Legislativo

Sexta-Feira, 20 de Março de 2020, 10h:06 | Atualizado: 20/03/2020, 10h:28

CASSAÇÃO

Antes de fim do prazo, relator vota por perda do mandato de Selma no Senado

Roque de Sá/Agência Senado

Senador Eduardo Gomes

Eduardo Gomes é relator do processo que deve declarar a perda do mandato da senadora Selma Arruda e pediu cumprimento da decisão judicial

O senador Eduardo Gomes (MDB) encaminhou parecer em que pede que a Mesa Diretora do Senado declare a perda do mandato da senadora Selma Arruda (Podemos), cassado por decisão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em dezembro passado. Para o relator, o Senado tem como obrigação cumprir a decisão judicial.

Eduardo Gomes teria até a quarta (25) para emitir seu parecer. O documento, porém, foi enviado hoje (20).

Selma teve o mandato cassado por caixa 2 e abuso de poder econômico na eleição de 2018. Tanto o Tribunal Regional Eleitoral quanto o TSE decidiram que ela e seus dois suplentes deveriam perder o cargo.

O TSE encaminhou a decisão ao Senado para que fosse decretada a perda do mandato. O presidente da Casa, Davi Alcolumbre (DEM), instituiu o mesmo rito utilizado na cassação do mandato do ex-senador João Capiberibe, em 2005. Selma se defendeu afirmando que o rito seria ilegal por não haver consulta prévia à Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Ela pediu que o Senado aguardasse o trânsito em julgado do processo eleitoral.

“E, conforme já transcrito, o procedimento aplicável foi considerado regular pela CCJ, desde 2005. Os ajustes agora promovidos pela Mesa em relação ao rito adotado àquela época somente aumentaram o prazo para a produção da defesa, de modo que não causaram qualquer prejuízo ou ofensa aos direitos da senadora. Desse modo, não há justificativa para edição de nova resolução, de outro ato normativo ou para que seja novamente aferida a regularidade do procedimento utilizado desde 2005 pela CCJ”, diz o relatório.

“No presente processo, inclusive, a senadora valeu-se do dobro do prazo estendido e da oportunidade de defesa, tendo em vista que seus advogados apresentaram manifestação concomitante com o defensor dativo”

Senador Eduardo Gomes

Eduardo Gomes diferencia o caso da senadora, de cassação determinada pela Justiça Eleitoral, de casos em que a Comissão de Ética e Decoro Parlamentar cassa o mandato. No caso de Selma, a Mesa Diretora do Senado deve apenas “declarar” a perda do cargo, o que já foi devidamente “decidido” pelo TSE.

“No presente processo, inclusive, a senadora valeu-se do dobro do prazo estendido e da oportunidade de defesa, tendo em vista que seus advogados apresentaram manifestação concomitante com o defensor dativo”, afirma.

O senador ainda reforça que o Senado não pode “se constituir em tribunal recursal da Justiça Eleitoral, nem do Supremo Tribunal Federal”. A Mesa Diretora não poderia suspender ou desatender, por motivos próprios, a decisão judicial.

“Vale dizer, cabe ao Senado verificar se o juízo que decidiu pela perda do mandato atuou investido de competência suficiente para tanto, de forma legítima, assim como atender às formalidades necessárias ao cumprimento da decisão judicial”.

O relator ainda citou que os embargos de declaração feitos por Selma no TSE não possuem efeito suspensivo, “embora interrompam o prazo para interposição de recursos”.

“Os precedentes apresentados reforçam nossa convicção de que a Mesa do Senado Federal deve atuar no estrito cumprimento da decisão emanada do TSE, à qual não foi atribuído efeito suspensivo pela instância competente do Poder Judiciário”.

Postar um novo comentário

Comentários (4)

  • breno | Sexta-Feira, 20 de Março de 2020, 22h18
    0
    0

    e dra juiza selma arruda vc foi infeliz em pregar a honestidade e acabou caindo na corrupçao menos uma ladra em nossas vidas!!!

  • Emanoel | Sexta-Feira, 20 de Março de 2020, 20h59
    3
    1

    Já vai tarde. Agora tem que pagar o custo da outra eleição.

  • octavio augusto regis de oliveira | Sexta-Feira, 20 de Março de 2020, 11h52
    9
    10

    Ja deviam ter CASSADO , pois tem decisao do TRE MT, TSE, STF ordenando posse ao terceiro colocado, ESTAO ESPERANDO O QUE, AFINAL CAIXA 2 E COISA SERIA, PAU QUE BATE EM CHICO BATE EM FRANCISCO

  • Paulo | Sexta-Feira, 20 de Março de 2020, 11h49
    12
    10

    Não sei o que ela está fazendo lá ainda. Está cassada, mete o pé, cai fora, principalmente por ser uma ex juíza e ter cometido um erro tão primário assim na campanha, tinha de ficar envergonhada e vazar de lá. Olha que fui eleitor dela hemmm.

Decreto "anula" o MPE em Juscimeira

moises 400 juscimeira curtinha   Em Juscimeira, o promotor de Justiça Adalberto Ferreira recorreu à Justiça de forma desnecessária. Pleiteou e conseguiu uma liminar para suspender um decreto do prefeito Moisés dos Santos que, segundo a ação, havia reduzido as medidas de isolamento social, permitindo...

Kero-Kero quer levar Abílio para Pode

wilson kero kero 400 curtinha   Na contagam regressiva do prazo para o troca-troca partidário - vence em 3 de abril para quem pretende ser candidato em outubro deste ano -, o vereador Wilson Kero-Kero (foto), do PSL e um dos opositores à gestão Emanuel Pinheiro em Cuiabá, está fortalecendo o Podemos. E se...

ECSP explica confusão com Marcrean

marcrean 400 curtinha   A Empresa Cuiabana de Saúde Pública (ECSP) emitiu nota sobre a suposta “carteirada” do vereador Marcrean Santos (foto) no HMC. Ele foi pivô de confusão e um vídeo viralizou nas redes sociais. Segundo a ECSP, o parlamentar foi até o local pedir informações...

PL quer suspender dívidas das cidades

max russi curtinha 400   Ex-prefeito de Jaciara, o deputado Max Russi (PSB) apresentou projeto que visa suspender os pagamentos das dívidas dos municípios com o Estado, durante o período de calamidade pública que foi decretado pelo governo por causa da pandemia do coronavírus. Max ressalta que MT não deve...

Articulação pra tentar voltar ao Procon

gisela simona 400 curtinha   Com adiamento e ainda sem nova data para a eleição suplementar ao Senado, Gisela Simona (Pros), que se afastou do Executivo para concorrer ao pleito, quer retornar ao cargo de secretária-adjunta de Proteção e Defesa dos Direitos do Consumidor (Procon), vinculado à secretaria...

Senadora, ataques e defesa de Galvan

selma arruda 400 curtinha   Selma Arruda, senadora cassada por crimes eleitorais, um deles caixa 2, escreveu artigo entitulado "MP x Aprosoja. Afinal, quem tem razão", especialmente para defender o aliado político Antonio Galvan, presidente da Aprosoja. Ao concordar com plantio de soja dentro de período proibido pela...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.