DESENVOLVIMENTO EM TRILHOS

Sexta-Feira, 28 de Março de 2014, 07h:10 | Atualizado: 28/03/2014, 11h:37

MT tem extensão continental e maior terminal, mas tem 700 km de trilhos

cada trem geralmente possui 80 vagões. Isso significa que cada um equivale a 160 carretas


Reportagem Especial

.

mapa_ferrovia

 Juntos, terminais de MT têm capacidade para 135 mil toneladas. Trilhos passam por 4 cidades e construção dos trilhos até Cuiabá ainda é uma incógnita

Uma ferrovia tem que ser desenhada para integrar os povos e precisa ser de interesse público, realmente proporcionar dividendos para os cidadãos. Afinal, o trem carrega desenvolvimento. A avaliação é de Francisco Vuolo (PP), presidente do Fórum Pró-Ferrovia em Cuiabá e ex-secretário estadual de Logística. Segundo ele, apesar de ser uma luta de quase 40 anos, que iniciou com o ex-senador Vicente Vuolo (já falecido), a ferrovia em Mato Grosso ainda é muito tímida, com apenas 700 quilômetros que nem chegam a Cuiabá.

Mas, de acordo ele, essa realidade irá mudar em breve, pois o avanço dos trilhos até a Capital e até Santarém (PA) já está encaminhado e esperando a apresentação dos estudos de viabilidade técnica, econômica e ambiental, a serem apresentados em abril. Além disso, há a pressão dos produtores no governo federal para que aconteça a construção de outras linhas, como a Ferrovia de Integração Centro-Oeste (FICO), que tem planos de passar pelo Estado de Leste a Oeste.

O Estado, por enquanto, tem quatro terminais: Alto Taquari, Alto Araguaia, Itiquira e Rondonópolis, todos administrados pela América Latina Logística (ALL), que tem a concessão na região desde 2006. Hoje a ferrovia em Mato Grosso carrega apenas soja, farelo de soja e milho. Mas a expectativa é que na construção de novos trechos possa fazer transporte de pessoas e de produtos industrializados vindo de outras regiões.

Davi Valle/Rdnews

caue-all

Coordenador da ALL Cauê Martins, fala sobre o terminal

Em visita ao terminal de Rondonópolis, um complexo intermodal inaugurado em outubro, o Rdnews conheceu todo o processo do carregamento dos trens. O pátio da ALL tem espaço para até 1.200 caminhões, mas segundo Cauê Martins, coordenador gestão da empresa, a média de veículos por dia para descarregar é de 800. Os caminhoneiros fazem agendamento para o dia e são atendidos de acordo com a hora que chegam naquela data. “Apesar do agendamento, às vezes os caminhoneiros adiantam a sua viagem e chegam antes, o que acaba gerando fila na rodovia, algo que não deveria acontecer. Antes do sistema de agendamento víamos aquele congestionamento quilométrico nas estradas, o que era um problema”, comenta.

Quando chega a sua vez, o caminhão vai para um equipamento chamado tombador, neste terminal há sete. O veículo é levantado pela parte dianteira e fica inclinado, fazendo com que a soja caia por uma grade numa bacia subterrânea, onde há esteiras que enviam o produto ou para o armazenamento ou para serem colocados nos vagões dos trens. No local do carregamento dos vagões há uma máquina com um bocal que vai despejando a soja nos vagões como se eles estivessem em uma linha de montagem. Esse processo acontece sete dias por semana, 24 horas por dia. Nesse meio tempo, a produção é sempre pesada e tem a qualidade testada, pois é enviada para o porto de Santos para exportação, numa viagem de 1.700 quilômetros que dura quatro dias.

Cauê conta que cada vagão tem a capacidade de duas ou três carretas, dependendo do tamanho. E que cada trem geralmente possui 80 vagões. Isso significa que cada um equivale a 160 carretas. Em Rondonópolis, terminal de maior rotatividade, saem sete trens diariamente, o que significa menos 1.120 caminhões nas rodovias do Estado. “A carga fica mais segura, as estradas menos lotadas, o asfalto mais conservado e o custo é muito menor do que do frete rodoviário”, explica o coordenador.

Davi Valle/Rdnews

caminhao_carga

Cerca de 800 caminhões descarregam grãos no terminal de Rondonópolis, que é maior de MT

De acordo com Cauê, o terminal de Rondonópolis é o maior da América Latina e o que possui maior rotatividade. A sua capacidade estática (de armazenamento) é de 60 mil toneladas e ela gira (é reposta) diariamente. O local nasceu como uma alternativa para descongestionar as rodovias, que estavam saturadas e em más condições. Ele diz que os outros terminais mais ao sul continuam em plena atividade, mas com menos fila.

Francisco Vuolo explica que a há alguns anos, a ALL estava satisfeita apenas com os terminais de Alto Taquari e Alto Araguaia. Construir mais demandaria muito investimento, sendo que como estava já atendia a sua demanda. Não era de seu interesse continuar “subindo” Mato Grosso, mas era de interesse do governo e da população. Então, em 2007 a ALL foi pressionada a ou construir mais ou devolver ao governo federal a concessão. O presidente do fórum diz que a empresa cedeu e foi colocado no acordo um termo aditivo para garantir o avanço. Em 2012 foi inaugurado o terminal de Itiquira e em 2013 o de Rondonópolis.

O presidente do fórum ainda comenta que um Estado com essas dimensões e essa produção precisa de ferrovias integrando todas as regiões, por isso mais uma vez a ALL foi pressionada. Em 2010 fez um marco regulatório com o governo no qual diz que acima de Rondonópolis a construção volta a ser responsabilidade federal e terá um modelo de concessão diferente do que hoje é trabalhado com a ALL. “Por isso dizemos que nos próximos trechos podem vir investidores de fora. Quando prontos, os trens novos terão que passar pelos trechos da ALL pegando uma espécie de pedágio. Isso é ótimo, pois quebrou o monopólio da ALL, o que reduz preços e aumenta qualidade do serviço”, afirma.

Davi Valle

terminal_roo

Equipe do Rdnews registra as etapas que são necessárias para descarregar a produção de MT, dentro do terminal. Depois, já nos trens, segue até o porto de Santos

Galeria de Fotos

Credito: Lenine Martins
Credito: Lenine Martins
Credito: Lenine Martins
Credito: Lenine Martins
Credito: Lenine Martins
Credito: Lenine Martins
Credito: Lenine Martins
Credito: Davi Valle
Credito: Patrícia Sanches

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • Thiago Stocco | Sexta-Feira, 28 de Julho de 2017, 07h27
    0
    0

    Oi meu nome é Stocco T. G. Stocco, estou indo a trabalho pra base brasileira a caracter do gn, antes disso preciso ir pro chile, passar no desrto do ataca., devo ir de trem por isto estou requistando a passagem, aguardo retorno, obrigad.

Posse 2 dias antes do possível retorno

maluf 400 curtinha   Guilherme Maluf (foto), que nem esquentou direito a cadeira de conselheiro, vai tomar posse na presidência do TCE-MT dois dias antes do STJ julgar um recurso que tende a suspender as medidas cautelares e definir pelo retorno ao Pleno dos cinco conselheiros afastados há dois anos. A solenidade acontece no...

Alerta sobre hanseníase nos presídios

alexandre bustamante curtinha 400   Duas secretarias do TCE ingressaram com representação contra duas secretarias de Estado. As de Controle Externo de Educação e Segurança Pública e de Saúde e Meio Ambiente acionaram no próprio Tribunal as pastas de Segurança Pública,...

Reunião pra complô desmoraliza Abílio

abilio 400 curtinha   A considerar as imagens de circuito interno de vídeo do hospital privado São Benedito, exibidas nesta quinta, durante sessão na Câmara de Cuiabá, a situação de Abílio Brunini (foto) se complica mais ainda. Investigado pela Comissão de Ética por reincidentes...

Contra mudar multas do Fundecontas

mauro mendes 400 curtinha   O governador Mauro (foto) vetou a inclusão de um dispositivo no artigo 2º da lei de 2005 que criou o Fundo de Reaparelhamento e Modernização do TCE. Essa alteração foi aprovada pela Assembleia na sessão de 29 de outubro e, na prática, iria retirar e dar outro...

Ex-deputado quer comandar Chapada

roberto nunes 400   O ex-deputado Roberto Nunes (foto), que recebe dois vencimentos da Assembleia, um como aposentado e outro como beneficiário do extinto FAP, somando mais de R$ 30 mil mensais, está se articulando para encarar mesmo a disputa pela Prefeitura de Chapada dos Guimarães. Transferiu para lá o...

Contra regular as redes a magistrados

thiago amam 400 curtinha   O presidente da Associação Mato-Grossense de Magistrados, juiz Tiago Abreu (foto), vê com preocupação a proposta de resolução do CNJ que estabelece parâmetros quanto à utilização das redes sociais por magistrados. Enfatiza que a Amam...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Como você avalia a decisão do Supremo de suspender prisão imediata após julgamento em segunda instância?

Concordo

Discordo

Tanto faz

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.