ARTIGOS

Quarta-Feira, 11 de Setembro de 2019, 09h:44 | Atualizado: 11/09/2019, 09h:58

Laura Oliveira Gonçalves

Suicídio é tabu? Vamos desmistificar sem glamourizar

laura oliveira colunista espaco fixo

Mesmo com o crescente índice de suicídios no mundo, e principalmente em nosso país, falar sobre o assunto ainda é um tabu, e muitos preferem deixar o tema de lado, a enfrentá-lo como se deve. Em um mundo com relações cada vez mais superficiais, com pessoas fazendo textões para defender pontos de vista e apontar o “diferente” nas redes socais, o que resta aos mais sensíveis a estes ruídos é calar-se. Guardar a dor dentro de si, e sorrir num palco de depressão e ansiedade, afinal é muito difícil de ouvir, mais difícil ainda é falar sobre o suicídio.

É preciso encarar o suicídio, e suas causas, como doença; um problema de saúde pública

Nos Estados Unidos, uma em cada cinco pessoas em idade produtiva foi diagnosticada com depressão, uma das maiores fontes de angústia de quem cogita tirar a vida. Por aqui, no país do futebol, terra de samba e carnaval, mais de um brasileiro se mata a cada hora, e outros três tentam se suicidar sem sucesso – são 32 vítimas por dia. E esses, vale destacar, são apenas os números oficiais.

Tentar controlar a ansiedade sozinho, pode ser mais problemático do que se imagina, por isso o tratamento deve ser conduzido por profissionais habilitados, visto que prender ou reprimir pode ter efeito reverso. O momento da escuta é necessário. Intervenção com medicamentos, em dados casos é essencial. Portanto, não basta esperar passar, pois isso pode não ocorrer nunca. Existem casos de pacientes que buscaram sozinhos contornar a situação, mas as palavras não ditas, de prazeres não satisfeitos, de gritos não dados os matavam dia a dia, e quase foram externados com suicídio.

O tema mexe e muito com nossas estruturas, e como amigos, familiares, ficamos muitas vezes sem saber o que fazer e como agir diante da pessoa acometida pela tristeza absoluta e que atenta contra sua própria vida, por isso procurar ajuda profissional é tão necessário. Por vezes o atendimento ao Centro de Valorização da Vida (CVV), auxilia, mas é fundamental que o atendimento especializado de psicólogos, psiquiatras e demais profissionais da saúde seja inserido na rotina.

Devemos debater o suicídio sim, desmistificar esse processo tão doloroso, e assim salvar vidas. Atentar contra a própria vida nem sempre é escolha, mas sim uma escalada dramática de quem não vê saída, não é fraqueza e muito menos covardia. São tantas as ideias preconcebidas que quebrar esse padrão requer um esforço coletivo.

E para mudar essa concepção, é preciso encarar o suicídio, e suas causas, como doença; um problema de saúde pública, reconhecido pelo Ministério da Saúde, e fazendo com que essa dificuldade seja vista com menos preconceito inclusive pelos profissionais da saúde, afinal alguns médicos e enfermeiros se deparam com casos de suicidas e são pouco tolerantes com os mesmos e suas famílias.

Nem precisamos reforçar que o suicídio não é aceito socialmente, afinal percebemos pelo fato de ser um tema pouco debatido, mas precisamos buscar formas de tocar nesta ferida que dificultar o diálogo, seja por ignorância, preconceito ou estigma.

Mesmo pacientes acometidos por depressão leve podem cometer suicídio e em todos os casos, um diagnóstico para o trabalho conjunto, paciente, família e equipe de Saúde, é importante, pois irão fazer a análise das possibilidades de tratamentos a todos os envolvidos.

Sim, falar sobre o suicídio é preciso. Porém, a fronteira entre informar e incentivar pode se mostrar tênue

Somente o profissional tem condições de diferenciar depressão unipolar ou clássica (tristeza, pesar e/ou a perda de interesse por atividades do cotidiano) de depressão do transtorno bipolar (depressão em pessoas que enfrentam oscilações rápidas de muito bom humor e irritação), do transtorno de personalidade borderline (condição mental grave, que provoca medo irracional, mudanças súbitas de humor e problemas de autoimagem) ou da esquizofrenia (transtorno psiquiátrico complexo caracterizado por uma alteração cerebral, que dificulta o julgamento correto sobre a realidade).

Sim, falar sobre o suicídio é preciso. Porém, a fronteira entre informar e incentivar pode se mostrar tênue. O consenso entre os profissionais especializados é não reforçar métodos, muito menos glamourizar a ideia, transformando o suicídio em um ato Romeu e Julieta.

Vamos deixar claro: tirar a própria vida não tem nada de glamouroso. É o último passo rumo ao abismo de quem nunca encontrou socorro, tampouco conseguiu se ajudar.

Laura Oliveira Gonçalves é psicóloga, atua na Abordagem Sistêmica (Terapeuta para casais, crianças, família, adolescentes). Especialista em avaliação psicológica e especialista em Psicologia do Trânsito. E-mail: laurapsi2012@hotmail.com - Instagram: dralaura_psicologiaclinica

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Peterson Cruz | Quarta-Feira, 11 de Setembro de 2019, 11h30
    1
    0

    Ótima abordagem e tema muito importante para o momento!

  • Jean Bezerra | Quarta-Feira, 11 de Setembro de 2019, 10h38
    3
    0

    Excelente artigo!

Matéria(s) relacionada(s):

EP cita 4 pela força do MDB em Cuiabá

rafael bastos 400 curtinha   O prefeito Emanuel Pinheiro disse neste sábado, no encontro do MDB, que acabou atraindo a presença de representantes de outros 12 partidos, que a agremiação emedebista foi construída e ganhou força e espaço na Capital graças aos filiados históricos Rafael...

Júlio, do DEM, vê boa gestão de EP

julio campos 400 curtinha   Júlio Campos (foto), uma das lideranças históricas do DEM, foi "apertado" nesta sexta, em entrevista a Antero de Barros, na rádio Capital FM, especialmente sobre o fato do ex-governador e ex-senador demonstrar simpatia e apoiar a gestão do prefeito Emanuel, enquanto outros do partido...

Empresário ensaia de novo em ROO

 luizao_curtinha400   Em Rondonópolis, o empresário Luiz Fernando de Carvalho, o Luizão, dono da Agro Ferragens Luizão, ensaia mais uma vez disputar a prefeitura. Como a sua pré-candidatura não é considerada novidade, ele é visto como uma espécie de "cavalo paraguaio", que tem arrancada...

2 governistas prontos para a briga

chico2000_curtinha400   O prefeito Emanuel tem 2 aliados de primeira hora na Câmara que não resistem a uma provocação. Tratam-se de Renivaldo Nascimento (PSDB) e Chico 2000 (foto), do PL. Sabendo do estopim curto, os vereadores de oposição, especialmente Diego e Abílio, não perdem a chance de...

Niuan agora sob rédeas do Podemos

niuan ribeiro curtinha 400   O vice-prefeito Niuan Ribeiro, agora no Podemos, se torna obrigado, conforme exigência estatutária, a contribuir com 5% dos R$ 15 mil que recebe mensalmente . Ou seja, vai ter que repassar R$ 750 para o seu novo partido. Considerado um partido com novas concepções, regras e exigências, o...

Efeito-senado e briga no ninho tucano

carlos-avalone_curtinha400   O deputado estadual Carlos Avalone não tem certeza de que o acordo pré-estabelecido para ele se tornar presidente do PSDB-MT, a partir de fevereiro, ou seja, daqui 5 meses, será cumprido. Pela costura entre a cúpula tucana, Paulo Borges renunciaria à presidência, abrindo assim...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.