Últimas

Segunda-Feira, 26 de Fevereiro de 2007, 01h:20 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Troca-troca partidário

   Em artigo publicado nesta segunda (26) em A Gazeta, o jornalista Romilson Dourado comenta a debandada dos líderes políticos para diferentes partidos. Confira abaixo.

    Nenhum partido político, salvo o PT de vez em quando, discute internamente suas posições ideológicas e segue o que preceitua o estatuto, a bíblia dos legendas. Além disso, não há triagem para identificar o perfil, caráter e história do cidadão interessado na filiação. O importante, para os dirigentes, é inchar o partido, contribuindo para o diabo do troca-troca partidário, como se verifica agora em Mato Grosso com a debandada do governador Blairo Maggi (ex-PPS) e do seu grupo político para o novo Partido da República.

    Faça um teste, caro leitor-eleitor. Procure o diretório de alguma sigla. Pode ser qualquer um dos 26 constituídos no Estado, do PFL ao PP, passando pelo PT. Diz que está interessado em se filiar e que, para tanto, precisa de uma cópia do estatuto. Adianta, enfim, que deseja saber tudo sobre a legenda. Você vai se decepcionar.

   Na teoria, tudo parece muito rigoroso. Um dos símbolos da chama direita, o PFL, por exemplo, prevê até expulsão de militantes rebeldes. Até hoje, ninguém foi punido. Na prática, premia aqueles que tomam posições contrárias e ajudam, com isso, o processo de fragilização da sigla. 

    É por isso que prevalece a personificação das lideranças. Isso faz surgir os caciques. Os partidos ficam em segundo plano. Por aqui, Blairo Maggi, depois de mandar e desmandar no PPS, agora vai ditar as regras no PR. Os deputados Pedro Henry e José Riva controlam o PP. Carlos Bezerra faz "gato e sapato" do PMDB há décadas. A senadora Serys Marly se transformou em dona do combalido PT.

    Enquanto isso, a reforma política continua na pauta no Congresso Nacional, com aspectos importantes em discussão, como a lista fechada de candidatos, o financiamento público e a fidelidade partidária. Desde já, especialistas consideram que, da forma que as regras foram constituídas no projeto, ficará pior para o sistema eleitoral.

   A fidelidade partidária poderia ser uma boa medida, mas tudo indica que servirá apenas para moeda de troca com vistas a reduzir a cláusula de desempenho. Partidos históricos serão preservados. Em seu texto, o projeto determina que, para disputar uma eleição, o candidato precisaria estar filiado a um mesmo partido nos três anos anteriores ao pleito. Infelizmente, essa regra deve ser excluída.

   A única medida, então, para inibir o troca-troca partidário ocorrerá em âmbito regimental. Vai considerar as bancadas dos partidos que saíram das urnas, sem as mudanças posteriores. Essa história de lista fechada é pura fantasia porque os partidos já fazem a relação de nomes em suas convenções.

   O eleitor votará apenas no partido e os primeiros das listas serão eleitos conforme a votação de cada legenda. Como não há democracia interna nos partidos, continuará prevalecendo a lei do mais forte, o autoritarismo. Está claro que essa reforma política, salvo um ou outro aspecto, é uma fraude. Mesmo que consigamos eliminar, nas urnas, os caciques dos cargos eletivos, eles continuarão com todo o poder dentro de suas agremiações partidárias.

Romilson Dourado é jornalista, editor de Política de A Gazeta e escreve neste espaço às segundas-feiras

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

SD também deseja Taques ao Senado

pedro taques 400 curtinha   Empolgado com resultado de uma pesquisa interna, na qual estaria bem pontuado, aparecendo entre os preferidos ao Senado, mesmo após deixar o cargo de governador bastante desgastado, Pedro Taques (foto) passou a flertar não só com o Cidadania, conduzido no Estado pelo seu ex-secretário Marco...

Presidente do TJ-MT assume Codepre

carlos alberto tj 400 curtinha   O presidente do TJ-MT Carlos Alberto (foto) foi eleito presidente do Colégio de Presidentes dos Tribunais de Justiça (Codepre) do país. O cargo alça o membro de MT à liderança de discussões nacionais importantes. Dentre as atribuições do colégio...

Brecha pra futuro cassado ir à Justiça

kero kero curtinha 400   Wilson Kero-Kero (foto), ex-SD (socialista) que foi para ex-PSL (direita), anunciou ida para Podemos, mas permanecerá no partido direitista, é o relator do processo de cassação do colega Abílio Júnior, na CCJ da Câmara de Cuiabá. Na Comissão de Ética o...

Filho de Taborelli assume vaga em VG

Willy taborelli _ curtinha400   O pai coronel Taborelli está fora de combate, mas o filho Willy (PSC), suplente de vereador, vai assumir cadeira na Câmara de VG a partir de 2 de março. Vai atuar na vaga do correligionário Miguel Baracat, que se licencia para fazer tratamento de saúde. O filho do polêmico...

Sem acordo para ter apoio de Selma

otaviano pivetta 400 curtinha   O empresário e vice-governador Otaviano Pivetta, pré-candidato ao Senado, disse que, de fato, recebeu convite para se filiar ao Podemos, inclusive do deputado Medeiros, um de seus prováveis adversários nas urnas de abril, mas que segue firme no PDT. Destaca ser um admirador do senador...

Na expectativa para disputar Senado

nelson barbudo 400 curtinha   Se o TRE flexibilizar a data de filiação para quem quer concorrer ao Senado, na eleição suplementar de abril, a inflação de candidatos tende a ser ainda maior. Entrariam no páreo, além dos 10 que já se dizem pré-candidatos, o ex-governador Pedro...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.