Últimas

Terça-Feira, 07 de Agosto de 2007, 09h:37 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Tríade da popularidade

     A política nacional também tem a sua tríade. Formada por um estancieiro, um médico e um ex-metalúrgico, que se destacaram no cenário político-eleitoral, e, em razão disso, tiveram seus nomes inscritos na história da política nacional, distanciando, assim, dos demais atores, não apenas por terem chefiado a administração pública federal, o último deles ainda está à sua frente, como presidente reeleito, mas sim porque caíram no gosto da população. Nem a morte sacou os dois primeiros dessa condição, tampouco as acusações de corrupção em seus governos, menos ainda os desacertos cometidos e até eram odiados por muitos brasileiros. Hoje, parece que Getúlio Vargas e Juscelino Kubitschek sempre foram fantásticos.
     Tudo parece caminhar do mesmo modo para o ex-metalúrgico. Sua popularidade continua em alta, apesar do conjunto de crises que toma conta do país, amedrontando os brasileiros. Por mais que o caos aéreo tenha feito suas vítimas, e, pelo andar da carruagem, tem grandes chances ainda de subtrair outras tantas vidas, enviuvando e deixando órfãs dezenas de conterrâneas; assim como parte do dinheiro público permanece escoando para as contas bancárias de um sem-número de particulares. Nada muda o cenário de aceitação do presidente Lula da Silva. Ele se mantém ali, firme nos mais elevados índices de aprovação. Sua tática de desvencilhar do PT, tão-logo se soube das denúncias contra pessoas influentes do governo e com laços estreitos a agremiação petista, veiculadas pelos meios de comunicação, parece dar certo. E vem surtindo efeito favorável. Tanto que o grosso da população, sequer, acredita no envolvimento do presidente nos escândalos registrados. Prefere acreditar em contos de fadas, movidos pelo "não ver", "nada saber", "desconhecer" e, ainda por cima, "sentir-se traído"; além de aceitar, inclusive, a história de "armação política", tramada pelas "elites" e pela "mídia", cujo alvo maior não é outro senão Lula da Silva, que "trabalha incansavelmente" para "ajudar" a pobreza, via projetos sociais, em destaque o Bolsa Família, que atende cerca de 11,1 milhões de famílias.
     Explicam-se, portanto, os altos índices das pesquisas. O Datafolha, por exemplo, nos dias 1 e 2 do corrente, fez o seguinte registro: 48% da população consideram o governo Lula da Silva bom e ótimo, enquanto o conceito ruim e péssimo chega a 15%, abaixo dois dígitos do índice registrado em outubro de 2006.
     Isso significa que o presidente se mantém no "agrado" da imensa maioria dos brasileiros que, de acordo com os dados oficiais, constitui a fatia de 59,5%, com renda familiar até três salários mínimos (R$ 1.050,00). Ele também seduz uma parte pequena da classe média, sobretudo os que ganham com a boa situação econômica do país, favorecida pela estabilidade do mercado mundial; assim como igualmente atrai para si grandes empresários e banqueiros, justamente quem mais lucra com a política econômica adotada desde o governo FHC; muito embora se saiba que a sua popularidade despencou entre os que percebem acima de dez salários mínimos, bem como os mais escolarizados. Acontece que estes brasileiros constituem as parcelas menores do bolo social, não chegando a ameaçar a aceitação do ex-metalúrgico, que passa a fazer parte do grupo privilegiado de políticos do país, ao lado de Vargas e Juscelino, em razão do altíssimo índice de popularidade. Entretanto, cada um deles tem a sua particularidade, virtudes e defeitos, bem mais estes últimos que aqueles primeiros, talvez por privilegiar em demasia o aspecto oportunista e personalista em detrimento da perspectiva histórica, da mesma forma que atuaram os demais protagonistas do cenário político-eleitoral brasileiro.

Lourembergue Alves é professor da Unic e articulista de A Gazeta, escrevendo neste espaço às terças-feiras, sextas-feiras e aos domingos ( lou.alves@uol.com.br )

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Nomes do DEM para vereador de VG

pablo 400 curtinha   O DEM do casal Jayme-Lucimar, senador e prefeita, respectivamente, é dono da maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com sete dos 21 vereadores. Destes, cinco já estão trabalhando projeto de reeleição, sendo eles Gisa Barros, que era do PSB; Valdemir Bernadino, o Nana; Pedro...

Flerte com candidato de outro partido

selma arruda 400 curtinha   Apesar de estar filiada ao Podemos, a ex-senadora Selma Arruda, que teve o mandato cassado por crimes eleitorais e deixou a cadeira neste ano, continua flertando com o pedetista, empresário e vice-governador Otaviano Pivetta, que não demonstra mais tanto ânimo para continuar com o projeto de disputa...

Joelson e as traições política e familiar

joelson 400   Dos 23 vereadores pela Capital que vão à reeleição, o que mais deve enfrentar dificuldades para obter êxito nas urnas é o sargento Joelson (foto), que aproveitou a janela de março e trocou o PSC pelo Solidariedade. Primeiro, por causa da atuação pífia. Trata-se de um...

Calistro, dúvida à reeleição e Sumaia

sumaia leite 400 curtinha   Jânio Calistro, reeleito para o 2º mandato de vereador em 2016 e como o mais votado em Várzea Grande, com 3.658 votos pelo PSD, se mudou para o DEM dos Campos, mas ainda avalia se vai encarar o teste das urnas deste ano. Ele se mostra um tanto baqueado, após ficar preso por três meses. E...

Grupos convergem para Emanuelzinho

emanuelzinho 400   O jovem deputado federal Emanuelzinho (foto) está cada vez mais empolgado com a possibilidade de disputar a Prefeitura de Várzea Grande. Até se mudou da Capital para a cidade vizinha, onde montou apartamento no Edifício Maktub. Uma das revelações políticas do PTB, Emanuelzinho tem...

Câmara de ROO e pasta de Controle

orestes miraglia 400 curtinha   A Câmara de Rondonópolis deu de ombros para uma decisão do Tribunal de Justiça e, em primeira votação, aprovou mensagem do prefeito Zé do Pátio, criando a secretaria de Transparência Pública e Controle Interno (SETRACI) em...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.