Últimas

Sexta-Feira, 18 de Maio de 2007, 10h:46 | Atualizado: 26/12/2010, 12h:15

Artigo

Os meios e os fins

     Lula acha chata a programação dos seus cem canais a cabo e diz que só vê os campeonatos de futebol europeus. Mas, para justificar a TV pública, se queixa de que não há debates na televisão aberta. Diz que gostaria que fossem discutidos democraticamente temas como o aborto, o etanol e o PAC. Mas para que, se nem ele mesmo vai ver? Quem vai ver um debate desses? A dona-de-casa, depois de um dia de trabalho e dos filhos? O trabalhador, de manhã, antes de ir para a fábrica? Em vez da novela, do show e do      futebol?
Uma rede de TV é para ser vista por muita gente. Para comunidades, grupos de interesse e segmentos específicos existem as TVs comunitárias e universitárias, muito mais baratas, onde todos têm direito de se expressar livremente para quem quiser ouvir.
     O povão, que não pode ver o futebol europeu e as séries americanas, merece educação, cultura e diversão de qualidade numa TV paga com seus impostos. Vai pagar R$ 250 milhões para que a TV pública vá ao ar e tem todo direito de exigir bons programas, reais opções à programação das emissoras nacionais e locais. Mas, em qualquer TV séria do mundo, inclusive estatais, se ninguém, ou quase, vê um programa, ele sai do ar e entra outro. A regra vale, com mais rigor, para uma TV movida a dinheiro público. Se ninguém vê, para que TV?
     Mas as estatais, em vez de tentarem melhorar a qualidade do que produzem e a quantidade dos seus espectadores, agora querem, além de mais dinheiro, um ibope estatal, com "novos parâmetros de aferição de audiência e qualidade que contemplem os objetivos para os quais a TV pública foi criada".
     Em vez de cuidar da febre, querem um termômetro companheiro. O pior é que montar um ibope custa mais caro do que uma TV.

Nelson Motta é jornalista da Folha de S. Paulo

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Candidato a reitor e 2 apoios fortes

dimorvan rui 400   O candidato de oposição a reitor do IFMT, Deiver Teixeira, recebeu dois apoios importantes. As manifestações de adesão à candidatura vieram dos professores Ruy Oliveira e Dimorvan Brescancim. Ruy foi candidato a reitor nos últimos dois pleitos e é um pesquisador...

Abílio e Medeiros rejeitam Fernanda

coronel fernanda 400 curtinha   Abílio Júnior e o deputado José Medeiros, presidente do Pode-MT e que foi derrotado para senador, querem distância da coronel Rubia Fernanda (foto) da campanha neste segundo turno em Cuiabá. Nos bastidores, comentam que não precisam da militar filiada ao Patriota e que ficou...

Com maioria na Câmara de Cáceres

eliene liberato 400 curtinha   A prefeita eleita de Cáceres Eliene Liberato (foto), que conquistou 15.881 votos (38,16% dos válidos), terá apoio da maioria dos 15 vereadores. Destes, oito garantiram cadeira pela coligação da própria Eliene, o que representa 53%. As duas maiores bancadas são do PSB de...

Gamba quer Tuti presidindo a Câmara

tuti 400 alta floresta curtinha   O prefeito eleito de Alta Floresta, Chico Gamba (PSDB), tem se articulado para eleger presidente da Câmara o vereador reeleito do seu partido, Oslen Dias dos Santos, o Tuti (foto), que obteve a segunda maior votação, com 814 votos. Na tentativa de convencer os novos integrantes da próxima...

Várzea Grande paga a folha já na 6ª

lucimar campos 400   A prefeita várzea-grandense Lucimar Campos, prestes a concluir o segundo mandato, anunciou que na sexta, a três dias de fechar o mês, conclui o pagamento da folha de novembro. E, nesta quarta (25), já libera a diferença da correção do piso federal para os professores. No total...

Críticas à busca do poder pelo poder

marcia pinheiro 400   Em um ato realizado na praça Alencastro, nesta segunda à noite, a primeira-dama de Cuiabá Marcia Pinheiro disparou críticas aos adversários do prefeito Emanuel, que busca a reeleição. Segundo ela, as alianças formadas por Abílio neste segundo turno são...

MAIS LIDAS