Últimas

Terça-Feira, 07 de Agosto de 2007, 07h:52 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

ARTICULAÇÃO

Tropa de choque se mobiliza para aprovar Pagot

Indicado para Dnit terá 10 minutos para exposição e enfrentará um bombardeio de perguntas e questionamentos

     O governador Blairo Maggi escalou uma tropa de choque para acompanhar, votar e aprovar o nome do seu aliado Luiz Antônio Pagot, indicado para o cargo de diretor-geral do Departamento Nacional de Infra-Estrutura de Transportes (Dnit). A sessão na Comissão de Serviços de Infra-Estrutura começa às 13h (horário de MT) desta terça. Depois de duas tentativas, Pagot terá, pela primeira vez, a oportunidade de expôr as razões pelas quais pretende assumir uma autarquia detentora de um orçamento de R$ 12 bilhões. Ele aguarda por este momento há seis meses, desde quando o presidente Lula o convidou para assumir o cargo. Denúncias, dossiês e conspirações dificultaram o processo.

   O presidente da Comissão, senador Marconi Perillo (PSDB-GO), abre a sessão. O relator Jaime Campos (DEM) não deve ser convocado a ler o processo, etapa já cumprida na primeira sessão, que acabou suspensa devido a um pedido de vistas. Em seguida, Perillo pergunta se há requerimentos e se alguém deseja fazer questionamentos quanto à nomeação de Pagot. É nesse momento que a oposição, se cumprir o que prometeu, tentar tumultuar a sessão. Capitaneado pelo opositor PSDB, algum senador pode tentar complicar a situação do afilhado político do governador Blairo Maggi.

     Nos bastidores, existe ameaça de pressão sobre o DEM, no sentido de acionar no Conselho de Ética os senadores mato-grossenses Jonas Pinheiro e Jaime Campos por estes terem acobertado suposta ilegalidade no exercício de dupla função de Pagot. O indicado de Maggi foi funcionário do Senado, inclusive no gabinete de Jonas e, no mesmo período de 1995 a 2002, também atuou como diretor da empresa Hermasa Navegação da Amazônia. Relator do processo da indicação de Pagot, Jaime não fez qualquer citação ao assunto.

    Desse modo, alguns líderes do PSDB entendem que há responsabilidade de Jonas e de Jaime. Com esse tipo de ameaça, a oposição tentar demover parlamentares do DEM da idéia de votar pela aprovação de Pagot. No fundo, há duas preocupações. Uma do indicado ganhar boa visibilidade no comando do Dnit e se tornar forte candidato a governador de Mato Grosso, em 2010. Segundo, o temor das grandes empreiteiras por causa do estilo trator do ex-secretário de Infra-Estrutura, da Casa Civil e de Educação do governo estadual. Pagot há adiantou que o preço das obras de recuperação e asfaltamento das rodovias federais, sob seu controle, pode cair mais de 40%. Com esse tipo de recado, ele acabou deixando os empreiteiros temerosos.

   Luiz Pagot terá 10 minutos para expôr os motivos pelos quais deseja conduzir o Dnit. Após as explicações, será alvo de uma série de perguntas e questionamentos. Em seguida, seu nome será submetido à votação secreta de 23 senadores titulares da Comissão de Serviços de Infra-Estrutura. Caso a indicação seja aprovada, há disposição do relator Jaime Campos e do presidente Perillo de enviar o pedido para o plenário.

    "Tudo indica que esta semana, conforme nossa previsão, o plenário do Senado já tenha condições de votar o pedido sobre a minha indicação", afirmou Pagot, nesta terça, por telefone. Ele está em Brasília desde domingo. Na conversa ontem com o líder do governo no Senado, Romerá Jucá (PMDB-RR), Pagot teve a garantia de que seu nome será aprovado.

Postar um novo comentário

Comentários (20)

  • Odair Belaquá | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Quando um homem sério fala em abaixar o custo das obras em 40%, os parlamentares ficam todos alvoroçados, por que isso ? será que vão perder o leite das crianças ? tá certo que o leite aumentou né, mas precisamos nos sacrificar um pouco.

    Será que vamos deixar as grandes empreiteira comandar e indicar quem deve assumir cargos no Governo ?

    Esse não é o País que eu tanto amo.

  • Antonio Barbosa | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Realmente, agora eu percebi que quem está por detrás disso tudo são as grandes empreiteiras. e os parlamentares só tem interesse onde dá lucro em seus cofres.
    Meu Deus, diante de tudo o que se vive, cada vez mais e mais acredito menos nos homens, nunca seremos um país sério, que pena.

  • João de Deus Nogueira | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Homem sério Odair Belaquá? De quem você está falando, do Luiz Antonio Pagot? Faça me rir, quá quá quá quá... Se ele fosse o homem sério que você apregoa ser não estaria passando por essa situação espinhosa. Se está é porque infringiu a lei. E as provas estão na cara pra todos verem, só não vê quem não quer. Tomara que os Senadores sejam sensatos e vetem definitivamente essa indicação.

  • Arnaldo di Paula | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Prezado leitor Antonio Barbosa, não concordo quando vc escreve que "nunca seremos um país sério". O comentário deve feito que enquanto em nosso país não tiver homens de caráter e moral elibada para assumir os órgãos públicos, cada vez mas nos indignaremos e quando não restar mais nemhuma esperança Antonio, reze a Deus e peça para que ele ilumine seu caminho, porque chegou a hora de vc, que é honesto, trabalhador e tem caráter ser o candidato para mudar tudo que foi posto de errado.

  • chico | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Parece que os defensos do nome de Pagot já se esqueceram do que disse o governador: a lei é para ser cumprida. Dupla função, em órgão público e privado, fere a lei. Dois pesos de duas medidas? Mas vivemos no Brasil, onde infringir a lei é ser esperto. Probidade pouco vale, principalmente no meio político.

  • Suzanna Auxiliadora | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Simpático e querido jornalista Romilson, não quero transformar seu site num espaço de leva e traz, que nem lavadeiras (fofoqueiras no dito popular), mas esse João de Deus esta incluído na lista dos mau amado que o governador disse, vai ver que nem é Mato-grossense e esta torcendo para o Dnit ir para as mãos dos mineiros onde ficam as sêdes das grandes empreiteiras do país. Tomará mesmo que os senadores vetem o nome do Pagot e que vc, Joãozinho, mude de Mato Grosso e vá morar no estado da onde virá o novo diretor do Dnit, com certeza lá terá muito mais desenvolvimento que aqui.

  • Odair Belaquá | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    João de Deus Nogueira, pra vc falar assim do Homem vc deve ter máguas dele, talvez vc foi um dos demitidos por ele, ou esteja enganado, mas eu não tenho nada com cargos dispensados, apenas torço pelo meu Estado, e só não vê a manipulação das grandes empreiteira juntamente com os parlamentares quem não quer.
    Não conheço pessoalmente o Pagot, mas o meu Estado eu conheço e escreve com letra maiúscula.
    O que é bom para o Estados é bom para seus filhos.

  • Beatriz Vandame | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Sabe, ainda quero acreditar que há pessoas íntegras, depois da grande provação que o Pagot passou, acredito que ele saberá ter discernimento para agir de maneira coreeta e ser um excelente representante do nosso estado, mantendo a integridade e honestiddade, pois o povo estará acompanhando todas as suas tomadas de decisão e atitudes. Peço à Deus, para que depois de tantos tropeços e de uma grande luta te envolva com a divina luz do Divino Espirito Santo a todo momento. Que Deus te abençoe. Amém.

  • LUIZ CARLOS | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    Toda vez que pessoas serias e com vontade de trabalhar são indicados para cargos de alto escalão, aparece meia duzia de deputados que não tem responsabilidade perante a população que os colocou nos cargos que ocupam, dificultando para quem quer trabalhar, este e o pais em que vivemos, e temos parlamentares desses naipes ditando o que deve ser feito.

  • Anônimo | Quarta-Feira, 31 de Dezembro de 1969, 20h00
    0
    0

    uma pergunta só para suzana auxiliadora

    PAGOT é de mato Grosso??
    ele q va pro lugar de onde veio...alias ninguem sabe de onde ele veio....pelo amor de deus fora PAGOT E BLAIRO...

Sessão, voto e namoro com cantora

ulysses moraes 400   Na sessão virtual da Assembleia desta segunda, o deputado Ulysses Moraes (foto), do PSL, estava demorando para computar o voto na apreciação de um veto do governador. O presidente Max Russi (PSB), então, cobrou agilidade do colega e brincou, dizendo que agora ele só tem olhos para a Maraisa....

Misal é reeleito para o 10º mandato

misael galv�o 400 curtinha   Após dois anos fora do comando do Shopping Popular, período em que respondeu pela presidência da Câmara da Capital, o ex-vereador Misael Galvão (foto) voltou à direção do empreendimento, que abriga 500 lojas. E, sob forte...

Oscarlino, Pros e "nocaute" em Gisela

oscarlino 400   Na queda-de-braço dentro do Pros por espaço político, o ex-sindicalista Oscarlino Alves (foto) nocauteou a ex-superintendente do Procon-MT, Gisela Simona. Ele foi um dos filiados que não aceitaram apoio a Abílio na disputa de segundo turno para prefeito de Cuiabá, se aliou ao projeto de...

Promotor recebe medalha do Exército

Mauro Zaque curtinha   O promotor de Justiça Mauro Zaque (foto) foi condecorado com a medalha do Exército Brasileiro na manhã desta segunda (19), no dia da instituição. A solenidade é considerada a segunda maior do Exército Brasileiro, foi reservada por conta da pandemia e contou com a...

Sema reabre os parques em Cuiabá

mauren lazzaretti sema 400   Fechados desde 1º de abril, em obediência às regras de decreto municipal, que suspendiam as atividades coletivas, os parques estaduais urbanos de Cuiabá reabrem nesta segunda (19) para utilização pelo público. Será possível acessar as tradicionais trilhas...

Pilha em Jayme pra disputar o Governo

jayme campos 400   Mesmo sabendo que Jayme Campos (foto) não entra em disputa onde percebe dificuldades para vencê-la e militando no mesmo partido de Mauro Mendes, o DEM, algumas lideranças políticas têm instigado o senador a se lançar ao governo estadual. Para tentar convencer Jayme, lançam...

MAIS LIDAS