Judiciário

Sábado, 20 de Outubro de 2018, 10h:20 | Atualizado: 20/10/2018, 10h:24

Dono da Consignum diz que ver nome em delação de empresário causa indignação

Tarso Nunes

Willian Paulo Mischur

Willian Paulo Mischur, dono da empresa Consignum, no momento em que chega à Delegacia Fazendária em 2016

O proprietário da empresa Consignum, Willians Mischur, por meio de nota, afirma que causa estranheza e indignação o surgimento de seu nome na delação premiada do empresário Alan Malouf. Mischur nega a negociação e afirma ainda que a verdade prevalecerá.

Na delação, Mischur teria doado R$ 900 mil à campanha eleitoral do governador Pedro Taques (PSDB) ainda em 2014. O objetivo era garantir a continuidade do contrato com o Estado para oferta de empréstimos consignados aos servidores do Executivo.

O dono da Consignum afirma que jamais tratou de qualquer acordo com ninguém ligado ao governador, tanto que logo que Taques assumiu o Palácio Paiaguás, o contrato com sua empresa acabou e não foi prorrogado. “O maior patrimônio que tenho é o meu nome. Fui obrigado a ceder às exigências do Governo Silval, mesmo não recebendo qualquer valor do Estado e, no governo Taques, perdi o convênio e minha empresa sofreu as consequências", diz trecho da nota.

Segundo a delação, a doação teria sido feita após Taques ter conhecimento do esquema na secretaria estadual de Gestão (Seges) em que Willians Mischur pagava propina ao ex-governador Silval Barbosa (ex-MDB, hoje sem partido) com valores entre R$ 500 mil e R$ 1 milhão. O governador nega qualquer irregularidade.

 A manutenção do esquema teria sido intermediada pelo ex-chefe da Casa Civil Paulo Taques, que é primo do governador e coordenou a campanha em 2014. Neste caso, Alan Malouf não teria tomado parte da negociação. Apenas ficou sabendo que Mischur repassou R$ 900 mil através de Paulo Taques.

 A delação diz que teriam sido pagos R$ 500 mil em espécie a Paulo Taques e R$ 400 mil por meio de cheques, que foram entregues por Paulo Taques a Dozinete Aguilera Castrillon, que fez a doação oficial em nome de sua empresa, a Aguilera Auto Peças Ltda.

Sodoma

A propina da Consignum a Silval foi alvo da Operação Sodoma II e Mischur chegou a ser preso. O empresário fez acordo judicial e devolveu dinheiro ao Estado.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

COT do Pari segue travado até 2020

padeiro_400_curtinha   A secretaria de Infraestrutura, sob Marcelo Padeiro (foto), determinou a criação de uma Comissão Técnica de Trabalhos para estudar detalhadamente o contrato e a obra do COT do Pari, que só será retomada no ano que vem. Afinal, os trabalhos de análise, seguirão até...

Nezinho, enfim, remanejado na gestão

nezinho_400_curtinha   Mesmo com reclamações sobre a maneira burocrática e os passos lentos de Nezinho (foto) no Governo, o prefeito da Capital Emanuel demorou mais de dois anos para remanejá-lo. Ex-prefeito de Livramento e amigo de longa data de Emanuel, Nezinho agora assume a Controladoria do município. No...

Natal Solidário com prêmios valiosos

francis maris 400 curtinha   O empresário e prefeito de Cáceres Francis Maris (foto) lança nesta quarta, às 14h, na Assembleia Legislativa, mais uma campanha solidária em nome do Instituto Cometa, do Grupo Cometa, com sede em Cáceres e uma das maiores concessionárias de revenda do país. Em...

Sem elevar vaga de desembargador

carlos alberto 400 curtinha   O presidente do Tribunal de Justiça, desembargador Carlos Alberto Alves da Rocha (foto), até concorda com a proposta de se aumentar o número de vagas de desembargadores, podendo subir de 30 para 35, por causa da elevada demanda e da necessidade de desafogar os processos na Justiça em...

Piran e avião de R$ 6 mi via o BNDES

valdir piran 400   O Antagonista revelou hoje a lista de beneficiários de empréstimos do BNDES para a compra de jatinhos da Embraer. E nela estão banqueiros, empresários, advogados e artistas. Um deles é o empresário mato-grossense Valdir Piran (foto), que captou nada menos que R$ 6,4...

Com mestrado e pronto para o retorno

jose carlos novelli 400 curtinha   Mesmo afastado da ativa por imposição do Supremo, em meio a um processo controverso baseado em denúncias sem prova, o conselheiro do TCE-MT, José Carlos Novelli (foto), segue se aperfeiçoando e ampliando conhecimentos. Acaba de receber diploma do curso de Mestrado...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Na sua opinião, como está indo o Governo Mauro Mendes?

excelente

bom

regular

ruim

péssimo

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.