Executivo

Terça-Feira, 11 de Fevereiro de 2020, 15h:18 | Atualizado: 11/02/2020, 19h:52

APÓS ESTRANHAMENTO

Cobrança do ICMS sobre combustível será revista em reforma tributária, diz Mauro

Assessoria

Mauro Mendes

Mauro Mendes ao lado do governador Camilo Santana, do Ceará, e do vice-governador de Minas Gerais Paulo Brant, no Fórum dos Governadores

O governador Mauro Mendes (DEM), que participou do 8º Fórum dos Governadores, realizado em Brasília nesta terça (11), com a presença do ministro da Economia Paulo Guedes, voltou a criticar a proposta de redução do ICMS sobre os combustíveis, apresentada pelo presidente da República Jair Bolsonaro em forma de desafio. Segundo o democrata, os 26 estados e o Distrito Federal deixaram claro que não têm condições de adotar a medida.

Segundo Mauro, Guedes se mostrou sensível as ponderações do governador. Por isso, se comprometeu a discutir a redução do ICMS dos combustíveis e em outras áreas, a partir da reforma tributária que será apresentada ao Congresso Nacional.

“Desde a semana passada o Brasil foi dominado, principalmente nas redes sociais, por essa discussão sobre zerar o ICMS dos combustíveis. Hoje, com a presença de praticamente 27 governadores, dos Estados e do Distrito Federal, ficou claro que nenhum tem condições de tomar essa medida. Todos os Estados estão em situação fiscal e financeira frágil, a maioria em grande dificuldade e abrir mão de receita seria uma grande irresponsabilidade, colocando em risco, inclusive, a prestação de serviços públicos na saúde, na segurança e demais compromissos que o Estado tem”, disse Mauro em coletiva de imprensa.

“Hoje foi feito um diálogo com Guedes e todos nós concordamos que esse tema terá que ser debatido na reforma tributária. Quero dizer para o Congresso Nacional que todos os brasileiros, inclusive nós governadores, gostaríamos que tivesse uma tributação mais simples, mais justa e menos onerosa para o bolso de todos nós contribuintes deste país”, completou o governador.

Quero dizer para o Congresso Nacional que todos os brasileiros, inclusive nós governadores, gostaríamos que tivesse uma tributação mais simples

Mauro Mendes

O fim da tributação do ICMS nos Estados para os combustíveis e a extinção dos fundos públicos em tramitação no Senado  dominaram o debate. A União detém 68% de toda a tributação de impostos do país. Estados e municípios dividem o resto.  

Paulo Guedes garantiu aos  mais de 22 governadores de 26 estados e do Distrito Federal presentes que o propósito do Governo Federal é atender os entes federativos.  E em dez anos, prometeu tirar do poder da União R$ 450 bilhões.

Desafio

Ontem (10), Mauro  afirmou que Mato Grosso aceita o desafio de reduzir o ICMS dos combustíveis. Entretanto, condicionou a medida ao pagamento do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) de 2018 e 2019 e todas as perdas do Estado ocasionadas pela Lei Kandir.

O FEX referente a 2018 e 2019 chega a quase R$ 1 bilhão. Segundo a secretaria estadual de Fazenda (Sefaz), em 20 anos, Mato Grosso deixou de arrecadar R$ 39,4 bilhões com a Lei Kandir, que desonera as exportações.

O desafio de reduzir o ICMS dos combustíveis foi feito pelo presidente  Bolsonaro, que prometeu zerar os impostos federais, caso os governadores façam o mesmo nos Estados. No entanto, Mauro classificou a proposta de Bolsonaro como impraticável.

Fórum Brasil Central

  Mauro  também assumiu o  cargo de presidente do Consórcio Brasil Central (BrC). O democrata  foi eleito em novembro de 2019 para suceder o governador Reinaldo Azambuja (PSDB), de Mato Grosso do Sul.

 Criado em 2015, o BrC é a primeira autarquia criada nesse formato, que é responsável por unir esforços com o objetivo de promover o ganho de competitividade por meio da cooperação técnica efetiva para a formulação de políticas regionais, projetos, parcerias, captação de recursos e soluções de problemas de forma conjunta.

Além de Mato Grosso, fazem parte do BrC Maranhão, Goiás, Mato Grosso do Sul, Rondônia, Tocantins e o Distrito Federal (Com informações da Agência Brasília).

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Cotado à cadeira de desembargador

francisco faiad 400 curtinha   É forte o movimento nos bastidores entre os juristas, dentro e fora da OAB/MT, pela indicação do nome de Francisco Faiad (foto) pela classe Quinto Constitucional à cadeira de desembargador. Bem articulado e com bom conceito no meio jurídico, Faiad foi presidente da OAB/MT por dois...

Pivetta promete permanecer no PDT

allan kardec 400 curtinha   O empresário Otaviano Pivetta, que se tornou o mais badalado nesta fase de pré-campanha ao Senado por causa da grande logística em torno do seu nome, se encontra numa saia-justa. Para líderes do Podemos com os quais passou a ter afinidade política, como os senadores Álvaro Dias e...

Ao Senado, 2 partidos e apoio para EP

elizeu nascimento 400 curtinha   Elizeu Nascimento (foto), terceiro-sargento PM licenciado, não é nada bobo. Ex-vereador pela Capital e no mandato de deputado estadual, Elizeu hoje controla o DC-MT e ainda levou aliados de confiança para o PSL-MT, partido que ainda está ligado ao presidente Bolsonaro e que só de...

Digital de Selma no apoio para Pivetta

olga lustosa curtinha 400   Mesmo com laços antigos de amizade com Otaviano Pivetta, Olga Lustosa, que está se desligando do cargo de assessora do gabinete da senadora cassada Selma Arruda em Brasília, causou aquele climão dentro do Podemos quando apareceu no encontro do PDT, neste sábado. O ato marcou o...

Fritado ao Senado, Galvan deixará PDT

antonio galvan 400 curtinha   Como já esperado, o presidente da Aprosoja, Antonio Galvan (foto), foi mesmo patrolado dentro do PDT estadual na tentativa de concorrer ao Senado na suplementar de abril. Com a decisão oficial do partido de lançar o vice-governador Otaviano Pivetta à disputa, Galvan agora pensa em sair da...

Contratos suspensos de 7 prefeituras

domingos neto 400 curtinha   O conselheiro do TCE-MT, Domingos Neto, determinou, até julgamento do mérito, a suspensão de pagamento por sete prefeituras à Oscip Tupã. Ele é relator de uma representação feita pelo Ministério Público de Contas contra as prefeituras de Vera,...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Bolsonaro...

excelente

bom

razoável

ruim

péssimo

não sei

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.