Ana Lacerda

Desenvolvimento do agro e a sustentabilidade

Por 06/11/2019, 08h:41 - Atualizado: 06/11/2019, 08h:45

Dayanne Dallicani

Colunista Ana Lacerda

Estamos em tempos de progressivas preocupações com o meio ambiente e os recursos naturais. É claro que elas são muito válidas e necessárias. O que acontece é que muitas dessas discussões ficam no raso e no senso comum de forma equivocada e costumam apontar, sem mais avaliações, um vilão como antagonista principal: o agronegócio.

Esse pensamento emerge da falta de informação sobre o tema. A respeito desse mesmo assunto, o Presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, defendeu, semana passada, a convergência entre meio ambiente e agronegócio. Para ele, é possível chegar a um equilíbrio entre a sustentabilidade e o setor produtivo. A ideia é discutir e aprovar propostas legislativas no sentido de conciliar os interesses do agronegócio com a proteção ao meio ambiente, uma vez que as agendas não devem ser opor.

Estamos em tempos de progressivas preocupações com o meio ambiente e os recursos naturais. É claro que elas são muito válidas e necessárias. O que acontece é que muitas dessas discussões ficam no raso e no senso comum de forma equivocada

Em declaração pública, o Presidente da Câmara afirmou que “nosso papel, até o final de 2020, é integrar a agenda do meio ambiente com a do agronegócio”. Para que o diálogo aconteça, de fato, foi criado um grupo de trabalho integrado tanto por deputados ambientalistas, quanto pelos do agronegócio, buscando pontos de convergências e caminhos possíveis para os eventuais impasses entre os interesses das áreas, que, em última instância, são complementares.

Em setembro, Rodrigo Maia deu início a uma comissão externa, com parlamentares de partidos diversos, a fim de estudar as políticas ambientais e seus respectivos impactos na economia.

Com o intuito de mostrar que realmente haverá voz e vez para todas as pautas, são membros da comitiva: o coordenador da Frente Parlamentar Agropecuária, deputado Alceu Moreira (MDB-RS) e o presidente da Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável da Câmara, deputado Rodrigo Agostinho (PSB-SP).

Nesse sentido, o deputado Alceu Moreira almeja o selo verde, mostrando ao mundo que no Brasil se produz alimento com sustentabilidade.

“A reunião é demonstração de maturidade do parlamento brasileiro, de todos os segmentos que defendem o mesmo caminho, o do crescimento da nossa economia, o desenvolvimento ainda maior do agronegócio e o respeito ao meio ambiente. A convergência existe”, disse o Presidente da Câmara.

Vale pensar ainda que, muito distante de serem contrárias, as demandas do agronegócio e do meio ambiente são complementares. E longe de querer a depredação ambiental, as necessidades do agronegócio seriam inviáveis sem os recursos naturais preservados. Para ambos os setores, quanto mais equilíbrio, melhor.

Outra questão que é importante pontuar é que entrar em consenso nem sempre significa unanimidade. O conflito de ideias pode até surgir, mas é imprescindível buscar caminhos que atendam as demandas de maneira equilibrada, propiciando o desenvolvimento do país, de modo sustentável.

É sabido que o agronegócio é um dos setores de maior relevância para a economia brasileira, principalmente em Estados como Mato Grosso, conhecido como agroexportador.

Quando se pensa em sustentabilidade, não se deve pensar unicamente na natureza, são inúmeros outros fatores que compõem o conceito, trata-se também de investir em tecnologia e ciência

Não se pode deixar de lado a contribuição valiosa de muitos setores da cadeia produtiva do agronegócio, considerando que exigem o uso de máquinas, equipamentos, insumos, tecnologias e pesquisas, entre outros elementos para melhorar os índices de produtividade.

Como consequência, tem-se a geração de emprego e renda, a produção de alimentos, a elevação do Produto Interno Bruto (PIB), o bom saldo da balança comercial e a conquista de espaço no mercado nacional e internacional por intermédio da grande quantidade e qualidade de produção e exportação.

O crescimento do setor do agronegócio brasileiro está diretamente ligado à abundância de recursos naturais, ao aumento da produtividade, às novas tecnologias e às linhas de financiamento. O que contribui com o progresso em geral, e faz com que o setor tenha interesse também em preservar, até mesmo para não se enquadrar como descumpridor da legislação concernente em vigor: as práticas que conciliam desenvolvimento econômico à preservação do meio ambiente transformaram-se também em sinônimo de competitividade no mercado empresarial.

Quando se pensa em sustentabilidade, não se deve pensar unicamente na natureza, são inúmeros outros fatores que compõem o conceito, trata-se também de investir em tecnologia e ciência. É por meio do avanço das pesquisas que rendimentos mais altos e com menos impacto são alcançados. A eficiência na produtividade como um todo gera consumo mais consciente de insumos agrícolas e a garantia de melhores condições de vida e de trabalho para toda a sociedade.

Que o meio ambiente e o agronegócio encontrem realmente caminhos para uma coexistência harmônica e pró-desenvolvimento do país. Que seja o Brasil pátria verde e próspera.

Ana Lacerda é advogada do escritório Advocacia Lacerda e escreve exclusivamente nesta coluna às quartas-feiras. E-mail: analacerda@advocacialacerda.com. Site: www.advocacialacerda.com

Postar um novo comentário

Cidinho é o que mais agrega ao Senado

cidinho 400 curtinha   Depois de Blairo Maggi, o nome do empresário e ex-senador Cidinho Santos (foto) seria hoje o que mais agregaria a classe política e o agronegócio em torno de uma candidatura ao Senado numa eventual eleição suplementar. Conta com simpatia do senador Jayme Campos e do governador Mauro Mendes,...

Prova da lisura de membros do Gaeco

paulo prado 400 curtinha   O resultado da auditoria do TCE-MT sobre a prestação de contas do Gaeco das verbas secretas, entre 2012 e 2017, assegurando a sua legalidade, resgata a credibilidade, lisura e reputação ilibada dos membros que atuaram na época nesse braço investigativo do MPE, como o procurador e...

Posse 2 dias antes do possível retorno

maluf 400 curtinha   Guilherme Maluf (foto), que nem esquentou direito a cadeira de conselheiro, vai tomar posse na presidência do TCE-MT dois dias antes do STJ julgar um recurso que tende a suspender as medidas cautelares e definir pelo retorno ao Pleno dos cinco conselheiros afastados há dois anos. A solenidade acontece no...

Alerta sobre hanseníase nos presídios

alexandre bustamante curtinha 400   Duas secretarias do TCE ingressaram com representação contra duas secretarias de Estado. As de Controle Externo de Educação e Segurança Pública e de Saúde e Meio Ambiente acionaram no próprio Tribunal as pastas de Segurança Pública,...

Reunião pra complô desmoraliza Abílio

abilio 400 curtinha   A considerar as imagens de circuito interno de vídeo do hospital privado São Benedito, exibidas nesta quinta, durante sessão na Câmara de Cuiabá, a situação de Abílio Brunini (foto) se complica mais ainda. Investigado pela Comissão de Ética por reincidentes...

Contra mudar multas do Fundecontas

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro (foto) vetou a inclusão de um dispositivo no artigo 2º da lei de 2005 que criou o Fundo de Reaparelhamento e Modernização do TCE. Essa alteração foi aprovada pela Assembleia na sessão de 29 de outubro e, na prática, iria retirar e dar outro...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.