Executivo

Quinta-Feira, 07 de Fevereiro de 2019, 11h:37 | Atualizado: 07/02/2019, 16h:00

Logística

Tragédia de Brumadinho prejudica a construção da Fico; Senado deve abrir CPI

Com a tragédia do rompimento da barragem de Brumadinho (MG), o governo federal decidiu adiar a antecipação da renovação do contrato de exploração da Vale sobre duas ferrovias, o que geraria como contrapartida R$ 4 bilhões de investimentos na Ferrovia de Integração do Centro-Oeste (Fico), entre Campinorte (GO) e Água Boa (a 746 km de Cuiabá).

Assessoria

Wellington Fagundes

Wellington Fagundes cobra esclarecimentos sobre tragédia e diz que decisão é natural

O recurso seria uma contrapartida da mineradora pela renovação da outorga das ferrovias do Carajás, que liga o Pará ao Maranhão e a Vitória-Minas, que liga Minas Gerais ao Espírito Santo.

Na avaliação do senador Wellington Fagundes (PR), apesar de a decisão impactar no projeto estratégico de desenvolvimento ferroviário de Mato Grosso, é uma decisão natural e prudente. “A catástrofe de Brumadinho exige esclarecimentos", pondera.

Ainda segundo ele, o próprio Senado deve criar uma CPI, que conta com o seu apoio, para buscar explicações e adotar eventuais medidas de responsabilização. Apesar da tragédia, o parlamentar ressalta a importância da Vale. "É um dos maiores patrimônios do nosso país, que nasceu como uma empresa pública. Emprega mais de 70 mil pessoas. E como tal, sua atuação deve ser voltada a contemplar os interesses maiores da nossa federação", ressalta.

A Fico é um dos projetos de ferrovia mais avançados de Mato Grosso, tendo sido incluída no Plano Nacional de Viação por meio da Lei 11.722/2008. No traçado inicial, a ferrovia ligará Campinorte (GO) a Vilhena (RO), com cerca de 1.641 km de extensão. O trecho entre Campinorte e Água Boa já possui Licença Prévia do IBAMA, e tinha a projeção de já ser começada a ser construída este ano.

Postar um novo comentário

Comentários

  • Comente esta notícia

Matéria(s) relacionada(s):

Xuxu recusa diárias e cala Wilson

xuxu curtinha   Na tribuna da AL, o tucano Wilson Santos tentou ironizar o colega Xuxu Dal Molin (foto), que retornou de missão oficial à Ásia nesta semana, mas acabou se dando mal. Considerando que Xuxu é membro de uma das famílias mais abastadas de Sorriso, Wilson sugeriu que ele poderia ter custeado a viagem e...

TCE já suspende licitação na Câmara

misael galvao curtinha   O TCE determinou que a Câmara de Cuiabá, sob Misael Galvão (foto), suspenda de imediato um pregão para contratar empresa para fornecimento de material de informática e de equipamentos de áudio e vídeo. Técnicos de Controle Externo de Contratações...

Janaina, MDB e o Palácio Alencastro

janaina riva curtinha   A presidente interina da Assembleia Janaina Riva não assume publicamente mas, nos bastidores, alimenta a esperança de ser prefeita de Cuiabá. Para que isso ocorra, em 2020, teria que deixar o seu MDB o prefeito Emanuel que, aliás, já está com um pé no PTB. Na cúpula...

Respaldo jurídico para barrar grevistas

mauro mendes curtinha   O Governo Mauro Mendes, de forma estratégica, está se respaldando de forma técnica e juridicamente, para enfrentar setores do funcionalismo que caminham para a deflagração de greve geral. Primeiro, recebeu do MPE uma notificação para não conceder reajuste salarial,...

Bolsonaro veta algoz de Selma no TRE

ulisses curtinhas   Fatores políticos-partidários podem ter pesado na escolha do presidente Jair Bolsonaro (PSL) ao definir o novo membro do TRE. Ele optou por Sebastião Monteiro e não por Ulisses Rabaneda, que tentava ser reconduzido. Os presidentes costumam escolher o mais votado ou manter quem já está no...

Prefeitura de Barra garante legalidade

joaojakson   Procurador-geral de Barra do Garças João Jackson Vieira Gomes (foto) esclarece, em resposta à curtinha Contrato de R$ 4 mi pra limpeza, que a dispensa de licitação por 6 meses obedeceu todos os tramites legais, sendo que a empresa contratada ofertou o menor orçamento. A...

ENQUETE

Tramita na Câmara Federal o projeto 832/2019, do deputado José Medeiros, requentando uma proposta de 2007 do então deputado Jair Bolsonaro, propondo extinguir o Exame da Ordem como exigência para inscrição na OAB e, assim, poder exercer a profissão. O que você acha disso?

Concordo - esse Exame tem de acabar

Discordo - bacharel precisa, sim, se submeter ao Exame

Sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.