quais não há grande demanda.
     Poderíamos citar outras situações, mas estas são as mais comuns.
     O que fazer, então, para levar a empresa ao crescimento diante deste cenário?
     Como garantir que as oportunidades de negócio sejam aproveitadas com tamanha dificuldade em localizar profissionais no mercado de trabalho?
     Claro que alternativas existem e podem também ser tentadas, quando o tempo é curto e precisa-se de respostas imediatas.
     Para o contexto em análise, usa-se a estratégia de buscar pessoas em outros mercados do país, o que resolve a situação no curto prazo, mas, no médio e longo, gera rotatividade em virtude da dificuldade de adaptação do profissional a uma nova realidade sociocultural, em locais muitas vezes distantes da família.
     Pode-se também usar da técnica "hunting", que significa convidar pessoas que trabalham em empresas concorrentes. Literalmente "caçar" talentos. O problema é que o hunting "inflaciona" o mercado e não é suficiente para uma realidade de alta demanda por profissionais. Isto porque, em síntese, não temos, no Brasil, o tipo de profissional desejado, empregado ou desempregado.
     Como lidar com este cenário em um ambiente onde as perspectivas de crescimento para os próximos anos são tão otimistas?
     A resposta ideal é: desenvolver pessoas.
     Desenvolver competências, então, é a resposta para um futuro consistente, pois quem deseja ser desenvolvido não tem vícios de outros modelos de gestão e está totalmente disponível para aprender e mostrar seu valor.
     Claro que estamos falando de forma genérica, pois profissionais que querem ganhar dinheiro sem a contrapartida da competência e do comprometimento, aparecem em todos os níveis da carreira, inclusive de estagiários...
     Empresas que desenvolvem seus funcionários conseguem gerar mão-de-obra para o seu próprio processo de crescimento e, ainda, contribuem para a melhoria socioeconômica da população. Oferecem oportunidade de aprendizado para melhorar o nível cultural dos profissionais, ampliando perspectivas de carreira.
     Por outro lado, desenvolver pessoas requer tempo, por isso precisa fazer parte de um projeto de médio e longo prazo, de forma a garantir a visão de futuro da empresa.
     Quem olha somente para os próximos seis meses, sem planejar aonde quer chegar daqui a alguns anos, pode estar caminhando para um resultado indesejado.
     E, como diz o antigo ditado, quando não se sabe aonde se quer chegar, qualquer caminho serve.


Lorena Lacerda é coach de executivos em Cuiabá. E-mail: lorena@grupovalure.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Entrando na briga à AMM muito tarde

maurao curtinha 400   Mauro Rosa, o Maurão (foto), que está encerrando o segundo mandato como prefeito de Água Boa, é o único candidato no duelo com Neurilan Fraga, que busca mais um mandato no comando da AMM, entidade que representa as prefeituras mato-grossenses. O problema é que Maurão entrou...

Com Paccola, Câmara terá polêmicas

paccola 400 curtinha   O vereador eleito pela Capital, tenente-coronel PM Marcos Eduardo Ticianel Paccola (foto), do Cidadania, promete levar muitas polêmicas para os embates que pretende travar no Legislativo. Ele é daqueles sem papas na língua. Defende, por exemplo, que a população tenha direito de se armar. Em...

Esposa de deputado na 2ª suplência

maria avalone 400   Não foi só o deputado estadual Wilson Santos que frustrou-se na tentativa de eleger membro da família à cadeira de vereador. O também parlamentar Carlos Avalone, presidente regional do PSDB, apostou todas as fichas na esposa Maria Avalone. Mas ela só chegou à...

Neurilan e apoio de Botelho à AMM

eduardo botelho 400 curtinha   Em busca de apoio de lideranças políticas para permanecer no comando da AMM por mais três anos, Neurilan Fraga foi pedir socorro para o presidente da Assembleia, deputado Eduardo Botelho (foto). Quer que o parlamentar seja o presidente de honra de sua chapa. Neurilan tem se articulado como pode e,...

Candidato irritado chama EP de traste

abilio junior 400 curtinha   Abílio Júnior (foto), candidato do Podemos ao Palácio Alencastro, tem se mostrado mais irritado depois do debate promovido pela Fecomércio, na quarta à noite, quando, em vários momentos, se viu questionado e desqualificado pelo prefeito e candidato à...

Prefeito reeleito sob investigações

ze do patio 400 curtinha   A situação jurídica do prefeito populista e desgastado Zé do Pátio (foto), que acaba de ser reeleito para o terceiro mandato em Rondonópolis, sendo o segundo consecutivo, não é das melhores. Contra sua gestão tem pipocado denúncias sobre...