Últimas

Terça-Feira, 29 de Abril de 2008, 17h:21 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:20

SAÚDE PÚBLICA

Vigilância Sanitária "lacra" setores da Santa Casa

Diretor do hospital diz que interdição é uma retaliação da administração Wilson Santos   

   O diretor da Santa Casa de Misericórdia de Cuiabá, Luís Felipe Sabóia, disse que a interdição da lavanderia e do centro de esterilização do hospital, feita pela Vigilância Sanitária nesta terça (29), é uma "perseguição" da administração Wilson Santos.  Segundo ele, a "bronca" da secretaria de Saúde do município, sob o comando de Luiz Soares, se dá em razão da cobrança que ele (Sabóia) vem fazendo à pasta. "Até hoje não recebemos o repasse de R$ 1,7 milhão referente a dezembro do ano passado, além de recursos para a manutenção da UTI", explica o diretor.

   Por causa disso, ele diz que a atual gestão tomou uma atitude arbitrária. "Não tenho dúvidas de que isso é  uma represália", argumenta ao insinuar que a secretaria esteja querendo "dar o troco". "Essa interdição é injustificável. Nunca pensei que essa casa fosse receber tanto revés", confessa. O diretor-presidente enfatiza que o hospital é de extrema importância para a população cuiabana, pois atende principalmente a classe baixa do município e, por isso, 96% dos atendimentos são feitos pelo SUS.

   Repasse

   Segundo informação de bastidores, há uma rixa antiga entre Sabóia e o secretário Soares, em razão da Santa Casa encabeçar o movimento que cobra o pagamento do repasse vindo do Ministério da Saúde e pago via secretaria municipal de Saúde. Este mês, por exemplo, o repasse já está atrasado. O montante deveria ter sido creditado até o dia 3 de cada mês, porém até agora não foi depositado às unidades.

   Por causa disso, a diretoria dos hospitais Santa Helena, Hospital Geral e da própria Santa Casa vão se reunir nesta quarta (30), para discutir o problema e  protestar contra o atraso do repasse, bem como o descaso pelo qual passa a saúde pública da Capital. (Pollyana Araújo e Simone Alves)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Briga eleitoral de parentes em General

renato vilela 400 general carneiro   A briga política, jurídica e eleitoral na pequena General Carneiro, de 14 mil habitantes, está acirrada e envolve, em palanques diferentes, grupos com vínculos familiares. São dois na disputa pela prefeitura. A ex-prefeita Magali Vilela desistiu de tentar de novo o teste das...

Ataques a EP e o revide dos amigos

fabinho 400 curtinha   O empresário Fábio Martins Defanti, o Fabinho Promoções (foto), que em 2016 disputou para vereador e perdeu, está sendo bombardeado de críticas em grupos de WhatsApp, inclusive pelos próprios amigos, por causa de comentários, gravados em dois vídeos, com um...

Luizão e 10 promessas em cartório

luizao 400   O empresário Luizão (foto), candidato a prefeito de Rondonópolis pelo Republicanos, registrou em cartório 10 comprimissos de gestão, garantindo, em caso de eleito, executá-los logo no primeiro mês de mandato. O primeiro deles é de zerar a fila de consultas, exames e cirurgias. E...

Ex-secretários de França sem mácula

roberto franca 400 curtinha   A assessoria jurídica da coligação de Roberto França (foto), que concorre à Prefeitura de Cuiabá pelo Patriota, classifica de mentirosa e irresponsável a notícia de que ex-secretários de França, da época em que comandou a Capital, de 1997 a...

Líderes de Lucas e apoios ao Senado

otaviano pivetta curtinha 400   As principais lideranças políticas da "República" de Lucas do Rio Verde estão divididas nos apoios sobre candidaturas ao Senado. O vice-governador Otaviano Pivetta (foto), recém-desfiliado do PDT, faz campanha pela coronel Rúbia Fernanda (Patriota), propagada como a candidata...

Reeleição difícil em Barra do Bugres

raimundo nonato 400   Aos 81 anos, o piauiense de Campo Maior, Raimundo Nonato (foto), busca renovar o mandato de prefeito de Barra do Bugres pelo DEM. Embora considerado carismático e populista, pioneiro no município e ajudado pela força da máquina pública, Nonato, que já foi prefeito nos anos 82 e 90,...

MAIS LIDAS