Ana Lacerda

Atenção, produtor rural: é preciso renovar documentação

Por 15/01/2020, 10h:01 - Atualizado: 15/01/2020, 10h:06

Dayanne Dallicani

Colunista Ana Lacerda

Conforme previsto no Decreto nº 262/2019, o produtor rural que emitiu a Autorização Provisória de Funcionamento de Atividade Rural – APF antes de 17 de outubro de 2019 deve renovar o documento por intermédio de uma nova emissão realizada na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema).

O link para a realização do procedimento é este. Trata-se de um serviço gratuito e a validade da nova autorização expirará em 31 de dezembro de 2020.

Para emitir a nova autorização, é necessário ter em mãos o registro da propriedade no SIMCAR e o certificado digital Token.

Consequentemente, o proprietário acessará o link supracitado, preencherá o requerimento padrão e assinará eletronicamente o Termo de Compromisso Ambiental (TCA), comprometendo-se com a regularização de áreas indicadas com passivos ambientais na validação do CAR.

A emissão do documento é de extrema importância, tendo em vista que, em consonância com dados divulgados pelo próprio Poder Executivo na data da publicação do Decreto em tela, já existiam 15.810 APFs canceladas

Para sanar eventuais dúvidas, o órgão ambiental disponibilizou alguns contatos: ☎ 65 3613 7363 (GSAGA) ou 65 3613 7271 / 📧 capex@sema.mt.gov.br.

Vale lembrar que APF constitui uma autorização “precária” para que produtores ou possuidores de imóveis rurais tenham permissão para seguir com suas atividades até o momento em que a Sema faça as adequações na Licença Ambiental Única (LAU), com o intuito de dar cumprimento às alterações previstas na Lei nº 12.651/2012 – Código Florestal Brasileiro.

A emissão do documento é de extrema importância, tendo em vista que, em consonância com dados divulgados pelo próprio Poder Executivo na data da publicação do Decreto em tela, já existiam 15.810 APFs canceladas, sendo que aproximadamente 72% dos imóveis possuem área consolidada ou desmate autorizado após 22 de julho de 2008, estando impossibilitados de exercício regular de atividade e acesso a crédito.

O artigo 3º do referido Decreto estabelece que “a APF será emitida automaticamente considerando o polígono que incidir sobre a base de Referência de Uso Consolidado, na escala 1:25 000, homologada pela Sema nos termos da Lei nº 12.651/2012, excluídas a massa d’água, a APP – Área de Preservação Permanente - e a AVN – Área de Vegetação Nativa, declaradas no cadastro ambiental rural; bem como o polígono desmatado após 22 de julho de 2008, com autorização do órgão ambiental competente.”

São os caminhos adequados para que o produtor rural garanta o exercício legal da atividade rural, em respeito às normas ambientais vigentes

De mais a mais, como já explanado em artigos anteriormente publicados nesta coluna, a regularização da propriedade rural traz inúmeros benefícios ao produtor e ao proprietário rural e em contrapartida, o descumprimento das normativas legais pode gerar inúmeros transtornos aos proprietários rurais e até mesmo ocasionar embargos ambientais nas áreas da propriedade.

Desse modo, no presente momento, a APF é aceita como o documento hábil para o exercício provisório das atividades de agricultura e pecuária extensiva e semiextensiva em áreas consolidadas até 22 de julho de 2008, desmatadas com autorização após 22 de julho de 2008 ou validadas no Cadastro Ambiental Rural como de uso alternativo do solo e a regularização da propriedade rural.

Portanto, a APF emitida, em conjunto com a documentação exigida pelo órgão licenciador – Sema para regularização dos passivos ambientais existentes na propriedade rural, são os caminhos adequados para que o produtor rural garanta o exercício legal da atividade rural, em respeito às normas ambientais vigentes.

Ana Lacerda é advogada do escritório Advocacia Lacerda e escreve exclusivamente nesta coluna às quartas-feiras. E-mail: analacerda@advocacialacerda.com. Site: www.advocacialacerda.com

Postar um novo comentário

Vice e o uso político do Creci pró-Julio

claudecir 400 creci curtinha   O sindicato dos profissionais do Mercado Imobiliário de Mato Grosso, sob Juliano Lobato, em nota de repúdio, detona o atual vice-presidente do Creci-MT, Claudecir Contreiras (foto), para quem está fazendo uso político da entidade e beneficiando, de forma descarada, o...

Toninho e expectativa de retorno à AL

toninho 400 curtinha   Toninho de Souza, que no ano passado estreou como deputado, permanecendo no cargo por 46 dias, no lugar de Eduardo Botelho, vive expectativa de retornar à cadeira na Assembleia. Mas isso vai depender de uma decisão de Janaína Riva, que está no quarto mês de gravidez. Ela tem...

Parlamentar temido reassume em VG

caio cordeiro 400 curtinha   Com menos de 15 dias no cargo de vereador em Várzea Grande, o primeiro-suplente Caio Cordeiro (foto), do PRP, já terá de desocupar a vaga. Eis que está de volta, da prisão para retomar o assento de parlamentar, Jânio Calistro, que está no segundo mandato e responde...

Diversos cortes nas despesas da AL

eduardo botelho curtinha 400   Num período em que o Legislativo praticamente parou, assim como o Judiciário e órgãos vinculados aos Poderes, como TCE e MPE, o presidente da AL, deputado Eduardo Botelho (foto), tomou decisão correta ao cortar gastos enquanto perdurar a pandemia do coronavírus. Entre as...

Governador está tenso e preocupado

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro Mendes anda tenso e preocupado. Mesmo já tendo adotado uma série de medidas de prevenção, inclusive consideradas radicais, ele não dorme direito por causa das projeções nada otimistas de aumento nos próximos dias de casos de coronavírus em...

AL aprovará empréstimo de R$ 550 mi

A Assembleia aprovou, na convocação extraordinária desta sexta (27), dispensa de pauta para a mensagem do Executivo que pede autorização para contrair empréstimo de R$ 550 milhões junto à Caixa Econômica. O recurso será aplicado na construção de pontes de concreto em diversos municípios. Agora, a matéria entra na pauta e será aprovada pela maioria dos deputados na próxima segunda (30),...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.