Blog do Romilson Cuiabá, 02 de Abril DE 2020 Rdnews RDTV facebook twitter RSS

4674.png

Política

Poderes

Bastidores

Negócios

Análise

Opinião

RETROSPECTIVA

Silval é reeleito; Wilson e Mendes amargam derrota já no 1º turno

Silval Barbosa (PMDB)    O governador Silval Barbosa (PMDB) tem muito o que comemorar neste ano. No final de março ele assumiu o comando do Paiaguás e conseguiu costurar uma ampla coligação, que o ajudou a se reeleger ainda no primeiro turno. O feito era tido como difícil por muitos tendo em vista a força política do empresário Mauro Mendes (PSB) e do ex-prefeito da Capital, Wilson Santos (PSDB), que também estavam no páreo.

    O peemedebista conseguiu liquidar a fatura em 3 de outubro após obter 759.805 votos. Ao vencer no 1º turno, Silval manteve uma tradição. Foi assim com os últimos cinco governadores que foram submetidos à eleição direta, sendo eles Júlio Campos (DEM), Carlos Bezerra (PMDB), Jayme Campos (DEM), Dante de Oliveira (PSDB) e Blairo Maggi (PR), os dois últimos reeleitos.

   Assim, Wilson, que renunciou ao comando da Prefeitura de Cuiabá para disputar a vaga, amargou a derrota e ficou sem mandato. Hoje o Palácio Alencastro está sob Chico Galindo. Mendes, por sua vez, teve de “engolir” mais uma derrota. O empresário entrou na vida política em 2008, quando disputou, sem êxito, a prefeitura da Capital. Desta vez, estava convicto que ao menos chegaria ao segundo turno, mas “morreu na praia”.

   Já na Câmara Federal, 2010 marcou a saída de cena de algumas figuras, que já eram tidas como favoritas a uma das 8 vagas destinadas à bancada mato-grossense. A viúva de Dante de Oliveira, Thelma de Oliveira (PSDB), havia ficado apenas com a primeira suplência de sua coligação que, em princípio, elegeu Júlio Campos (DEM) e Nilson Leitão (PSDB), mas horas antes da diplomação o ex-prefeito de Sinop dormiu eleito e acordou sem o “trono”, por isso, ela amargou a 2º suplência.

   Se entre os tucanos o clima era de tristeza, já que o partido encolheu ainda mais em Mato Grosso, no PP todos comemoraram as decisões favoráveis a Pedro Henry. Ele conseguiu homologar o seu nome descongelando seus votos e assim, assegurou mais um mandato. Entre as principais lideranças petistas, o único a comemorar foi o ex-secretário de Educação, Ságuas Moraes, que garantiu definitivamente a sua vaga após a saída de Leitão da lista de eleitos.

   Ocorre que se a Justiça descongelasse os votos do tenente Willian Dias (PTB), o petista perderia a cadeira. Já a senadora Serys Marly e o deputado federal e presidente do PT Carlos Abicalil morreram abraçados neste pleito. No início do ano, eles se degladiaram para decidir quem disputaria a senatória. Abicalil levou a melhor e Serys chegou a avisar que deixaria a vida pública. Por fim, concorreu à Câmara Federal, mas não pediu votos para o seu desafeto. O resultado do racha interno pode ser vito nas urnas, nenhum dos dois se elegeu.

    Apesar dos democratas não terem muito o que comemorar, já que participaram da coligação de Wilson, eles conseguiram emplacar Júlio Campos, que após ser conselheiro do TCE e disputar sem êxito a Prefeitura de Várzea Grande, conseguiu mostrar a sua força no Estado. Outro cacique que conseguiu permanecer no poder, mesmo entrando mudo e saindo calado de seus programas eleitorais, foi Carlos Bezerra. Ele é o mais velho da bancada mato-grossense que toma posse na Câmara Federal em fevereiro e durante a corrida eleitoral utilizou o tempo destinado a ele nas TVs e rádios para exibir jingles que contavam a história de sua vida, mas não apresentou nenhuma proposta. Wellington Fagundes, por sua vez, foi o vais votado e conseguiu emplacar o seu sexto mandato com 145.460 votos. Dos 7 deputados federais, que buscaram a reeleição, apenas Thelma foi reprovada nas urnas.

    No Senado, a surpresa foi a eleição do ex-procurador da República Pedro Taques, que nas primeiras pesquisas de intenção de voto figurava como quarto colocado. Na época perdia para Antero Paes de Barros e para Abicalil, mas no final acabou desbancando os dois. Com 708.440 votos assegurou uma das duas vagas. Já o ex-governador Blairo Maggi (PR) teve 1.073.039 e se sagrou como o senador mais votado da história de Mato Grosso.

Postar um novo comentário

SUPERAÇÃO

Blogueira na ativa e sonhando em ser primeira-dama de Rondonópolis

Por 02/04/2020, 10h:16 - Atualizado: 01h atrás

lediane campos 680

Após ficar afastada das redes sociais por conta do acidente de trânsito em que se envolveu, resultando na morte de uma criança, em agosto do ano passado, a digital influence e mulher do ex-deputado federal Adilton Sachetti, Lidiane Campos, voltou à ativa.

Postar um novo comentário

Comentários (2)

  • Roberto Almeida | Quinta-Feira, 02 de Abril de 2020, 10h24
    3
    0

    Como ficou a situação da família que perdeu o ente querido? Essa senhora e o marido deveriam se recolherem a insignificância deles.

  • rafael | Quinta-Feira, 02 de Abril de 2020, 10h23
    4
    0

    vai prestar socorro a família do garoto!!

EFEITO PANDEMIA

Em videoconferência, prefeito recebe apelos para reabrir comércio

Por 01/04/2020, 18h:45 - Atualizado: 01/04/2020, 18h:49

emanuel decreto 680

O prefeito Emanuel Pinheiro ouviu hoje, em videoconferência com representantes dos setores produtivo, hoteleiro, comércio, indústria, bares, restaurantes e similares, apelos para flexibilizar as regras do isolamento social, permitindo ao menos reabertura do comércio na Capital, reforçando a preocupação com desemprego e caos social.

Postar um novo comentário

PRIMAVERA DO LESTE

Léo consolida PDT na base, com 3 secretários filiados, e tem apoio de 11

Por 01/04/2020, 11h:38 - Atualizado: 01/04/2020, 13h:55

secretarios primavera do leste 680

Secretários Wanderson Lana (Cultura) e Adriana Tomasoni (Educação) aderem ao PDT, orientados pelo prefeito Léo

O prefeito Léo Bortolin (MDB), de Primavera do Leste, consegue não só atrair para a base o PDT dos irmãos e opositores Zeca e Getúlio Viana, como amplia para 11 o quadro de partidos que hoje apoiam-no à reeleição.

Postar um novo comentário

CÂMARA DA CAPITAL

Em meio ao troca-troca, PP e PV ficam com maiores bancadas

Por 01/04/2020, 09h:59 - Atualizado: 01/04/2020, 15h:21

Edinei Rosa

camara de cuiaba 680 fachada

Mesmo com o troca-troca partidário - prazo para quem será candidato e pretende mudar de sigla vence no próximo 3 de abril -, o PP e o PV devem seguir com as maiores bancadas entre os 25 vereadores na Câmara de Cuiabá.

Postar um novo comentário

RUMO AO ALENCASTRO

Com DEM indefinido, PSD já tem 2 opções para prefeito de Cuiabá

Por 01/04/2020, 08h:27 - Atualizado: 01/04/2020, 10h:05

junior verdao 680

A indefinição do DEM sobre o processo eleitoral de Cuiabá está levando alguns possíveis aliados do partido do governador Mauro Mendes a construir projetos próprios.

Postar um novo comentário

Comentários (3)

  • Jorge | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2020, 21h18
    1
    0

    O Junior está na delação do Riva. É o mais do mesmo.

  • Marcelo Santos | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2020, 19h23
    0
    1

    Um nome até bom mais só que não tem chapa de vereador .... Mais será que vai fazer chapa de vereador

  • Roberto Almeida | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2020, 14h41
    2
    3

    Dois homens de extrema envergadura. Sérios, líderes nos setores que militam, pessoas que onde põe a mão revolucionan a gestão. Acho que chegou a hora de pessoas como Júnior e Geraldo entrerem na política para fazer o bem.

Estratégia

A pedido de Jayme, Selma diminui críticas ao presidente do Senado

Por 31/03/2020, 16h:14 - Atualizado: 31/03/2020, 16h:55

Geraldo Magela

selma arruda 680

A senadora cassada Selma Arruda (PODE) diminuiu as críticas ao presidente do Senado, Davi Alcolumbre, a pedido do senador Jayme Campos (DEM).

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • José alves | Quarta-Feira, 01 de Abril de 2020, 13h53
    6
    1

    Até parece que Jaime tem moral pra isso

  • Marcinho | Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 22h21
    0
    2

    Marcinho, Há expressões agressivas, ofensas e/ou denúncias sem provas. Queira, por gentileza, refazer o seu comentário

  • Robson Souza | Terça-Feira, 31 de Março de 2020, 21h02
    7
    3

    Que tipo de político temos em Mato Grosso. O Coronel ultrapassado e a contraventora condenada abraçados. Que vergonha.

INíCIO
ANTERIOR
1 de 2521