Últimas

Quarta-Feira, 10 de Janeiro de 2007, 11h:07 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Violência e insegurança

      O professor Lourembergue Alves discorre, em artigo nesta quarta (10) em A Gazeta, sobre violência urbana. Confira reprodução abaixo.

      A violência urbana transformou-se no tema do momento, e, isso, já não é de hoje, vem de muito tempo; afinal os índices da criminalidade sobem assustadoramente e, talvez por isso, ganham os espaços da mídia e as atenções dos mais variados segmentos da população, que se vêm inseguros e desconfortáveis, tanto em suas próprias casas como nas "caminhadas".

    Escritos sobre a violência são publicados, discursos são pronunciados, opiniões são veiculadas, e, em meio a uns e outros, levantam-se teses, carregadas de causas e conseqüências dos crimes registrados, no mesmo instante em que pronunciam a respeito o presidente da República, governadores, prefeitos, secretário, ministro e os chefes das polícias civis e militares, só não falam os criminosos, sendo que até os parentes das vítimas acham um jeito de se expressarem, e o que falam ganha eco nos programas policiais. Cada um deles, a seu modo, fala com uma certa propriedade; porém, é preciso dizer, há um certo distanciamento da teoria apregoada por eles com a prática do crime propriamente dita, pois falta a simulação correspondência com as verdades dos acontecimentos criminosos, até porque o resultado da violência tem contornos psicológicos, moral e ético que, na maioria das vezes, os especialistas talvez desconheçam; sem, contudo, passarem despercebidos a alguém, por exemplo, que já teve um cano de uma arma apontada na direção de sua própria cabeça para obrigá-lo a entregar o dinheiro e os objetos que carrega naquele momento, tais como o celular e o relógio. Ele não relata o acontecido nesse exato instante, o do assalto, nem poderia fazê-lo, evidentemente, pois se acha imobilizado pelo bandido e o policial, que deveria cuidar de sua segurança, está sempre distante do local do ocorrido; somente o fará minutos depois e até horas, senão em dias, o que pode haver um certo comprometimento no seu depoimento pela ausência de detalhes importantes para a investigação.

    As fantasias certamente fazem parte do enredo contado. Algumas mais, outras menos. Contudo, quem já foi assaltado jamais se esquece do susto que levara, aproveitado muitíssimo bem pelo bandido. Trata-se de uma sensação das mais desagradáveis e imagináveis, que extrapola o limite do racional e vai além do aspecto emocional, um veio de impotência invade todo o corpo, arrasa a sensibilidade e amortece o raciocínio, impedindo assim que se alcance o equilíbrio. As reações do agredido são sintomáticas a isso.

    Passado o susto imediato, ele, o assaltado, procura a delegacia, e, pasmem, vê-se ainda mais indefeso, pois este organismo policial nem sempre está tão próximo assim, "graças" à proeza do governador do Estado, via Secretaria de Segurança, em redistribuir os chamados Cisc (Centro Integrado de Segurança e Cidadania) por regiões da cidade, sem levar em conta a extensão territorial e o número de habitantes dos bairros. Com isso desguarnece toda uma população, tal como se vê com o Morada da Serra, que teve desativado sua delegacia, no CPA 3, próximo a lagoa, agora transformada em arquivo, e não conta sequer com um posto policial, pois o Batalhão não pode ser tratado como tal ou algo parecido, o que obriga o seu morador a deslocar-se até o Novo Mato Grosso, a busca da tão necessária delegacia, localizada ao lado da antiga "Fazedinha", órgão destinado ao atendimento de adolescentes, à frente do bairro Planalto, na avenida dos "Trabalhadores". Ufa! Fez-se o boletim de ocorrência (BO), mas nada garante punição para o criminoso ou criminosos.

    Explica-se, desse modo, o aumento dos crimes registrados na Grande Morada da Serra, destacando-se os roubos e os furtos, cujas conseqüências extrapolam o limite da simples perda de um bem material, pois desestrutura uma vida, enfraquece a família e abala a convivência societária. Isso porque as pessoas estão à mercê do medo e da insegurança, que se tornam ainda mais agravantes em razão da insensibilidade da administração pública estadual e municipal.

    Lourembergue Alves é professor da Unic e articulista de A Gazeta, escrevendo neste espaço às terças-feiras, sextas-feiras e aos domingos (lou.alves@uol.com.br)

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Goleada na cassação no TRE e no TSE

edson fachin 400 curtinha   No TRE-MT, em abril, a juíza aposentada e senadora Selma Arruda, que trocou o PSL pelo Podemos, teve o mandato cassado por unanimidade. No julgamento do recurso da parlamentar no TSE, nesta terça, o placar também foi "elástico": 6 a 1. Somente o ministro Edson Fachin (foto) votou acatando o...

PP não quer se desgrudar do prefeito

vanderlucio 400 curtinha   O PP de Cuiabá está mergulhado na gestão Emanuel Pinheiro, inclusive, comandando três secretarias com Vanderlúcio Rodrigues (foto), de Obras Públicas e que preside a legenda na Capital, Francisco Vuolo (Cultura, Esporte e Turismo) e Débora Marques (Agricultura, Trabalho e...

1º projeto beneficia a Grande Cáceres

leonardo 400 curtinha   O deputado Leonardo (foto) conseguiu aprovação de um projeto na Câmara Federal que amplia prazo sobre registro de imóveis na fronteira, beneficiando a região Oeste, especialmente Cáceres, que faz fronteira com a Bolívia. A matéria agora segue para o Senado. A...

Denúncia, psiquiatria e agora atestado

elizabeth 400 curtinha   Lotada como técnico-administrativo do RH do Hospital Metropolitano da Capital, Elizabete Maria de Almeida (foto), recorreu a um psiquiatra uma semana depois de registrar um BO e, sem apresentar provas, acusar o prefeito Emanuel de negociata, inclusive com dinheiro vivo para vereadores, com vistas a...

Título de Cidadã para senadora goiana

janaina riva 400 curtinha   A Assembleia fará sessão solene nestes últimos dias de 2019 para prestar homenagem a várias personalidades de diferentes segmentos e profissões. Uma das que serão condecoradas com o Título de Cidadã Mato-Grossense é a goiana Kátia Regina de Abreu,...

Francis sem os vereadores do partido

cesare 400 curtinha vereador caceres   A administração Francis Maris em Cáceres se tornou tão emblemática que perdeu apoio dos dois únicos vereadores do seu partido, o PSDB, na Câmara Municipal. Os tucanos Valdeniria Dutra e Claudio Henrique integram hoje o bloco de oposição ao prefeito,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.