Últimas

Sexta-Feira, 24 de Agosto de 2007, 11h:46 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:16

Artigo

Viva o Cururu o Siriri e nossa cultura e o festival

     Como dizia Zé Bôlo-Flô ao exaltar e exorcizar a realização de encontros de cururueiros rio abaixo ainda na década de 70. “Viva o cururu o siriri o rasqueado e o encontro do beira rio. Viva o cantar do tuiuiú no ninhal (no pantanal), o mujo da mula sem cabeça , o assovio do minhocão do pari , o grito do negrinho d`agua e a passada do curupira (curupira mesmo), Tudo canta de si , prô pessoal e viva o festival” .
     Esses encontros eram realizados geralmente nos bairros mais antigos, bem longe do povo do centro da capital e da academia, como de costume era a elite cuiabana. Na capital três bairros eram marcantes nesse tipo de encontro anual, no qual se reunia grupos de cururu e siriri, além de bandas que tocavam o legítimo e o bom rasqueado, além da gastronomia é claro. Os encontros eram organizados geralmente na realização de festas religiosas em residência, Igrejas, ou de bairros, ainda comum nos dias de hoje.
     No Dom Aquino (que na época compreendia os bairros Barcelo, Várzea Ana Poupina, Morro do Tambor, Cruzinha e Aldeia e ainda , parte da Linha de Tiro hoje Jardim Paulista), Antigo Terceiro , hoje totalmente grilado por universidades , grandes empreendimentos e no Poção, cuja característica permanece até hoje. Esses locais eram como centros desses grupos. Na baixada e no restante do Estado, a festa era certa, e a continuidade da cultura do cururu e siriri eram marcantes
Essa gente não ligava muito para o modismo de ocasião (bossa nova, chorinho, Jovem Guarda, movimento de resistência a ditatura , Rock etc), decorrente no país e que chegara a Cuiabá via revistas, emissora de Rádio, jornais e a TV Centro América (a caçulinha). O negócio mesmo era curtir o “cerne do umbigo de origem”, respirar a pura cultura que é nossa. Participar de uma dessas noitadas era como se abastecer culturalmente para o ano todo. Até minha mãe que me colocava para vender pixé e queimada durante a festa e cuidava de uma banca de quitute, não descuidava e também dançava o siriri.
     A festança ficou maior se organizou e veio para o centro da capital, mostrar ao restante da cuiabania o que é de fato a nossa cultura. A Prefeitura e seus parceiros está de parabéns pela realização do Festival de Cururu e Siriri, justamente na região histórica do Porto, berço de Cuiabá.
Pena que a Secretaria de Cultura do Estado não acompanhe essa visão de realização do festival, e por todos os anos saísse na frente liderando os festejos do ícone cultural de Mato Grosso. Fiquei sabendo que o apoio da Secretaria Estadual é quase simbólico, e institucional, face as necessidades de realização do festival de cururu e siriri.
     Sabendo que já são 30 grupos culturais que irão se apresentar na arena, para um público maior que nas ultimas 5 edições, falta agora a organização estender as apresentações ao rasqueado. Só que para o ano que vem o local não pode ser mais o mesmo, terá que ser ampliado.
Também já tenho informação que, que durante o festival será anunciado a construção do “Siririrão” ( um templo maior de realização de festival de cururu e siriri e outras manifestações). Vamos esperar maior ação do governo Estadual, da Secretaria de Cultura em priorizar a construção do Siririrão, e não fazer que nem no ginásio Aecin Tocantins , entregue quase pela metade e faltando obras e detalhes no local.
     Viva o Siriri , Viva o Cururu e viva o Festival !!!

Adão de Oliveira é cuiabano - e Jornalista em Mato Grosso

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Sexto suplente na Câmara por um mês

aluizio leite 400 curtinha   Aluízio Leite (foto), filiado histórico do PV, tomou posse como vereador pela Capital na último dia 2. Mas vai ficar na cadeira por somente 31 dias, até o retorno do titular, delegado Marcos Veloso, que se afastou para cuidar de assuntos pessoais e hoje se encontra hospitalizado com...

No TCE pra tentar receber da prefeitura

flavia mesquita 400 curtinha   Flávia Mesquita (foto), da Luppa Administração de Serviços, pediu socorro ao TCE para tentar receber por serviços prestados à secretaria de Saúde de Cuiabá, alegando que o município está inadimplente há oito meses. E apontou quebra da ordem...

Pai e filho pré-candidatos em Poconé

henrique santos 400 curtinha pocone   Em Poconé, pai e filho estão animados para o teste das urnas deste ano. Um a prefeito e, outro, para vereador. Euclides Santos, que já foi vereador (89/92) e prefeito por duas vezes (93/96 e 2001/2004), além de secretário de Infraestrutura e Serviços Urbanos em...

Expectativa de tocar a Cultura de MT

paulo traven 400 curtinha   Um dos três adjuntos da pasta de Cultura, Esporte e Lazer do Estado, José Paulo da Mota Traven (foto) vem se articulando para assumir de forma efetiva o comando da secretaria. Ele conta com apoio de alguns membros do staff, como do secretário de Governo, Alberto (Beto) Machado. O governador...

Poconé tem hoje vários "prefeitáveis"

euclides santos 400 curtinha   O ex-vereador e ex-prefeito de dois mandatos de Poconé, Euclides Santos (foto), que era do MDB e agora está no PSDB, vem se movimentando nos bastidores para concorrer novamente à sucessão municipal. Seria um dos nomes de oposição ao prefeito Tatá Amaral, que vai tentar...

Apostas do PTB para vereador em VG

silvio fidelis 400 curtinha   Detentor da segunda maior bancada na Câmara de Várzea Grande, com cinco assentos, atrás somente do DEM da prefeita Lucimar, que conta com sete vereadores, o PTB aposta na hipótese de ao menos manter as cinco vagas. E todos os seus vereadores vão à reeleição, sendo...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Em Cuiabá, o prefeito suspendeu a decisão de implantar rodízio de veículos entre placas pares e ímpares devido à Covid-19. Mas quer debater a ideia. Você concorda com rodízio?

concordo

discordo

tanto faz

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.