Últimas

Quinta-Feira, 28 de Junho de 2007, 11h:28 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Tudo mudou!

     Uma coisa que tem me intrigado muito é uma guerra de gerações (guerra velada) que temos vivido. É um tal de "no meu tempo não era assim"; "antigamente as coisas eram diferentes"; "naquela época existia respeito"; ou ainda, "no passado, a corrupção era muito menor". Sinto em dizer-lhes, em primeiro lugar, que não há o meu, o seu, ou o tempo do outro. Enquanto estamos vivos, o tempo vivido é o nosso tempo. Nossos atos (ou ausência deles) têm impacto direto nas relações sociais, quer queiramos ou não, quer sejamos crianças, jovens, adultos ou da terceira idade.
     Voltando ao assunto, recebi uma mensagem pela internet intitulada "tudo mudou", que fala sobre a indignação das pessoas com mais de cinqüenta anos sobre a nossa realidade de hoje. Ela traz algumas coisas legais ocorridas nos últimos cinqüenta anos, como a popularização da TV, do chuveiro elétrico, da declaração dos direitos humanos, etc. Fala também que bandidos eram o Meneghetti e o da Luz Vermelha. Fala, ainda, que presidente da República era alfabetizado. Fala que caseiro não era mais ético que ministro, entre outras coisas. Termina dizendo que é preciso parar o mundo que "os caras" de 50 anos querem "descer".
     Isso me fez pensar em algumas perguntas: a TV só trouxe o bem? Ou será que ela é a grande responsável pela falta de diálogo na família, visto que, quando chegamos em casa, ao invés de brincarmos com nossos filhos, ligamos a tal caixa e ficamos absortos em sua frente? Bom, se a TV começou o processo de popularização há 50 anos, não fui eu, nem quem tem cinqüenta anos, os únicos responsáveis por esse processo. Tudo se iniciou com as pessoas que hoje têm mais de 70 anos (tinham no mínimo vinte naquela época).
     A declaração de direitos humanos é linda, mas ainda temos em torno de 700 milhões de indigentes no mundo e mais de 800 milhões de pessoas subnutridas. Nenhum de nós, com trinta, quarenta, ou cinqüenta anos a fez, efetivamente, vingar.
     Quanto ao caseiro, quem disse que ele é mais ético que ministro? A quebra de sigilo foi irregular, antiética, mas, por bem ou por mal, mostra uma quantia em sua conta que não foi explicada (se isso for ético, quem pede para parar o mundo para descer, sou eu!). A questão não é quem é mais ou quem é menos ético. Ética é como a gravidez: não existe meio grávida e não existe meio ético.
     Bom, mas o pior de tudo é falar sobre o presidente analfabeto. Aqui cabe falar sobre como as mudanças acontecem. As coisas vão ocorrendo uma a uma, vagarosamente. As mudanças são quase que contínuas. Mas a descontinuidade também existe. É quando um fato totalmente novo vem e causa forte impacto. Vivemos uma época de descontinuidade.
     Como exemplo de descontinuidade, temos o infarto do miocárdio. Depois de sofrer um, a pessoa precisa mudar totalmente seus hábitos de vida (se não morrer, é claro). Não dá mais para fazer as mesmas coisas. Mas, o infarto é algo que ocorre de repente? Sim, porém a causa, não. As veias não entopem de repente. O infarto (descontinuidade) é oriundo de um processo de tendência (depósito de substâncias nas artérias que vão acontecendo paulatinamente). O que quero dizer com isso? Se você é desses que quer "descer" do mundo, pense melhor: o presidente analfabeto foi eleito, talvez, porque os catedráticos não deram conta do recado (ou até 2002 vivemos no paraíso e eu, assim como a Carolina do Chico Buarque, não consegui ver?). Não devemos esquecer que, nos últimos vinte e poucos anos, passamos catorze deles com um presidente poeta e outro sociólogo. E, mesmo assim, a veia entupiu.
     O fato é que não conseguimos colocar telhado sem a parede e a parede sem o alicerce. Muitos dos que reclamam de hoje foram a parede ou o alicerce para nos nossos dias. Por isso, não reclame, não queira descer do mundo (vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois Beto Guedes, O Sal da Terra). O futuro (com suas tendências e descontinuidades) está sendo traçado hoje, por mim, por você, seja com trinta, cinqüenta, setenta anos (e etc.). É hora de assumirmos o leme do nosso mundo. E, se um dia eu reclamar da realidade, por favor, me mostrem o que escrevi hoje.

Claudinet Antônio Coltri Júnior é consultor organizacional nas áreas de marketing, gestão de pessoas, coordenador e professor universitário e escreve em A Gazeta às quintas-feiras ( junior@coltri.com.br )


 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Joaninha se afasta da Câmara de Sinop

joaninha 400 sinop vereador curtinha   O vereador por Sinop Joaninha (MDB), conforme a coluna Curtinhas adiantou, se licenciou do cargo por 60 dias para se recuperar do acidente que sofreu durante manobra na Competição Duelo de Motos, em Atibaia (SP). Enquanto isso, o suplente Mauro Garcia (MDB), ex-secretário de...

Manifestação de apoio deles para ele

elizeu nascimento 400 curtinha   Mesmo com o apoio dos deputados Elizeu Nascimento (foto), Xuxu Dalmolin e Ulysses Moraes que levaram até assessores, em pleno horário de expediente, a manifestação pró-Abílio na Câmara de Cuiabá foi considerada fraca. Investigado por quebra de decoro...

TCE cria estrutura para atender a AL

maluf 400 curtinha   A Assembleia Legislativa saiu de Guilherme Maluf (foto), mandando-o para o TCE, mas ele não saiu da AL. Alçado à presidência com menos de um ano na cadeira vitalícia, Maluf acaba de criar uma assessoria parlamentar para promover o intercâmbio com as comissões da AL e ainda um...

Cassação de Abílio depois do Carnaval

abilio junior 400 curtinha   Por mais que Abílio Júnior (foto) implore e grite por socorro, na esperança de escapar da cassação, inclusive se colocando como vítima de perseguição política, perderá mesmo mandato. Mas isso só vai ocorrer após o Carnaval. A...

PGR monitora delação de ex-deputado

jose riva 400 curtinha   Membros do alto escalão da Procuradoria-Geral da República, que rejeitou a proposta de delação de José Riva (foto) na esfera federal por causa de omissão de crimes, estão monitorando os bastidores do acordo de colaboração, agora entre o Ministério...

Fritado no PDT e buscando o Aliança

antonio galvan 400 curtinha   Fritado no PDT, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan (foto), pretende agora procurar espaço em um partido considerado de direita. E está se movimentando para assumir em MT o comando do Aliança pelo Brasil, partido que está sendo criado pelo presidente Bolsonaro. O sojicultor se mostra,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.