Últimas

Sexta-Feira, 02 de Maio de 2008, 10h:57 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:20

VARIEDADES

TJ de MT apura desvio de R$ 1,5 mi a juízes

Corregedoria aponta indícios de enriquecimento ilícito de magistrados e diz que maior parte da verba foi repassada à maçonaria

Investigação mostra que esquema foi operado com verbas indevidas pagas, de 2004 a 2005, a juízes maçons ligados à cúpula do tribunal


RODRIGO VARGAS
DA AGÊNCIA FOLHA, EM CUIABÁ


Relatório de investigação criminal da corregedoria do TJ (Tribunal de Justiça) de Mato Grosso aponta "sérios indícios" de que os cofres do Judiciário foram utilizados para "enriquecimento ilícito" de magistrados e para cobrir o rombo provocado pela quebra de uma cooperativa de crédito conveniada à maçonaria no Estado.

  De acordo com a investigação, verbas públicas foram usadas em uma "operação de socorro" destinada a restituir R$ 1.477.872,79 em depósitos feitos por 160 maçons da Grande Oriente de Mato Grosso -entidade máxima da maçonaria no Estado- na Cooperativa de Crédito Rural do Pantanal, fechada pelo Banco Central em novembro de 2004.

  A operação se desenrolou, segundo a corregedoria, entre os meses de dezembro de 2004 e fevereiro de 2005 e foi concretizada, em parte, por meio do pagamento de verbas indevidas a um desembargador e a dois juízes, todos maçons, integrantes ou ligados à cúpula do TJ entre os anos de 2003 e 2005.

  No mesmo período, outros cinco juízes receberam créditos em atraso a que tinham direito -referentes ao pagamento de verbas indenizatórias. Por meio de quebras de sigilo bancário e fiscal, o relatório sustenta que a maior parte desses valores foi repassada, direta ou indiretamente, à maçonaria.

  "Pairam fundadas suspeitas de que alguém teve a luminosa idéia de buscar recursos da fonte do Tribunal de Justiça, por meio de pagamentos de créditos aos seus magistrados, maçônicos ou não, desde que tivessem desprendimento para ceder aos apelos da ordem maçônica", diz trecho do relatório, assinado pelo corregedor-geral de Justiça, Orlando Perri.
À ocasião da suposta operação, o presidente e ordenador de despesas do TJ era o desembargador José Ferreira Leite, grão-mestre da maçonaria de MT. Em janeiro de 2005, ele recebeu R$ 314 mil -que, conforme o relatório, eram indevidos.

  No mesmo mês, diz a apuração, receberam créditos irregulares os juízes Marcelo de Souza Barros (R$ 255.306) e Marco Aurélio Ferreira (R$ 134.333). Créditos regulares, por sua vez, foram repassados aos juízes Antônio Horácio da Silva Neto (R$ 82.760) e Irênio Lima Fernandes (R$ 150.537). Barros, Silva Neto e Fernandes tinham cargos na maçonaria. Ferreira é filho do então presidente do TJ.

  Três juízas também receberam créditos. Duas disseram à auditoria que foram convencidas pelos magistrados maçons a emprestar parte dos valores "para resolver uma situação financeira da maçonaria".
A investigação foi enviada ao Superior Tribunal de Justiça.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Reed Grant | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

Silvio provoca debandada no PTB-VG

silvio fidelis 400 curtinha   Silvio Fidélis (foto), afilhado político de Chico Galindo e que se tornou fiel escudeiro da prefeita várzea-grande Lucimar Campos, de cuja gestão é secretário de Educação, provocou debandada geral no PTB local. Inconformado com a decisão de Emanuelzinho de...

PTB tem 25 e deve eleger 2 à Câmara

misael galvao 400 curtinha   O PTB lançou 25 nomes a vereador em Cuiabá. E a tendência é de eleger entre um e dois. As maiores apostas são os seus próprios vereadores: Misael Galvão (foto) e Adevair Cabral, respectivamente, presidente e primeiro-secretário da Mesa Diretora da Câmara....

Retorno à Câmara após 6 mandatos

fulo 400 curtinha   Figura bastante popular, especialmente na região da Vila Operária, Lourisvaldo Manoel de Oliveira, o Fulô (MDB), que foi vereador de Rondonópolis por seis mandatos, está de volta. Hoje suplente, ele assume provisoriamente nesta segunda a cadeira do titular Thiago Muniz, que pediu licença...

Bolsonaro nem aí para políticos de MT

nelson barbudo 400 curtinha   O cerimonial da Presidência da República deu de ombros para os políticos, inclusive para a bancada federal mato-grossense, na visita de Bolsonaro, sexta, em Sinop e Sorriso. Alguns tentaram, de forma insistente, tirar foto com o presidente. E até conseguiram. Mas o capitão preferiu...

Tião com Flávio e "pau" nos Campos

tiao da zaeli 400 curtinha   A maior bronca dos Campos em Várzea Grande hoje é com o ex-prefeito Tião da Zaeli (foto), que motivou o amigo e empresário Flávio Vargas, dono do frigorífico Frical, a entrar na disputa à sucessão municipal. E Flávio conseguiu construir um amplo arco de...

A única dos maiores fora da reeleição

rosana martinelli 400 curtinha   Seis dos 10 prefeitos dos maiores municípios de MT poderiam disputar a reeleição neste ano por estarem no primeiro mandato ou já tendo exercido outros não consecutivos. E, destes, somente Rosana Martinelli (foto), de Sinop, não se recandidatou. Percebeu dificuldades...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você acha que o efeito-Bolsonaro terá impacto no resultado das eleições de novembro em MT?

sim - onda Bolsonaro continua

não - efeito não influencia mais

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.