Últimas

Quarta-Feira, 04 de Julho de 2007, 07h:47 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Um assunto sempre atual

     Homenagear homens públicos de importância relevante tem sido,  muitas vezes, objeto de promoção pessoal para quem promove a homenagem.
     Obter dividendos políticos de “homenagens” é sempre atual, independentemente de estarem desprestigiando o nome de outros grandes homens, que deixaram seu nome na História e que os tem retirados de prédios públicos, praças, ruas, avenidas ou coisa que o valham, ao bel prazer de pessoas que, além de desrespeitar vultos expressivos de nossa evolução política, social e econômica, magoam a população, que não obstante às vezes, o silêncio, sente-se ultrajada.
     Após quase um ano do falecimento de Dante de Oliveira, ele já recebeu homenagens (algumas não foram aceitas pelo povo de Cuiabá) e mais homenagens, como deveria ser, porém, tudo tem limite. Não se pode passar por cima da História e deixar de lado, homens e mulheres ilustres deste Estado, que merecem, no mínimo, respeito.
     Endeusar um morto é sempre instigante. Embora não garanta unanimidade, sempre agrada um bom número de pessoas, principalmente de políticos e seus asseclas.
     Como diz a célebre frase, “o tempo é senhor da razão” e só  sobreviverão a ele, aqueles que indelével e corajosamente, anônima ou publicamente, deixaram marcas de retidão, de compromisso com seus ideais quando no exercício do Poder, de honestidade, humildade, e, principalmente, de amor a Mato Grosso e ao Brasil.
     Neste dia 06 de julho, morreram dois homens que contribuíram com Mato Grosso: Antonio Paes de Barros e Dante de Oliveira: 1906 e 2006.
     O primeiro, além de assassinado, foi trucidado pela história dos que o venceram em uma luta covarde e desigual, mas a força do seu espírito, de seu legado, a Usina do Itaicy, local onde foi acesa a primeira lâmpada elétrica no interior do Brasil, em 1º de setembro de 1897, merece mais respeito do que lhe tem sido dado.
      Além de empreendedor, e lá está a Usina Itaicy de pé, ainda que cambaleante, mostrando a supremacia da inteligência sobre a política, da visão sobre os interesses mesquinhos dos políticos da época, que, tirando a vida de seu idealizador, não conseguiram tirar as suas marcas que já passam de cem anos, políticos estes, que se alternaram no poder durante décadas,  e não conheço nenhum deles que tenha deixado tão grandes obras, tanto como governantes, quanto  empresários.
     A obra de Antonio Paes de Barros, como político, está consolidada pela História, graças a atuação de pessoas que resolveram olhar o passado com olhos isentos.
     O segundo, contribuiu sobremaneira com o Estado, porém, sua história não pode e nem deve, ofuscar a de outros homens públicos, que ainda vivos, merecem também o mesmo respeito. Homens como Júlio Campos, que governou o Estado, projetando-o para os dias atuais. Como Frederico Campos, Cel. José Meirelles, Garcia Neto, Padre Raimundo Pombo (este já falecido e ainda sem homenagens, embora tenha projetado muitos políticos, inclusive Dante de Oliveira), todos homens de bem, que se recolheram a uma vida mais “caseira”, por decepção ou por opção, mas todos merecedores de reconhecimento, que eu espero, não aconteçam apenas após a morte. Como eles, muitos outros que estão riscados das agendas políticas, porque o importante, não é homenagear, é tirar proveito político dessas homenagens. Padre Raimundo, morreu isolado e esquecido.
     Esse é um tema sempre atual, porque vejam, que  os motivos das homenagens e o merecimento delas, não são proporcionalmente iguais e paralelas. São, simplesmente, políticos.
     Deixar o nome na história por merecimento político,  não chega nem perto dos daqueles de morreram sem receber o reconhecimento, pelas obras não só políticas, mas voltadas para o desenvolvimento do Estado, contemplando o social, o econômico e o de méritos pessoais.
     Encerra-se o centenário de falecimento de Antonio Paes de Barros, propiciado pelo Governador Blairo Maggi, seu admirador  e como o tempo é soberano, começa-se uma nova etapa na sua História. Aí está a Usina Itaicy, obra incontestável que só poderia ter sido projetada e desenvolvida por ele, um visionário empreendedor. Um pantaneiro, sim senhor.

Oriana Paes de Barros é procuradora federal aposentada e pecuarista
  

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

4 fora da reeleição em Rondonópolis

jailton 400 vereador curtinha   Em Rondonópolis, quatro dos 21 vereadores não devem ir à reeleição, sendo eles Thiago Muniz (DEM), Rodrigo da Zaeli (PSDB), Hélio Pichioni (PSD) e Jailton do Pesque e Pague (foto), do PSDB. Thiago e Rodrigo têm esperanças de concorrer a...

Prefeito apoia vice à briga em Cáceres

eliene liberato 400 curtinha   Francis Maris vai mesmo declarar apoio oficial à pré-candidatura da empresária Eliene Liberato à sucessão em Cáceres. Em público, o prefeito faz mistério para não contrariar outros pretensos candidatos do grupo e que têm esperanças de receber...

Preparando um dos aliados a federal

mauro carvalho 400 curtinha   Embora não comente publicamente, o governador Mauro Mendes está "costurando" acordos políticos com líderes mais próximos, visando não só o pleito de 2020, mas também às eleições gerais de 2022. Em época de busca de projetos e de...

Salvando 1º ano de mandato no cargo

selma arruda 400 curtinha   Embora "sangrando" e com a imagem arranhada, a juíza aposentada e senadora cassada pelo TRE-MT Selma Arruda, que trocou o PSL pelo Podemos, consegue concluir este primeiro de oito anos de mandato. E vai se licenciar nos próximos dias para ceder espaço aquele que financiou a sua campanha,...

Barbudo é menos empreguista de MT

nelson barbudo 400 curtinha   Dos oito deputados federais de MT, o estreante Nelson Barbudo (foto) é o menos "empreguista". Nestes 10 primeiros meses de mandato, ele nomeou no gabinete em Brasília e no escritório político em Cuiabá apenas 15 assessores. Cada gabinete pode ter até 25 secretários...

Rossato quer "minar" reeleição de Ari

dilceu rossato 400 curtinha   Em Sorriso, a capital nacional do agronegócio, a tendência é da disputa à sucessão no próximo ano ficar polarizada entre o prefeito Ari Lafin, do PSDB, e seu antecessor, Dilceu Rossato (foto), hoje filiado ao PSL. Embora se movimente nos bastidores, o deputado Xuxu Dal Molin...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.