Últimas

Sexta-Feira, 02 de Maio de 2008, 10h:57 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:20

VARIEDADES

TJ de MT apura desvio de R$ 1,5 mi a juízes

Corregedoria aponta indícios de enriquecimento ilícito de magistrados e diz que maior parte da verba foi repassada à maçonaria

Investigação mostra que esquema foi operado com verbas indevidas pagas, de 2004 a 2005, a juízes maçons ligados à cúpula do tribunal


RODRIGO VARGAS
DA AGÊNCIA FOLHA, EM CUIABÁ


Relatório de investigação criminal da corregedoria do TJ (Tribunal de Justiça) de Mato Grosso aponta "sérios indícios" de que os cofres do Judiciário foram utilizados para "enriquecimento ilícito" de magistrados e para cobrir o rombo provocado pela quebra de uma cooperativa de crédito conveniada à maçonaria no Estado.

  De acordo com a investigação, verbas públicas foram usadas em uma "operação de socorro" destinada a restituir R$ 1.477.872,79 em depósitos feitos por 160 maçons da Grande Oriente de Mato Grosso -entidade máxima da maçonaria no Estado- na Cooperativa de Crédito Rural do Pantanal, fechada pelo Banco Central em novembro de 2004.

  A operação se desenrolou, segundo a corregedoria, entre os meses de dezembro de 2004 e fevereiro de 2005 e foi concretizada, em parte, por meio do pagamento de verbas indevidas a um desembargador e a dois juízes, todos maçons, integrantes ou ligados à cúpula do TJ entre os anos de 2003 e 2005.

  No mesmo período, outros cinco juízes receberam créditos em atraso a que tinham direito -referentes ao pagamento de verbas indenizatórias. Por meio de quebras de sigilo bancário e fiscal, o relatório sustenta que a maior parte desses valores foi repassada, direta ou indiretamente, à maçonaria.

  "Pairam fundadas suspeitas de que alguém teve a luminosa idéia de buscar recursos da fonte do Tribunal de Justiça, por meio de pagamentos de créditos aos seus magistrados, maçônicos ou não, desde que tivessem desprendimento para ceder aos apelos da ordem maçônica", diz trecho do relatório, assinado pelo corregedor-geral de Justiça, Orlando Perri.
À ocasião da suposta operação, o presidente e ordenador de despesas do TJ era o desembargador José Ferreira Leite, grão-mestre da maçonaria de MT. Em janeiro de 2005, ele recebeu R$ 314 mil -que, conforme o relatório, eram indevidos.

  No mesmo mês, diz a apuração, receberam créditos irregulares os juízes Marcelo de Souza Barros (R$ 255.306) e Marco Aurélio Ferreira (R$ 134.333). Créditos regulares, por sua vez, foram repassados aos juízes Antônio Horácio da Silva Neto (R$ 82.760) e Irênio Lima Fernandes (R$ 150.537). Barros, Silva Neto e Fernandes tinham cargos na maçonaria. Ferreira é filho do então presidente do TJ.

  Três juízas também receberam créditos. Duas disseram à auditoria que foram convencidas pelos magistrados maçons a emprestar parte dos valores "para resolver uma situação financeira da maçonaria".
A investigação foi enviada ao Superior Tribunal de Justiça.

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Reed Grant | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Vetado por conter expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas.
    Queira, por gentileza, refazer o seu comentário.

Beco do Candeeiro só abrirá em abril

Carlina 400   A secretária municipal de Cultura, Esporte e Lazer, Carlina Jacob (foto), em visita ao Grupo Rdnews, revelou que a revitalização do Beco do  Candeeiro, que foi concluída em janeiro, será entregue à população em abril, nas comemorações dos 302 anos de...

Águas, expansão e investimentos

william figueiredo 400 aguas cuiaba curtinha   O diretor-geral da Águas Cuiabá, executivo William Figuereido (foto), disse, em visita à sede do Rdnews, quando aproveitou para conceder entrevista à tv web Rdtv, que a concessionária já distribui água para toda Cuiabá e que, em quase quatro anos...

Creci combate empresas irregulares

benedito odario 400 curtinha   O presidente do Conselho Regional de Corretores de Imóveis do Estado, Benedito Odário (foto), aproveitou a operação desenvolvida na quinta, com apoio da Polícia Civil e da Decon, para enfatizar que não dará trégua àquelas empresas que, irregularmente,...

Cuiabá paga fevereiro aos servidores

emanuel pinheiro 400   A Prefeitura de Cuiabá quitou nesta sexta (26), último dia útil do mês, a folha de fevereiro. Desde quando assumiu o Palácio Alencastro, em janeiro de 2017, o prefeito Emanuel Pinheiro (foto) tem conseguido pagar o funcionalismo dentro do mês trabalhado. Aliás, essa prioridade,...

3 deputados sob certa cordialidade

janaina riva 400 curtinha   Max Russi, Eduardo Botelho e Janaina Riva (foto), que mandam na Assembleia, demonstram entre eles um certo clima de cordialidade, mas chegaram a entrar em queda-de-braço até fechar um novo acordo político sobre a Mesa Diretora. Com a decisão do Supremo de veto a Botelho no comando do...

Expediente na AL só a partir do dia 8

max russi 400   Por causa do aumento da taxa de incidência de Covid-19 entre servidores e parlamentares, as atividades presenciais da Assembleia foram suspensas na quinta (25). O expediente só retoma em 8 de março. Neste período, estão sendo mantidas somente as atividades estritamente essenciais para o...