Últimas

Quarta-Feira, 03 de Outubro de 2007, 09h:09 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Tem vaga, mas não tem profissional...

     Trabalhar no mercado de desenvolvimento e seleção de profissionais tem sido uma experiência bastante estressante.
     Por um lado, convivemos com um mercado de inúmeros profissionais com o currículo em mãos, sedentos por novas oportunidades de carreira, na busca de melhores salários e crescimento profissional.
     Por outro lado, vemos empresas buscando profissionais competentes, comprometidos com a carreira, que somem valores, pela criatividade, potencial técnico, bom relacionamento interpessoal, facilidade de comunicação, dentre outras competências almejadas.
     O que nos impressiona é o resultado desta combinação: vagas não-preenchidas, por longos períodos (meses, e em alguns casos, anos), por falta de profissionais; e profissionais desempregados, por meses (ou anos), sem grandes chances de recolocação.
     O que está acontecendo neste mercado? Há algo de bastante incongruente nessa realidade, visto que, a princípio, temos oferta e demanda suficientes para, ao menos, atender às duas partes interessadas: empresas contratando profissionais e nível de desemprego reduzindo.
     Mas o que ouvimos, diariamente, é a reclamação de inúmeras empresas que não conseguem fechar suas vagas e a de profissionais que não conseguem empregos.
     Podemos avaliar a situação por diversos ângulos:
     1. O mercado não dispõe do volume de profissionais, técnica e comportamentalmente, aptos para as vagas abertas, por deficiência ou carência de instituições profissionalizantes e de Empresas com modelos de gestão que gerem profissionais excelentes;
     2. Muitos "profissionais" não estão dispostos a utilizar seu tempo para estudar e se desenvolver; têm "preguiça" mesmo, estão na busca de "emprego", e não de verdadeiras oportunidades;
     3. A velocidade de crescimento da economia no Brasil, e especialmente em Mato Grosso, demanda por um volume de profissionais não-disponíveis no mercado, principalmente em carreiras técnicas;
     4. Há excesso de profissionais qualificados para carreiras para as quais não há grande demanda.
     Poderíamos citar outras situações, mas estas são as mais comuns.
     O que fazer, então, para levar a empresa ao crescimento diante deste cenário?
     Como garantir que as oportunidades de negócio sejam aproveitadas com tamanha dificuldade em localizar profissionais no mercado de trabalho?
     Claro que alternativas existem e podem também ser tentadas, quando o tempo é curto e precisa-se de respostas imediatas.
     Para o contexto em análise, usa-se a estratégia de buscar pessoas em outros mercados do país, o que resolve a situação no curto prazo, mas, no médio e longo, gera rotatividade em virtude da dificuldade de adaptação do profissional a uma nova realidade sociocultural, em locais muitas vezes distantes da família.
     Pode-se também usar da técnica "hunting", que significa convidar pessoas que trabalham em empresas concorrentes. Literalmente "caçar" talentos. O problema é que o hunting "inflaciona" o mercado e não é suficiente para uma realidade de alta demanda por profissionais. Isto porque, em síntese, não temos, no Brasil, o tipo de profissional desejado, empregado ou desempregado.
     Como lidar com este cenário em um ambiente onde as perspectivas de crescimento para os próximos anos são tão otimistas?
     A resposta ideal é: desenvolver pessoas.
     Desenvolver competências, então, é a resposta para um futuro consistente, pois quem deseja ser desenvolvido não tem vícios de outros modelos de gestão e está totalmente disponível para aprender e mostrar seu valor.
     Claro que estamos falando de forma genérica, pois profissionais que querem ganhar dinheiro sem a contrapartida da competência e do comprometimento, aparecem em todos os níveis da carreira, inclusive de estagiários...
     Empresas que desenvolvem seus funcionários conseguem gerar mão-de-obra para o seu próprio processo de crescimento e, ainda, contribuem para a melhoria socioeconômica da população. Oferecem oportunidade de aprendizado para melhorar o nível cultural dos profissionais, ampliando perspectivas de carreira.
     Por outro lado, desenvolver pessoas requer tempo, por isso precisa fazer parte de um projeto de médio e longo prazo, de forma a garantir a visão de futuro da empresa.
     Quem olha somente para os próximos seis meses, sem planejar aonde quer chegar daqui a alguns anos, pode estar caminhando para um resultado indesejado.
     E, como diz o antigo ditado, quando não se sabe aonde se quer chegar, qualquer caminho serve.


Lorena Lacerda é coach de executivos em Cuiabá. E-mail: lorena@grupovalure.com.br

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

CAA-MT fará vacinação contra H1N1

ittalo leite 400 caixa de assistencia   A Caixa de Assistência dos Advogados de Mato Grosso (CAA/MT), presidida por Ittalo Leite (foto), já deu início à Campanha de Vacinação Contra a gripe H1N1. Serão disponibilizadas seis mil doses da vacina para imunização contra a Influenza A e B,...

Governo compra 103 motos para PM

O governo estadual vai entregar nos próximos dias 103 motocicletas à Polícia Militar. Isso deveria ter ocorrido nesta segunda, mas foi adiado e ainda sem data definida. As motos serão utilizadas pelas equipes de policiais da Companhia Raio de Moto-Patrulhamento, Força Tática e pelo policiamento ordinário na Região Metropolitana de Cuiabá e em vários outros municípios. No primeiro lote, o governador Mauro...

Ex-prefeito, contratos e multa do TCE

jeovan faria 400   O ex-prefeito de Campinápolis, Jeovan Faria (foto), vai ter de pagar uma multa equivalente a 10 UPFs/MT, o que corresponde hoje a R$ 1,8 mil, como punição por contratação de pessoal por tempo determinado sem atender à necessidade temporária de excepcional interesse público....

Decon investiga "fura-fila" da vacina

O delegado Rogério Ferreira, da Especializada do Consumidor (Decon), instaurou o que se chama de Auto de Investigação Preliminar para apurar possíveis irregularidades no cumprimento da ordem de vacinação contra a Covid-19 dentro dos critérios estabelecidos pela Prefeitura de Cuiabá. Na prática, busca investigar possíveis situações de “fura-fila” e outras circunstâncias ilegais. Rogério...

Um assessor parlamentar no TCE-MT

carlos brito 400   Carlos Brito (foto), que já ocupou diversos mandatos eletivos, será nomeado assessor parlamentar do TCE, cargo ligado diretamente à presidência. Ali, em sintonia com o gabinete do presidente Maluf, terá a missão de regulamentar o processo de solicitação da Assembleia...

Covid mata 20º pastor da Assembleia

aparecido domingues pastor cidao 400   Morreu neste sábado mais um pastor da Assembleia de Deus em consequência da Covid-19. Aparecido Francisco Domingues, o Cidão (foto), que era vice-presidente em Paranaíta, é o 20º pastor da Igreja em Mato Grosso a vir a óbito, após ser infectado pelo novo...