EXPEDIÇÃO 300

Quarta-Feira, 11 de Março de 2020, 23h:21 | Atualizado: 14/03/2020, 08h:30

Alcides mantém cultura viva e envia viola de cocho para o mundo todo - veja fotos

A rotina é puxada e a preparação da madeira um tanto quanto intensa. Quando começa a entalhar o instrumento em uma peça inteira de madeira, sem remendo, o que depende muito de seu talento, ele só para quando termina. Alcides Ribeiro dos Santos, que hoje vive em Santo Antônio de Leverger, conta como é sua rotina.

José Medeiros

Madeiras que ele produz viola de cocho são quase todas doadas, entre elas, a sarã

Madeiras usadas por ele para produzir as violas de cocho são doadas por quem conhecem seu trabalho, entre elas estão a sarã, ximbuva e o pinho cuiabano

A comunidade em que vive também foi retratada pelo fotógrafo José Medeiros no Expedição 300 - O Rio das Lontras Brilhantes. Quando questionado sobre onde recolhe a madeira, ele logo diz que cerca de 90% da matéria prima que vira viola de cocho é ganha.

Diz que as pessoas já sabem que ele é o artesão que mais produz o instrumento e, por isso, levam até ele regalias como ximbuva, pinho cuiabano ou sarã de leite, que são as madeiras que ele mais usa em suas produções. O tampo, segundo o artesão, é feito de raiz de figueira branca e todas as outras peças são cedro-rosa. Este cotidiano que repete há mais de 20 anos.

José Medeiros

Ele é detalhista enquanto talha o material, a viola é modelada de uma só madeira e depois recebe tampa e mais detalhes

Ele é detalhista enquanto talha o material. A viola é modelada de uma só madeira e depois recebe tampa e mais detalhes. Enquanto isso, o filho serve suco

Esta arte ele aprendeu com seu pai. Dos filhos que seo Caetano Ribeiro teve, ele foi o único que se interessou pela arte. Em outro tempo, quando a viola ainda não era tão valorizada, relata que sofria preconceito até dentro de casa sendo chamado de "jeca" por gostar tanto do que fazia.

"Hoje eu viajo o Brasil inteiro mostrando a viola, dou oficinas, envio os instrumentos para pesquisadores e músicos de toda parte do mundo". Há dois anos um dos guitarristas mais famosos do país, Dado Villa-Lobos, disse que queria muito comprar uma de suas violas e replicou. "Falou que há muito tempo pesquisava sobre meu trabalho, aquilo me deixou muito grato e feliz. Tenho orgulho do que eu faço", conta.

José Medeiros

Instrumentos são enviados para todo mundo, encomendas são feitas através de contatos via internet, telefone e indicações boca a boca

Instrumentos são enviados para todo mundo. Encomendas são feitas através de contatos via internet, telefone e indicações boca a boca. Ele é muito feliz

Alcides conta que seu marketing, além da história que continuou traçando após o legado de seu pai, é o boca a boca e publicações que faz em seu blog. Ele pretende continuar passando os seus ensinamentos para a nova geração e seus filhos.

José Medeiros

Ela passa cerca de 8h ao dia produzindo às violas e, ao todo, cerca de cinco delas ficam prontas

Ele passa cerca de 8h ao dia produzindo os instrumentos e cerca de 5 delas ficam prontas neste tempo. Desde os 16 anos, ele leva isso como profissão

Enquanto talha uma das violas, o filho chega com uma limonada gelada para aliviar o calor do pai. "Quero que continuem minha história, sejam meus filhos, ou outros das novas gerações. Não quero que isso acabe, é nossa cultura". 

Postar um novo comentário

Comentários (1)

  • claro neto da silva | Sexta-Feira, 13 de Março de 2020, 14h23
    0
    0

    eu gostaria de te uma dessa viola meu pai tam bem fazia essa viola uma ora eu vou ate ai busca ama pra mim e coza boa da gente te

DEM e voz na Câmara após 16 anos

marcelo bussiki 400 curtinha   O DEM (antigo PFL) passa a ter voz na Câmara da Capital 16 anos depois. Aproveitando a janela de março em que a Justiça Eleitoral permite mudança de legenda sem risco de perda do mandato, dois vereadores migraram para o Democratas, sendo eles Marcelo Bussiki (foto) e Gilberto Figueiredo, que...

MDB agora com 2 na Câmara-Cuiabá

juca do guaran� curtinha 400   O MDB do prefeito Emanuel Pinheiro, que não elegeu vereador em 2016 em Cuiabá, agora ganha duas vozes na Câmara. Tratam-se de Juca do Guaraná (foto), militante histórico do nanico Avante que resolveu migrar para a legenda emedebista, e do recém-empossado...

PT segue sem voz na Câmara-Cuiabá

bob pt 400 curtinha   O PT, presidido em Cuiabá por  Elisvaldo Almeida, o Bob (foto), está mesmo "queimado" e sem prestígio. Em meio ao troca-troca de partido entre os vereadores cuiabanos, aproveitando a janela de março, cujo prazo para mudanças para quem deseja se candidatar em outubro encerrou-se neste...

Deputado, única causa e os interesses

xuxu 400 curtinha   Xuxu Dal Molin (foto), deputado pouco atuante e limitado a defender a bandeira do agronegócio, é mais um daqueles que demonstram, na prática, usar a política para beneficiar os seus. De familiares de agricultores, Xuxu bateu duro, se posicionando contra a proposta encaminhada pelo governador Mauro...

Vereadores de ROO e trocas de siglas

fabio cardozo 400 curtinha   Em Rondonópolis, praticamente a metade dos vereadores está aproveitando a janela, que se encerra neste sábado, para mudar de partido, e já com as atenções voltadas à reeleição. E, com a dança das cadeiras, o Solidariedade do prefeito Zé do...

Podemos absorve a turma do barulho

O Podemos conseguiu juntar no seu diretório em Cuiabá a turma do barulho. Dela fazem parte dois com mandatos cassados, Abílio Júnior, que perdeu a cadeira de vereador por quebra de decoro, e a senadora Selma Arruda, cassada por caixa 2 e abuso de poder econômico, mas que ainda continua no cargo. Selma impôs condições para seguir no partido. Chegou a negociar ida para o PSC. E ganhou a presidência municipal do Pode, forçando o...

ENQUETE

facebook whatsapp twitter email

Você concorda com a decisão de prefeitos, que começam a decretar estado de emergência, fechando comércio, serviços públicos e o transporte coletivo?

sim

não

sei lá!

Não se trata de pesquisa eleitoral, mas de um mero levantamento de opiniões de leitores do RDNews e do Blog do Romilson, com participação espontânea dos internautas. Resultado sem valor científico.