Últimas

Quinta-Feira, 28 de Junho de 2007, 11h:28 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Tudo mudou!

     Uma coisa que tem me intrigado muito é uma guerra de gerações (guerra velada) que temos vivido. É um tal de "no meu tempo não era assim"; "antigamente as coisas eram diferentes"; "naquela época existia respeito"; ou ainda, "no passado, a corrupção era muito menor". Sinto em dizer-lhes, em primeiro lugar, que não há o meu, o seu, ou o tempo do outro. Enquanto estamos vivos, o tempo vivido é o nosso tempo. Nossos atos (ou ausência deles) têm impacto direto nas relações sociais, quer queiramos ou não, quer sejamos crianças, jovens, adultos ou da terceira idade.
     Voltando ao assunto, recebi uma mensagem pela internet intitulada "tudo mudou", que fala sobre a indignação das pessoas com mais de cinqüenta anos sobre a nossa realidade de hoje. Ela traz algumas coisas legais ocorridas nos últimos cinqüenta anos, como a popularização da TV, do chuveiro elétrico, da declaração dos direitos humanos, etc. Fala também que bandidos eram o Meneghetti e o da Luz Vermelha. Fala, ainda, que presidente da República era alfabetizado. Fala que caseiro não era mais ético que ministro, entre outras coisas. Termina dizendo que é preciso parar o mundo que "os caras" de 50 anos querem "descer".
     Isso me fez pensar em algumas perguntas: a TV só trouxe o bem? Ou será que ela é a grande responsável pela falta de diálogo na família, visto que, quando chegamos em casa, ao invés de brincarmos com nossos filhos, ligamos a tal caixa e ficamos absortos em sua frente? Bom, se a TV começou o processo de popularização há 50 anos, não fui eu, nem quem tem cinqüenta anos, os únicos responsáveis por esse processo. Tudo se iniciou com as pessoas que hoje têm mais de 70 anos (tinham no mínimo vinte naquela época).
     A declaração de direitos humanos é linda, mas ainda temos em torno de 700 milhões de indigentes no mundo e mais de 800 milhões de pessoas subnutridas. Nenhum de nós, com trinta, quarenta, ou cinqüenta anos a fez, efetivamente, vingar.
     Quanto ao caseiro, quem disse que ele é mais ético que ministro? A quebra de sigilo foi irregular, antiética, mas, por bem ou por mal, mostra uma quantia em sua conta que não foi explicada (se isso for ético, quem pede para parar o mundo para descer, sou eu!). A questão não é quem é mais ou quem é menos ético. Ética é como a gravidez: não existe meio grávida e não existe meio ético.
     Bom, mas o pior de tudo é falar sobre o presidente analfabeto. Aqui cabe falar sobre como as mudanças acontecem. As coisas vão ocorrendo uma a uma, vagarosamente. As mudanças são quase que contínuas. Mas a descontinuidade também existe. É quando um fato totalmente novo vem e causa forte impacto. Vivemos uma época de descontinuidade.
     Como exemplo de descontinuidade, temos o infarto do miocárdio. Depois de sofrer um, a pessoa precisa mudar totalmente seus hábitos de vida (se não morrer, é claro). Não dá mais para fazer as mesmas coisas. Mas, o infarto é algo que ocorre de repente? Sim, porém a causa, não. As veias não entopem de repente. O infarto (descontinuidade) é oriundo de um processo de tendência (depósito de substâncias nas artérias que vão acontecendo paulatinamente). O que quero dizer com isso? Se você é desses que quer "descer" do mundo, pense melhor: o presidente analfabeto foi eleito, talvez, porque os catedráticos não deram conta do recado (ou até 2002 vivemos no paraíso e eu, assim como a Carolina do Chico Buarque, não consegui ver?). Não devemos esquecer que, nos últimos vinte e poucos anos, passamos catorze deles com um presidente poeta e outro sociólogo. E, mesmo assim, a veia entupiu.
     O fato é que não conseguimos colocar telhado sem a parede e a parede sem o alicerce. Muitos dos que reclamam de hoje foram a parede ou o alicerce para nos nossos dias. Por isso, não reclame, não queira descer do mundo (vamos precisar de todo mundo, um mais um é sempre mais que dois Beto Guedes, O Sal da Terra). O futuro (com suas tendências e descontinuidades) está sendo traçado hoje, por mim, por você, seja com trinta, cinqüenta, setenta anos (e etc.). É hora de assumirmos o leme do nosso mundo. E, se um dia eu reclamar da realidade, por favor, me mostrem o que escrevi hoje.

Claudinet Antônio Coltri Júnior é consultor organizacional nas áreas de marketing, gestão de pessoas, coordenador e professor universitário e escreve em A Gazeta às quintas-feiras ( junior@coltri.com.br )


 

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Ação de promotor e volta de restrições

Adalberto Ferreira   O promotor de Justiça Adalberto Ferreira garante que prefeito de Juscimeira Moisés dos Santos não havia editado nenhum decreto endurecendo as regras de restrições à pandemia do coronavírus antes do MPE propor ação na Justiça. Ao falar sobre nota publicada...

Oséas agora está nas mãos de Abílio

oseas machado 400 curtinha   Oséas Machado (foto) conseguiu derrubar Abílio Júnior, a quem denunciou por quebra de decoro parlamentar, e assumiu a cadeira deste na Câmara da Capital. Agora, o cassado se articula para dar o troco. O problema é que ambos estão no PSC. Oséas quer buscar a...

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

PL quer suspender dívidas das cidades

max russi curtinha 400   Ex-prefeito de Jaciara, o deputado Max Russi (PSB) apresentou projeto que visa suspender os pagamentos das dívidas dos municípios com o Estado, durante o período de calamidade pública que foi decretado pelo governo por causa da pandemia do coronavírus. Max ressalta que MT não deve...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.